Novenas – Pe. José Maurício Nunes Garcia – Coral Porto Alegre e Orquestra – (Acervo PQPBach)

260zv5eNovenas
Pe. José Maurício Nunes Garcia

Coral Porto Alegre e Orquestra

Esta postagem foi possível graças ao ouvinte Fernando Santos que nos enviou os áudios e o encarte do CD “Novenas”, disponibilizando para todos nós um tesouro que não mais se encontra em lojas, sebos ou internet. Não tem preço!

A atividade musical no Brasil durante quase todo o período colonial funcionava basicamente no âmbito das funções religiosas, como comprova a imensa quantidade de peças sacras que foram conservadas. As diversas festas santorais, que sempre exigiam música composta pelos compositores locais, eram patrocinadas, principalmente, pelas Irmandades e Ordens Terceiras. As Irmandades eram congregações de leigos que se reuniam em torno de determinada devoção, sendo formadas, principalmente, por representantes de uma espécie de classe média urbana, profissionais liberais e comerciantes. Aquelas mais ricas construíam sua própria igreja e se serviam dos músicos, mulatos livres na sua maioria, para abrilhantar o serviço litúrgico e as festas em torno do padroeiro. As cerimônias preparatórias à festa do santo de devoção de uma Irmandade eram denominadas de acordo com a sua duração em dias, sendo a Novena a mais comum, ou seja, uma cerimônia ao longo de nove dias.

As Novenas do Padre José Maurício Nunes Garcia, maior compositor brasileiro do período colonial, foram compostas entre 1814 e 1822 e se caracterizam pelo estilo despojado, com limitados recursos instrumentais, no caminho contrário a uma tendência na qual o desenvolvimento das partes vocais e a incorporação de um efetivo maior de instrumentos davam à música mais dramaticidade e colorido. Nas novenas, para acompanhar o quarteto solista e o coro a 4 vozes, o compositor utiliza uma orquestra com o naipe de cordas sem as violas, uma clarineta e uma trompa.

O uso que o compositor faz dos instrumentos e das vozes é bastante idiomático. A parte do baixo geralmente não exerce função melódica ou motívica sendo usado apenas no papel contínuo. Os violinos apresentam-se normalmente em movimento paralelo e as tropas cumprem papel de reforço harmônico ou de ligação temática. Especial mérito tem a parte da clarineta, com uma destacada função concertante, muitas vezes dialogando com os solistas vocais.

O tratamento quase exclusivamente silábico do texto é outra importante característica. Tal procedimento visava tornar o texto litúrgico mais inteligível e era também conseqüência natural do estilo clássico ao qual estava filiado o compositor. O coro geralmente apresenta-se em blocos harmônicos costurados pela atuação mais movida dos violinos e da clarineta, que quase sempre tem o privilégio de expor e desenvolver o material temático. A tessitura não alcança extremos das vozes ou dos instrumentos. Essas características e o fato de possuírem a mesma, até certo ponto inusitada, instrumentação dão ao conjunto das três novenas uma grande unidade.

A mais antiga delas, escrita em 1814, é a Novena do Apóstolo São Pedro e, segundo a musicóloga Cleofe Person de Mattos, foi possivelmente composta “para expressar alegria com o retorno do Papa Pio VII à cátedra de São Pedro, em Roma“. A obra foi oferecida à Ordem Terceira do Carmo com uma ressalva do compositor, em nota autografa na partitura, que a mesma não deveria ser recusada à sua Irmandade, a de São Pedro dos Clérigos, quando solicitada. Uma curiosidade dessa novena é, no Tantum Ergo, uma célula melódica e rítmica que podemos identificar como aquela utilizada por Francisco Manuel da Silva (1795-1865) aluno do Padre José Maurício, na composição do Hino Nacional Brasileiro. A primeira audição contemporânea foi realizada em 1197 durante a Retrospectiva da Música Brasileira realizada no Salão Leopoldo Miguez, com os conjuntos da Escola de Música da UFRJ sob direção do Maestro Ernani Aguiar.

A Novena Nossa Senhora do Carmo também foi fruto de encomenda da mesma Ordem Terceira para a festa da padroeira no ano de 1818 e foi composta junto com a Missa de Nossa Senhora do Carmo que difere completamente da Novena por ser, nas palavras de Cleofe Person de Mattos, “obra vigorosa e de grande agilidade“. Tal fato nos faz supor uma intencionalidade do compositor procurando dar ao conjunto de novenas uma unidade estilística e instrumental, pois o mais lógico seria utilizar na novena a mesma instrumentação da Missa, que prevê um par de clarinetas e outro de tropas, já que foram escritas para a mesma festividade.

A Novena do Santíssimo Sacramento foi ums das obras compostas em 1822, ano marcado como de extrema penúria na vida do Padre José Maurício, com os salários como Mestre da Capela Real atrasados e sem remuneração que recebia pelas aulas de seu curso de música, concedida pro D. João VI em 1809 e retirada em fins de 1821. A novena foi composta por ocasião da entrada do compositor na Irmandade do Sacramento em 17 de março do mesmo ano.

Para a presente gravação foram utilizados os manuscritos autógrafos das novenas pertencente ao acervo da Biblioteca Alberto Nepomuceno da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro. As “Ladainhas” das novenas do Carmo e do Santíssimo Sacramento, não foram aqui registradas por serem essencialmente litúrgicas, destinadas ao canto da audiência na igreja, e por não despertarem interesse artístico, já que são trechos de dez a vinte compassos repetidos com diferentes textos.

O trabalho do Maestro Ernani Aguiar, fiel “mauriciano” traz à luz pela primeira vez, após quase dois séculos, obras de um dos mais brilhantes artista do período colonial brasileiro que tem sobrevivido graças à abnegação de alguns poucos que, desde sua morte, têm trabalhado no sentido do reconhecimento de um conjunto de peças que é uma das mais importantes contribuições ao patrimônio cultural brasileiro. (André Cardoso, Professor da UFRJ e Regente, extraído do encarte)

Novenas – Pe. José Maurício Nunes Garcia (1767-1830, Rio de Janeiro, RJ)
Novena do Santíssimo Sacramento:
01. I. O Salutaris Hostia (solistas, coro e orquestra)
02. II. Hino: Veni Sancte Spiritus (solistas e orquestra)
03. II. Hino: Veni Pater pauperum (gregoriano – coro masculino)
04. II. Hino: Consolator Optime (soprano, coro e orquestra)
05. II. Hino: In labore requies (gregoriano – coro masculino)
06. II. Hino: O Lux Beatissima (solistas, coro e orquestra)
07. II. Hino: Sine tuo numine (gregoriano – coro masculino)
08. II. Hino: Lava Quod est Sordidum (solistas, coro e orquestra)
09. II. Hino: Flecte quod est rigidum (gregoriano – coro masculino)
10. II. Hino: Da Tuis Fidelibus (coro e orquestra)
11. II. Hino: Da virtutis meritum (gregoriano – coro masculino)
12. III. 1ª Jaculatória: Bendito e louvado seja (solistas e orquestra)
13. IV. O Sacrum Comvivium: Antífona (solistas, coro e orquestra)
14. V. Sub Tuum Praesidium: Antífona (solistas, coro e orquestra)
15. VI. Tantum Ergo (soprano, coro e orquestra)
16. VI. Tantum Ergo: Genitori genitoque (gregoriano – coro masculino)
17. VII. 2ª Jaculatória: Bendito e louvado seja (soprano, coro e orquestra)
18. VIII. 3ª Jaculatória: Bendito seja Jesus (soprano, coro e orquestra)

Novena do Apóstolo São Pedro:
19. I. Invitatorio: Regem Apostolorum Dominum (coro e orquestra)
20. II. Hino: Veni Sancte Spiritus (solistas e orquestra)
21. II. Hino: Veni Pater pauperum (gregoriano – coro masculino)
22. II. Hino: Consolator Optime (coro e orquestra)
23. II. Hino: In labore requies (gregoriano – coro masculino)
24. II. Hino: O Lux Beatissima (coro e orquestra)
25. II. Hino: Sine tuo numine (gregoriano – coro masculino)
26. II. Hino: Lava quod est sordidum (coro e orquestra)
27. II. Hino: Flecte quod est rigidum (gregoriano – coro masculino)
28. II. Hino: Da tuis fidelibus (coro e orquestra)
29. II. Hino: Da virtutis meritum (gregoriano – coro masculino)
30. III. 1º Jaculatória: Apostolo Pedro (soprano, coro e orquestra)
31. IV. Responsório (Hino): Beate Pastor Petre (coro e orquestra)
32. IV. Responsório (Hino): Egregie Doctor Paule (gregoriano – coro masculino)
33. IV. Responsório (Hino): Sensit Trinitat Sempterna Gloria (gregoriano – coro masculino)
34. V. Verso (Evangelho): Tu es Petrus (tenor e orquestra)
35. VI. Et Tibi Dabo (coro e orquestra)
36. VII. Quod Qumquae Ligaveris (soprano, contralto e orquestra)
37. VIII. Et Tibi Dabo (coro e orquestra)
38. IX. Gloria Patri (baixo e orquestra)
39. X. Et Tibi Dabo (coro e orquestra)
40. XI. Tantum Ergo (coro e orquestra)
41. XI. Tantum Ergo: Genitori genitoque (gregoriano – canto masculino)
41. XII. 2ª Jaculatória: Apóstolo Pedro (coro e orquestra)
43. XIII. 3ª Jaculatória: Apóstolo Pedro (coro e orquestra)

Novena de Nossa Senhora do Carmo:
44. I. Invitatório: Dominum qui Suum Carmelitarum Matrem (coro e orquestra)
45. II. Hino: Veni Sancte Spiritus (coro e orquestra)
46. II. Hino: Veni Pater pauperum (gregoriano – coro masculino)
47. II. Hino: Consolator Optime (soprano, coro e orquestra)
48. II. Hino: In labore requies (greporiano – coro masculino)
49. II. Hino: O Lux Beatissima (coro e orquestra)
50. II. Hino: Sine tuo numine (gregoriano – coro masculino)
51. II. Hino: Lava quod est sordidum (contralto, coro e orquestra)
52. II. Hino: Flecte quod est rigidum (gregoriano – coro masculino)
53. II. Hino: Da tuis fidelibus (coro e orquestra)
54. II. Hino: Da virtutis meritum (gregoriano – coro masculino)
55. III. 1ª Jaculatória: Senhora do Carmo (soprano, coro e orquestra)
56. IV. Flos Carmeli: Antífona (soprano, contralto, coro e orquestra)
57. V. Tantum Ergo (soprano, coro e orquestra)
58. V. Tantum Ergo: Genitore genitoque (gregoriano – coro masculino)
59. VI. 2ª Jaculatória: Senhora do Carmo (soprano, coro e orquestra)
60. VII. 3ª Jaculatória: No transe horrendo da morte (soprano, coro e orquestra)

Novenas – Pe. José Maurício Nunes Garcia – 1999
Coral Porto Alegre e Orquestra
Maestro Ernani Aguiar
.
acervo-1BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC 427,3 MB | HQ Scans

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 320 kbps | 125,7 MB | HQ Scans

powered by iTunes 10.0 | 1,0 h

 

 

Boa audição.

Avicenna

11 comments / Add your comment below

  1. Olá!!! Bela postagem… Estou te devendo umas gravações que consegui em São João Del Rei!!! Estou providenciando o envio!!
    Um abeaço e boa semana a todos!!!

    Jorge Tadeu
    ouro Preto – MG

  2. Está óbra é realmente fantastica, O padre José Maurício Nunes Garcia é a maior expressão musical de nossa terra,mas,não consegui ouvir, o RapidShare é horrivel, coloquem as postagens com outras formas de acessar!!!

  3. Fernando,

    Existem aproximadamente 15.000 downloads dos meus links, todos no RapidShare e só você está reportando problemas, pois até agora ninguém reclamou.

    Tente de novo que poderá dar certo. Não perca esta jóia!

    Um abraço,

    Avicenna

  4. Desde a primeira vez que ouvi o Pe. José Maurício me apaixonei. Suas obras são realmente preciosas, e só tenho a agradecer por mais este presente maravilhoso.

  5. Caro Avicenna!

    É bom tê-lo de volta à ativa! Deixei o PC ligado durante a noite para fazer o download das postagens do dia, inclusive a sua. Ainda não ouvi todas as novenas, mas fiquei impressionado com a variedade da obra do Pe. Maurício.
    Fico te devendo um comentário mais abrangente depois de ouvir todas as novenas.
    Deixo aqui meus cumprimentos ao estimado e votos para vindouras e preciosas postagens.

    Recado ao Jorge Tadeu: ôh mineiro! não deixa a gente curioso, manda logo estas gravações ao Avicenna uai!
    Boa semana a você também!

  6. Gottlieb e Adriano, obrigado pelas suas mensagens.
    Eu também aprecio muito as obras do Pe. José Maurício. Ainda tenho bastante obras dele para serem postadas.

    Uai, Jorge Tadeu, ainda não chegou nada, sô!

  7. Dear Avicenna
    What can I say, I’m lost for words…..my replay button is already flat. What a treasure again…..THANKS!!
    PS. I am also so happy to see you dance, didn’t know you have such grace and elegance 😉

Deixe uma resposta