BTHVN250 – A Obra Completa de Ludwig van Beethoven (1770-1827) – Temas com variações para piano, Opp. 105 & 107 – Mustonen

Ao encomendar os “temas variados” a Beethoven, George Thomson insistiu em que as peças devessem ser apropriadas à execução por amadores. Sua experiência prévia com profissionais como Haydn e Hummel, no entanto, jamais teria sido capaz de prepará-lo para o trato com alguém como Ludwig, que, embora precisasse do dinheiro, não tinha lá muito tino para compor para amadores. Nosso herói escreveu para Thomson doze séries de variações em 1818 e outras quatro em 1819, incluindo posteriormente alternativas mais simples para variações que Thomson considerou muito difíceis. Essas versões simplificadas ainda acabaram bem longe do alcance dos dedos dos diletantes, e o editor, temendo pelas vendas e erguendo uma bandeira branca, pediu a Beethoven que incluísse ao menos uma parte ad libitum para flauta ou violino, que nós já lhes apresentamos ontem e anteontem. Não adiantou: apenas nove dos doze temas variados foram publicados em Londres, com vendas mornas. O compositor não se importou muito com o insucesso de Thomson, pois planejava desde o início publicar as obras também na Europa continental, e assim levou à prensa seis dos temas variados em Viena como seu Op. 105, e os dez remanescentes (incluindo aqueles descartados por Thomson) em Bonn, com seu velho amigo Simrock e sob o Op. 107. Os temas britânicos foram sugeridos por Thomson, que legou a Beethoven a responsabilidade de escolher melodias continentais que fossem de seu agrado. De olho nas vendas, Beethoven escolheu temas muito populares dos Singspiele  e comédias vienenses, bem como temas folclóricos de outros países. O interesse pela Rússia era grande, na época, de modo que várias canções nominalmente russas aparecem na coletânea, embora a maior parte dela tenha sua origem na Ucrânia – oficialmente chamada de “Pequena Rússia” nos tempos czaristas.

As variações em sua forma original, para piano, parecem menos triviais que as versões em duo que já ouvimos e, ainda que não deem voos altos como as grandes séries de variações paridas por Beethoven, elas são atraentes o bastante para entreter sem comprometer. A escolha da gravação foi fácil, porque é a única disponível comercialmente: menos pior que quem a fez foi Olli Mustonen, um ótimo pianista finlandês que muito se dedica às obras de Beethoven e que parece se divertir ao colorir e inventar (pois, além de intérprete, ele também é compositor) sobre esses mimosos caça-níqueis que Ludwig nos legou ao entrar na reta final de sua danada vida.

Ludwig van BEETHOVEN (1770-1827)

Seis temas folclóricos com variações para piano, Op. 105
Compostas entre 1818-19
Publicadas em 1819

1 –  Air écossais (The Cottage Maid). Andantino quasi allegretto
2 – Air écossais (Of Noble Stock was Shinkin). Allegretto scheroso
3 – Air autrichien (A Schüsserl und a Reindel). Andantino
4 – Air écossais (Sad and luckless was the season). Andante espressivo assai
5 – Air écossais (Put round the bright wine). Allegretto spiritoso
6 – Air écossais (English Bulls). Allegretto più tosto vivace

Dez temas folclóricos com variações para piano, Op. 107
Compostas entre 1818-19
Publicadas em 1820

7 – Air tirolien (I bin a Tiroler Bua). Moderato
8 – Air écossais (Bonny Laddie, Highland Laddie). Allegretto, quasi vivace
9 – Air de la petite Russie. Vivace
10 – Air écossais (The Pulse of an Irishman). Allegretto scherzo
11 – Air tirolien (A Madel, ja a Madel). Moderato
12 – Air écossais (Merch Megan). Andante commodo
13 – Air russe (Schöne Minka). Andante
14 – Air écossais  (O Mary, at thy Window Be). Andantino quasi allegretto
15 – Air écossais (Oh, Thou art the Lad of my Heart). Allegretto più tosto vivace
16 – Air écossais (The Highland Watch). Spirituoso e marciale

Olli Mustonen, piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

 

“Mustonen”, em finlandês, significa “adoro o sabor de meu lábio inferior”

 

#BTHVN250, por René Denon

Vassily

1 comment / Add your comment below

Deixe uma resposta