Marília de Dirceu – Thomaz Antonio Gonzaga (Porto,1744 – Ilha de Moçambique, 1810) (Acervo PQPBach)

MemoÃÅria-Musical-BrasileiraWEBMarília de Dirceu, doze árias com textos das Liras de Tomás Antonio Gonzaga, o Dirceu, escritas durante sua prisão na Ilhas das Cobras em fins do século XVIII enquanto aguardava o degredo para Moçambique.

Anna Maria Kieffer (voz)
Gisela Nogueira (viola)
Edelton Gloeden (guitarra)

 

 

01. Árias de Marília de Dirceu 1. Sucede, Marília bela
02. Árias de Marília de Dirceu 2. Já, já me vai, Marília, branquejando
03. Árias de Marília de Dirceu 3. Os mares, minha bela, não se movem
04. Árias de Marília de Dirceu 4. De que te queixas, língua importuna
05. Árias de Marília de Dirceu 5. Eu vejo, ó minha bela, aquele númen
06. Árias de Marília de Dirceu 6. A estas horas eu procurava
07. Árias de Marília de Dirceu 7. Arde o velho barril
08. Árias de Marília de Dirceu 8. Ah! Marília, que tormento
09. Árias de Marília de Dirceu 9. Alma digna de mil avós augustos
10. Árias de Marília de Dirceu 10. Vejo, Marília, que o nédio gado
11. Árias de Marília de Dirceu 11. Por morto, Marília, aqui me reputo
12. Árias de Marília de Dirceu 12. Se o vasto mar se encapela
13. Liras faladas de Marília de Dirceu (Alemão) – Ich bin kein obdachloser Hirtenknabe (traduzido por Ferdinand Schmid, na voz de Walter Weiszflog)
14. Liras faladas de Marília de Dirceu (Espanhol) – Tu no verás, Marília, a cien cautivos (traduzido e interpretado por J. Ruedas de la Serna)
15. Liras faladas de Marília de Dirceu (Francês) – Que la vile calomnie exprime entre ses mains (traduzido por E. de Monglave e P. Chalas, na voz de Jean-Claude Frison)
16. Liras faladas de Marília de Dirceu (Inglês) – I gaze, comely Marília, at your tresses (traduzido por Isaac Goldberg, na voz de José Mindlin)
17. Liras faladas de Marília de Dirceu (Italiano) – Cupido lasciato il greve turcasso (traduzido por G. Veggessi-Ruscalla, na voz de Anna Maria Kieffer)
18. Liras faladas de Marília de Dirceu (Latim) – Omnia cedunt: nil nobis, Amaryllis in orbe (traduzido por Castro Lopes, nas vozes de João Adolfo Hansen e Anna Maria Kieffer)
19. Liras faladas de Marília de Dirceu (Russo) – S portugálskovo (traduzido por A. S. Púchkin, na voz de Boris Schaiderman)

Memória Musical Brasileira – Marília de Dirceu – 2000
Autor: Thomaz Antonio Gonzaga (Porto,1744-Ilha de Moçambique, 1810), musicada por compositor anônimo da mesma época (Marcos Portugal?)
Anna Maria Kieffer (voz), Gisela Nogueira (viola), Edelton Gloeden (guitarra)

memoria

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 | 320 kbps | 126,9 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC | 226,5 MB

powered by iTunes 12.3.3 | 47,2 min

 

 

Boa audição!

music tree

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Avicenna

30 comments / Add your comment below

  1. Nunca deixo de me admirar com as suas postagens, e confesso que tenho um tiquinho de inveja de seu acervo.
    Ficam aqui os parabéns pelo Aniversário e pelas outras conquistas, e Saravá !!!!

  2. Olá caro conterrâneo Avicenna!

    Em primeiro lugar, parabéns pelo aniversário, que tua saúde e disposição continuem inalteradas pelas décadas vindouras. Que tua dedicação à música sacra, uma das pérolas deste site ímpar, seja uma constante no porvir.

    Em segundo, minhas felicitações por todas as suas conquistas acima elencadas!

    Saravá e Salam Aleikum!

  3. Olá Avicenna, Parabéns e muitas felicidades e …..Saravá!!!! Estamos próximos no niver, o meu foi no sábado dia 13.
    Bela Postagem… A pintura que aparece na capa do disco representa a Primavera e se encontra na Igreja Matriz de Nossa Senhora do Pilar, em Ouro Preto – aqui, ao lado da minha casa.
    Estive ontem em São João D’El Rei e trouxe de lá 4 preciosidades… O presidente da Ribeiro Bastos me presenteou com 4 lps da orqustra. Como diria o nossso amigo PQP: IM-PER-DÍ-VEIS!!!!!!!! Já estou providenciando o envio pra vc!!
    Mais uma vez Parabéns e Saravá!!!!

    1. Ao aniversário do Jorge Tadeu, dia 13, saravá !!
      Ao presidente da Ribeiro Bastos, saravá !!
      À generosidade pisciana do Jorge Tadeu, saravá !!

  4. Avicena:

    Parabéns triplo: pela postagem (e também ao amigo que te fornceceu o CD), por parar o vício e pelo aniversário.

    Obs.: só não pare o vício da boa música.

    Um abraço.

    Hélio.

  5. Ei Avicenna,parabéns!

    Meu pai diz que a coisa mais fácil é parar de fumar.

    Ele mesmo,já parou umas trinta vezes.

    Vai comemorar ouvindo o que ?

    Abraço!

  6. Avicenna,
    Eu os comprei em SP, na Livraria Cultura, na época do lançamento.
    Tenho 5 Cds:
    – Marília de Dirceu;
    – Viagem pelo Brasil (canções recolhidas por Spix e Martius + algumas modinhas);
    – Teatro do Descobrimento (canções ibéricas + recolhidas por Jean de Léry + recolhidas por Hans Staden)
    – 1900: a virada do século (canções de câmara de Nepomuceno, Francisco Braga e Chiquinha Gonzaga);
    – Cancioneiro da Imigração (2 cds com músicas de grupos formadores do Brasil e imigrantes – curiosamente, entre alemàes, russos, espanhóis e armênios, há “nordestinos”)
    **
    Posso digitalizar, se quiser… Mas nào sei como fazer o upload.

  7. magnifico… nem ouvi ainda o cd (que ainda esta baixando), mas so a pesquisa sobre Marilia de Dirceu, e atestar que Thomaz Antonio Gonzaga é o mesmo da Inconfidencia Mineira… ja valeu. obrigado

  8. Olá, Avicenna! Maravilhosa postagem! Mas me restou uma dúvida: os poemas são de Gonzaga, mas e os arranjos musicais?

    Um abraço!

    1. Thiago, atribui-se a Marcos Portugal as músicas. Leia no resumo da postagem:

      Autor: Thomaz Antonio Gonzaga (Porto,1744-Ilha de Moçambique, 1810), musicada por compositor anônimo da mesma época (Marcos Portugal?)

      Um abraço,

      Avicenna

Deixe uma resposta