Schubert & Schoenberg: Quinteto D. 956 e Noite Transfigurada

Excelente interpretação da Noite de Schoenberg e um pouco de falta de charme no Schubert. É um problema. Sabe-se tocar bem o moderno mas depois entra duro demais no melodismo extremo de Schubby. Acho que assim dá para resumir este CD cuja estrela maior é a bela Janine Jansen. Mas o repertório é extraordinário. O Quintetão de Schubert é uma coisa e a Noite então?

Schubert & Schoenberg: Quinteto D. 956 e Noite Transfigurada

1. Schoenberg: Verklärte Nacht, Op.4 – 1. Sehr langsam (bar 1) 6:41
2. Schoenberg: Verklärte Nacht, Op.4 – 2. Breiter (bar 200) 6:27
3. Schoenberg: Verklärte Nacht, Op.4 – 3. Schwer betont (bar 201) 2:36
4. Schoenberg: Verklärte Nacht, Op.4 – 4. Sehr breit und langsam (bar 229) 9:40
5. Schoenberg: Verklärte Nacht, Op.4 – 5. Sehr ruhig (bar 370) 4:22

6. Schubert: String Quintet in C, D.956 – 1. Allegro ma non troppo 19:39
7. Schubert: String Quintet in C, D.956 – 2. Adagio 14:09
8. Schubert: String Quintet In C, D.956 – 3. Scherzo (Presto) – Trio (Andante sostenuto) 9:34
9. Schubert: String Quintet in C, D.956 – 4. Allegretto 9:49

Janine Jansen
Boris Brovtsyn
Amihai Grosz
Maxim Rysanov
Torleif Thedeen
Jens Peter Maintz

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Janine Jansen, Violine

PQP

6 comments / Add your comment below

  1. Ouvi essa violinista ao vivo alguns meses atrás tocando a sonata pra violino do Bartok e o quinteto em sol menor do brahms, foi espetacular, realmente muito bom! nao ouvi ainda esse cd, estou baixando agora.. e de fato, ela eh bem lindinha…

    PS: PQP, voces nao costumam postar musica mais moderna (claro que existem posts, mas eh predominante de bartók/schoenberg/stravinsky para trás..). Existem coisas muito boas (apesar de outras tambem muito ruins)! Descobri um blog de um critico do TheGuardian que fez uma serie sobre musica contemporânea muito bom! http://www.theguardian.com/music/series/a-guide-to-contemporary-classical-music?page=4
    Imagino que voce ja conheca bastante, mas acho que valeria a pena começar a inserir a musica nova no blog e tirar o misticismo que muita gnt tem (eu tinha muito) de que é tudo só diferentes formas de fazer barulho
    Abraço

  2. A obra que mais amo de Schoenberg e das que mais amo de Schubert. Maravilhas. Deveras, são universos distintos e desafiadores. A Noite… só na versão original pra sexteto, como nesta gravação. Como sempre, gratíssimo.

  3. Maravilhosa gravação de ambas as obras. Sensibilíssima e refinada interpretação da Noite… embora prefira ainda outra com o Da Salo. O Schubert surpreendeu pela maturidade da interpretação, embora nada se compare à do L’arcchibudelli, mas o que se pode comparar a eles? penso que o quinteto é não somente uma das maiores criações da música, mas de toda a arte em geral. O movimento lento é um dos maiores discursos humanos já colocados em música, e um discurso humano nada vão – pra citar Camões. Rs
    Maravilha, obrigado, como sempre.

Deixe uma resposta