Frank Zappa (1940-1993) – Boulez conducts Zappa

Quem caberia melhor no perfil do título deste álbum, The perfect stranger*? Pierre Boulez, por reger obras do talvez mais conceitual e experimental roqueiro que já existiu até o momento, ou Frank Zappa, por ser tão ousado em suas experiências musicais ao ponto de adentrar a música atonal e acusmática?

A verdade é que Zappa era tão antenado com a vanguarda de qualquer gênero musical – jazz, rock, fusion ou música erudita – que não poderia deixar, ao se aventurar na “música de concerto”, de despertar os olhares de um papa da música contemporânea. E Boulez recrutou sem pestanejar seu Ensemble Intercontemporain para executar as peças camerísticas do americano off style.

Gostaria de traduzir e postar aqui os breves comentários sobre cada obra, conforme escreveu Zappa, mas deixo para vocês lerem o encarte (em inglês).

Não é meu CD preferido do genial bigodudo. Prefiro as obras orquestrais com a Sinfônica de Londres regida por Kent Nagano – acho que não há nada mais mixórdico e audacioso dele utilizando uma orquestra (aguardem).

Como não poderia deixar de ser, o presente álbum foi gravado no Ircam.

***

* Por que tanto disco de rock tem esse título?

***

The perfect stranger – Boulez conducts Zappa

1. The Perfect Stranger
2. Naval Aviation in Art?
3. The Girl in the Magnesium Dress
4. Dupree’s Paradise
5. Love Story
6. Outside Now Again
7. Jonestown

BAIXE AQUI

CVL

10 comments / Add your comment below

  1. Muito bom, mano Ciço. Sou suspeito para falar do Zappa, o considero um dos maiores músicos do século XX, e este disco é uma beleza.
    Boulez e Zappa, uma dupla que só podia dar certo.
    Prometi postar o “Yelow Shark”, mas ele não está comigo… lamentável.. se tiveres, pode mandar bala.

  2. CVL, qual a qualidade das mp3? É que eu já tenho esse disco em mp3 aqui, mas dependendo da qualidade das desse post eu baixo mais uma vez… hehe! ;¬)

Deixe uma resposta