.: interlúdio :. John Zorn: Spy Vs Spy (The Music of Ornette Coleman)

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Meus amigos pequepianos, meus amores, não vou lhes enganar. Este CD de John Zorn é de uma tal pauleira que pulveriza os esforços e torna dietética a imensa maioria dos grupos de heavy metal. O que quero dizer é que a grande música contida em Spy Vs Spy não é para estômagos fracos que iniciam seus domingos ouvindo a primavera de Vivaldi e sim para aqueles que desejam ver os passarinhos vivaldianos perecerem arregalados sob o tremor de baixo, bateria e saxofones alucinantes. O CD começa em altíssima rotação, depois até pisa no freio, reduzindo a velocidade para os 220 Km/h.

Mas assim é a música de Coleman e assim é Zorn, que a acentuou. Sua intensidade é a do rock, mas a dificuldade é absurda. Há fanáticos por este disco e há pessoas que o odeiam mortalmente. Difícil ficar indiferente quando de uma audição. Eu e meu filho estamos no primeiro grupo. Mas nunca o toco perto de outrem que desconheço. Não sou louco.

Volume bem alto, OK? A menos que vocês tenham vizinhos bregas armados. Ou milicianos.

São dois saxofones, duas baterias e um seguríssimo baixo dando o maior chocolate.

John Zorn: Spy Vs Spy (The Music of Ornette Coleman)

1 WRU 2:38
2 Chronology 1:08
3 Word For Bird 1:14
4 Good Old Days 2:44
5 The Disguise 1:18
6 Enfant 2:37
7 Rejoicing 1:38
8 Blues Connotation 1:05
9 C. & D. 3:05
10 Chippie 1:08
11 Peace Warriors 1:20
12 Ecars 2:28
13 Feet Music 4:45
14 Broad Way Blues 3:42
15 Space Church 2:28
16 Zig Zag 2:54
17 Mob Job 4:24

Bass – Mark Dresser
Drums – Joey Baron, Michael Vatcher
Saxophone – Tim Berne
Saxophone, Producer – John Zorn

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

PQP

4 comments / Add your comment below

  1. Reconheço que John Zorn não é a melhor trilha sonora para esta bela manhã de domingo, com uma neblina ainda cobrindo tudo.
    Mas não posso também deixar de reconhecer a pedreira que é esse CD, produto de primeira para estômagos fortes, como disse PQP.

  2. Caro PQP,
    Não fosse por um almoço em grande quantidade – não qualidade, porque comida de xópis é uma porcaria by the way – eu teria tido um troço com esta porrada em forma de CD. Hoje me soou de fato pesado, mas ouvirei mais algumas vezes só para garantir, hehehe.
    Vlw!!!

  3. John Zorn é uma figura no mínimo versátil. Alguns álbuns gravados por ele me fazem lembrar a insana dupla de japoneses do The Ruins. Na contramãe desse pandemônio, há um álbum muitíssimo belo: Alhambra Loves Songs.

Deixe uma resposta