Gustav Mahler (1860-1911) – Symphony n° 7 – LSO – Gergiev

frontPela constante ausência, e demora nas postagens, os senhores já devem ter sentido que os membros deste blog andam à mil, sem tempo para se dedicar ao que mais gostam de fazer. Os motivos são vários, desde fatores de cunho pessoal, falta de ânimo, doenças, etc. Eu particularmente, tenho ficado um tanto quanto longe do computador de casa, principalmente nos finais de semana, quando tenho de ceder ás suplicas de minha esposa, assoberbada com os trabalhos finais de sua faculdade (TCC, relatório de estágio, enfim, quem já viveu este drama sabe do que estou falando). Como o meu computador tem tela grande, ela dá preferência a ele, é claro, na hora de escrever, ao invés de usar seu netbook.
Mas mesmo aos trancos e barrancos, vamos continuar com essa saga mahleriana, já quase no final, pois agora vem pela frente só peso pesadíssimo. Hoje vamos com a exuberante Sétima Sinfonia.
E como o tempo urge, vamos ao que interessa.
P.S. Ainda não sei se vou viajar neste feriadão… se não for, vou tentar completar a série até o domingo.

01 – Symphony No. 7 in E minor (-Song of the Night-)- Langsam (Adagio) – Allegro con fuoco
02 – Symphony No. 7 in E minor (-Song of the Night-)- Nachtmusik- Allegro moderato
03 – Symphony No. 7 in E minor (-Song of the Night-)- Scherzo- Schattenhaft
04 – Symphony No. 7 in E minor (-Song of the Night-)- Nachtmusik- Andante amoroso
05 – Symphony No. 7 in E minor (-Song of the Night-)- Rondo – Finale- Allegro ordinario – Allegro moderato ma energetico

London Symphony Orchestra
Valery Gergiev – Conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

4 comments / Add your comment below

  1. Está chegando ao fim… e que fim. A sexta sinfonia é uma loucura. É muito diferente, com elementos mágicos de percussão e uma deliciosa marcha. É tudo meio novo em relação as sinfonias anteriores. Não consegui terminar de ouvir, mas assim que eu terminar já ouvirei a sétima.
    A vantagem dessas publicações integrais é você conhecer e analisar o desenvolvimento de cada compositor. Isso fica muito claro nas sinfonias de Beethoven, não se comparam as 1° e 2°, com as 7° e 9° sinfonias de Beethoven. Com Mahler o que posso previamente concluir é uma transição muito radical a cada sinfonia.
    Mas enfim, grato também por essa série das sinfonias de Mahler. E bom feriado a todos.

Deixe uma resposta