Luigi Nono (1924–1990): Un volto, e del mare / Non consumiamo Marx

É notável como Luigi Nono envelheceu rapidamente. Antes, gostava de todas as suas obras, mas hoje muitas delas me parecem para lá de datadas. Não sei o que vocês dirão, porém, para mim, sua música tornou-se ruim e chata. O disco que posto em mp3 tem como origem um LP que nunca foi editado em CD. Ouça a raridade e depois briguem comigo à vontade. A possível simpatia ideológica não bastou para que eu gostasse da coisa.

Nono
Luigi Nono – 1969 – Un volto, e del mare & non consumiamo marx – para voz e gravação eletrônica

Lado A — Un Volto, Del Mare 16:46
Lyrics By – Cesare Pavese
Voice – Kadigia Bove, Liliana Poli

Lado B — Non Consumiamo Marx 17:36
Voice – Edmonda Aldini

Both tracks for voice and magnetic tape.
Lyrics for track A from the Cesare Pavese poem “Il Mattino”.
Lyrics for track B from writings on Paris walls (May 1968), documents on fights against Biennale di Venezia (June 1968) and found voices recorded live during street demonstrations.

Composed By – Luigi Nono
Technician [Magnetic Tapes] – Marino Zuccheri

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Luigi Nono e sua orquestra de botões
Luigi Nono e sua orquestra de botões

PQP

6 comments / Add your comment below

  1. Vou “morder a isca”, PQP.

    Na minha opinião, a música de Nono:

    Não é, e nunca foi, (tecnicamente) ruim.

    É, e sempre foi, chata.

    Mas creio que a chatice, em Nono, é intencional.

    O Nono me faz lembrar aqueles líderes de greve em extinção, que fazem questão de irritar todo mundo com argumentos articulados, convincentes e dramáticos, no sentido de que o mundo está todo errado, toda a humanidade é explorada, e só a revolução salva. Militante “no úrtimo”. Pode ser momentaneamente empolgante se você está de mal com a vida e com o sistema capitalista e quer aumento de salário, mas logo “satura” o saco do ouvinte mais antiburguês.

  2. Nono sempre foi um dos contemporâneos que mais me agradou… a maneira quase lírica de combinar o acústico e o eletrônico é tudo, menos chata. às vezes, massacrante, densa. engajada? sim, mas quase toda música contemporânea o é. pelo menos no sentido estritamente musical.

  3. tudo bom pessoal!!! parabens pelo trabalho como sempre!!! vcs podem dar um reupload do cd?!?!? gostaria muito!!!!

    grande abraço!!! em breve vou mandar trabalhos meu para ai!!

Deixe uma resposta