Restaurado – Ludwig van Beethoven (1770-1827) – Symphonie nº 6 in F major, op. 68, Symphonie nº 8, in F major, op. 93

Dentro de sua lista de favoritas, a Sinfonia Pastoral está entre as cinco obras favoritas de FDP. E de muita gente que conheço. Sua leveza é inspiradora, e sua beleza, reconfortante. Ou vice-versa. Não importa. O que importa é que sempre que a ouvimos, nos sentimos em júbilo, ela levanta nosso astral. Até mesmo sua simulação de tempestade nos reconforta, pois nos faz lembrar do velho clichê, que diz que depois da tempestade sempre vem a bonança. E que bonança…
Harnoncourt joga mais leve, mais solto do que Karajan. Confesso que me sinto constrangido, temeroso, ao ouvir o “Sturm” karajaniano, o Allegro do quarto movimento. Mas, sensível como poucos, Harnoncourt não me deixa sentir assim. Sua tempestade é mais “suave”, se podemos caracterizá-la assim.

Sempre achei que a Oitava Sinfonia estava em uma situação meio complicada… Simplesmente entre a força e genialidade da construção da Sétima, e a monstruosidade da Nona (claro que mostruosidade no sentido de enormidade, de genialidade). Ela funciona como um termômetro para medir nossas emoções, antes de entrar no turbilhão que em que mergulhamos ao ouvir aquela. Não sei se é impressão minha, mas creio que seja a menos executada, juntamente com a Quarta. À vejo enquanto introdução ao que virá. como se o gênio de Beethoven nos preparasse o espírito. Coisa de gênio. Lembro-me da velha edição da DG em vinil que eu possuía, na interpretação de Karajan e sua Filarmônica de Berlim, que a trazia como abertura para a Nona Sinfonia. Confesso que prestava pouca atenção à ela, já virava direto o LP para o Lado B, para ouvir a irmã mais famosa.

Enfim, vamos ao que interessa.

Ludwig van Beethoven (1770-1827) – Symphonie nº 6 in F major, op. 68, Symphonie nº 8, in F major, op. 93

Sinfonia nº 6, in F Major, op. 68 – Sinfonia Pastorale

1 – Allegro ma no non troppo – “Erwachen heiterer Empfindungen bei der Ankunft auf den Lande”
2 – Andante molto moto – Szene am Bach
3 – Allegro – Lustiges Zusammensein der Landlate
4 – Allegro – Gewitter, Sturm
5 – Allegretto – Hirtengesang. Frohe und dankebare Gefühle nach dem Sturm.

Sinfonia nº 8 in F Major, op. 93

6 – Allegro vivace con brio
7 – Allegretto scherzando
8 – Tempo di Minueto
9 – Allegro vivace

The Chamber Orchestra of Europe
Nikolaus Harnoncourt – Director

BAIXE AQUI

[restaurado por Vassily em 29/5/2020]

3 comments / Add your comment below

  1. Ola FDP! Compartilho da sua preferência. A Pastoral, em minha modesta visão e pouca cultura musical, é a melhor Sinfonia de Beethoven, e a mais bela música sobre a Natureza! (Retirando a Nona, porque não a considero apenas uma Sinfonia).Flávio

  2. A Sexta Sinfonia de Beethoven me encanta cada vez que eu ouço mais. Embora, segundo alguns autores, adotem fanaticamente a lenda das Sinfonias de numeros pares do genio de Bonn, como inferiores às de numeros impares. Pessoalmente ja ouvi mais de 10 interpretações famosas e algumas tenho aqui em cd: Abbado, Bohm, Karajan, Furtwangler, Bernstein, Toscanini.FDP, como disse oportunamente no orkut. A versão que considero perfeita, é a de Leonardo Bernstein regendo a Filarmonica de Viena. Consegui encontra-la no emule. Recomendo a todos, e me coloco a disposição se você quiser.

  3. Caro anonimo, Estou realmente passando por uma fase de Bernstein. Graças ao emule,e à algumas almas caridosas do Orkut, que se deram ao trabalho de converter seus dvds e disponibilizá-los, tive acesso a algumas apresentações dele em vídeo, frente à diversas orquestras, como a Filarmônica de Viena, encarando Mahler e Brahms, SInfônica de Boston, encarando a Patética, de Tchaikovsky, e cada vez mais estou fascinado por sua performance. Valeu o toque sobre a integral de Beethoven frente á Filarmônica de Viena. É um sonho de consumo antigo… hehehehehe.. Abraços, FDP Bach.

Deixe uma resposta