Christmas with Vienna Boys’ Choir 2020

Christmas with Vienna Boys’ Choir 2020

O Coro de Meninos de Viena é um coro de meninos sopranos e contraltos sediado em Viena, Áustria. É um dos corais de meninos mais conhecidos do mundo. Os meninos são selecionados principalmente da Áustria, mas também de muitos outros países. O coro é uma organização privada sem fins lucrativos. Existem aproximadamente 100 coristas com idades entre nove e quatorze anos. Cada grupo faz turnês por cerca de nove a onze semanas. Algumas peças incluem “Good Morning” e “Merry Christmas from Vienna Boys”.

Esta postagem é dedicada a todos os ouvintes que enfrentaram este difícil ano ao nosso lado, assim como é dedicada aos meus fiéis companheiros pequepianos que nunca desistem, numa clara demonstração de alta resiliência! Um Feliz Natal !! Paz e Saude !!

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE 
XLD RIP | FLAC | 492 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 | 320 KBPS | 199 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 1 h 35 min

🇧🇷 Você baixou um arquivo .rar. Para descompactá-lo, use o Archive Online, um descompactador online e gratuito, para plataformas Mac e Win = https://extract.me/pt/

🇬🇧 You have downloaded a .rar file. To extract it, use the Archive Online, an online and free tool that can extract over 70 types of compressed files,  on a Mac or a Win platforms = https://extract.me/

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

Classical Music For Dummies – The essentials – vol. 7/50 – Rachmaninoff, (Rússia, 1873 – Estados Unidos, 1943)


“Música Clássica para Leigos” (“Classical Music For Dummies”) é uma série de lançamentos projetados pela Deutsche Grammophon para oferecer aos  leigos recém-chegados uma introdução perfeita ao mundo da música clássica.

A série é composta por 50 CDs de música clássica dedicados a diferentes compositores, maestros, pianistas, violinistas e cantores, a maioria contratados ou ex-contratados pela gravadora.

Rachmaninoff – The Essencials

Sergei Vasilievich Rachmaninoff (Semyonovo, 1 de abril de 1873 — Beverly Hills, 28 de março de 1943) foi um compositor, pianista e maestro russo, um dos últimos grandes expoentes do estilo Romântico na música erudita ocidental. 

Rachmaninoff é tido como um dos pianistas mais influentes do Século XX. Seus trejeitos técnicos e rítmicos são lendários, e suas mãos largas eram capazes de cobrir um intervalo de uma 13ª no teclado (um palmo esticado de cerca de 30 centímetros). Especula-se se ele era ou não portador da Síndrome de Marfan, já que se pode dizer que o tamanho de suas mãos correspondia à sua estatura, algo entre 1,91 e 1,98 m. Ele também possuía a habilidade de executar composições complexas à primeira audição. Muitas gravações foram feitas pela Victor Talking Machine Company, com Rachmaninoff executando composições próprias ou de repertórios populares.

Sua reputação como compositor, por outro lado, tem gerado controvérsia desde sua morte. A edição de 1954 do Grove Dictionary of Music and Musicians notoriamente desprezou sua música como “monótona em textura… consistindo principalmente de melodias artificiais e feias” e previu seu sucesso como “não duradouro”. Harold C. Schonberg, em seu livro A Vida dos Grandes Compositores, considerou que a referência “figura entre as mais esnobes e estúpidas jamais encontradas em um livro que supostamente deve ser objetivo”. De fato, não apenas os trabalhos de Rachmaninoff tornaram-se parte do repertório padrão, mas sua popularidade tanto entre músicos quanto entre ouvintes vem, no mínimo, crescendo desde a segunda metade do Século XX, com algumas de suas sinfonias e trabalhos orquestrais, canções e músicas de coral sendo reconhecidas como obras-primas ao lado dos trabalhos para piano, mais populares.

Suas composições incluem, dentre várias outras: quatro concertos para piano; a famosa Rapsódia sobre um tema de Paganini; três sinfonias; duas sonatas para piano; três óperas; uma sinfonia para coral (The Bells, ou Os Sinos, baseado no poema de Edgar Allan Poe); vinte e quatro prelúdios(incluindo o famoso Prelúdio em Dó Sustenido Menor); dezessete études; muitas canções, sendo as mais famosas a V molchanyi nochi taynoi (No Silêncio da Noite), Lilacs e a sem-letra Vocalise; e o último de seus trabalhos, as Danças Sinfônicas. A maioria de suas peças é carregada de melancolia, um estilo romântico tardio lembrando Tchaikovsky, embora apareçam fortes influências de Chopin e Liszt. Inspirações posteriores incluem a música de Balakirev, Mussorgsky, Medtner e Henselt.

Rachmaninoff – The Essencials
01. Mischa Maisky – Vocalise, Op. 34, No. 14 – Version For Cello And Piano
02. Lilya Zilberstein – 13 Preludes, Op. 32 : No. 12 in G-Sharp Minor: Allegro
03. Lilya Zilberstein – 13 Preludes, Op. 32 : No. 4 in E Minor: Allegro con brio
04. Lilya Zilberstein – 13 Preludes, Op. 32 : No. 5 in G Major: Moderato
05. Lilya Zilberstein – 13 Preludes, Op. 32 : No. 2 in B-Flat Minor: Allegretto
06. Tamás Vásáry – Rhapsody On A Theme Of Paganini, Op.43 : Introduction, Variation 1, 2, 3, 4, 5, 6
07. Tamás Vásáry – Rhapsody on a Theme of Paganini, Op. 43 : Variation 16 und 17
08. Tamás Vásáry – Rhapsody on a Theme of Paganini, Op. 43 : Variation 18
09. Sergej Larin – The Bells, Op. 35 : 1. Allegro ma non tanto (Silver Bells)
10. Sviatoslav Richter – Piano Concerto No. 2 in C Minor, Op. 18 : 1. Moderato
11. Sviatoslav Richter – Piano Concerto No. 2 in C Minor, Op. 18 : 2. Adagio sostenuto
12. Sviatoslav Richter – Piano Concerto No. 2 in C Minor, Op. 18 : 3. Allegro scherzando
13. Sviatoslav Richter – 10 Preludes, Op. 23 : No. 5 Alla marcia in G Minor
14. Galina Vishnevskaya – 15 Romances, Op.26 : No. 12 Noch′ pechal′na
15. Galina Vishnevskaya – 6 Romances, Op.4 : No. 4 Ne poy, krasavitsa, pri mne
16. Galina Vishnevskaya – 14 Romances, Op. 34 : No. 8 Muzyka
17. Galina Vishnevskaya – 12 Romances, Op. 14 : No. 11 Vesenniye vody
18. Berliner Philharmoniker – Symphony No. 1 in D Minor, Op. 13 : 2. Allegro animato
19. Berliner Philharmoniker – Symphonic Dances, Op. 45 : I. Non allegro
20. Berliner Philharmoniker – Symphonic Dances, Op. 45 : II. Andante con moto (Tempo di valse)
21. Berliner Philharmoniker – Symphonic Dances, Op. 45 : 3. Lento assai – Allegro vivace
22. Tamás Vásáry – Piano Concerto No. 3 in D Minor, Op. 30 : 1. Allegro ma non tanto
23. Berliner Philharmoniker – Symphony No. 2 in E Minor, Op. 27 : 3. Adagio
24. Berliner Philharmoniker – The Isle Of The Dead, Op. 29
25. Berliner Philharmoniker – The Rock, Op. 7

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC | 750 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 | 320 KBPS | 417 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 3 h 20 min

Palhinha – 08. Tamás Vásáry – Rhapsody on a Theme of Paganini, Op. 43 : Variation 18.

🇧🇷 Você baixou um arquivo. Para descompactá-lo, use o Archive Online, um descompactador online e gratuito, para plataformas Mac e Win = https://extract.me/pt/

🇬🇧 You have downloaded a file. To extract it, use the Archive Online, an online and free tool that can extract over 70 types of compressed files,  on a Mac or a Win platforms = https://extract.me/

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

Classical Music For Dummies – The essentials – vol. 6/50 – Giuseppe Verdi (Itália, 1813 – 1901)


“Música Clássica para Leigos” (“Classical Music For Dummies”) é uma série de lançamentos projetados pela Deutsche Grammophon para oferecer aos  leigos recém-chegados uma introdução perfeita ao mundo da música clássica.

A série é composta por 50 CDs de música clássica dedicados a diferentes compositores, maestros, pianistas, violinistas e cantores, a maioria contratados ou ex-contratados pela gravadora.

Verdi – The Essencials

Giuseppe Verdi (1813-1901) foi músico italiano. Autor das óperas, “Otello”, “La Traviata”, “Rigoletto”, “Il Travatore”, “Aída”, entre outras. Foi o maior músico italiano do século XIX.

Giuseppe Verdi nasceu em Roncolle, hoje Roncole Verdi, ducado de Parma, próximo de Busseto, Itália, no dia 10 de outubro de 1813.

Quando nasceu, Roncole estava ocupada pelos franceses e Giuseppe Fortunino Francesco foi obrigatoriamente registrado como Joseph Fortunin François.

De família humilde, Verdi estudou música graças a seu benfeitor Antonio Barezzi. Em 1831, Ferdinando Povesi, regente da orquestra de Roncole, o enviou para estudar em Milão.

Porém, Verdi não foi aceito pelo Conservatório de Milão e passou três anos estudando com um músico do Scala. Na volta, obteve o cargo de diretor musical de sua cidade.

Nessa época, casa-se com Margherita, filho ade seu primeiro protetor. Juntos tiveram dois filhos.

Em 1939, estreou no Scala de Milão com a ópera, Oberto, Conde de San Bonifácio, conseguindo imediata aceitação de parte do público.

A apresentação da ópera foi seguida da morte de sua filha Virgínia, de seu filho Icílio e de sua esposa Margherita.

Desesperado, o compositor jurou que jamais ariaria outra ópera. Em 1842, no entanto, Nabuco obteve extraordinário sucesso em Milão, em parte por sua descrição do cativeiro judeu na Babilônia.

A celebridade de Verdi consolidou-se com uma série de óperas de temas literários e históricos: Ernani (1844), Joana d’Arc e Macbeth (1847).

Depois de uma estada em Paris, Verdi estabeleceu-se perto de Busseto com a soprano Giuseppina Strepponi, com quem manteve uma feliz e duradoura união, oficializada em 1859.

Em 1848, satisfeito com os acontecimentos da revolução, Verdi abandonou o gênero patriótico em suas óperas e escreveu três obras-primas: Rigoletto (1851), Il Trovatore (1853) e La Traviata (1853).

Tendo alcançado grande prestígio internacional, Verdi alternou a criação de obras para a Ópera de Paris com trabalhos artisticamente mais ambiciosos, como: “Simon Boccanegra” (1857), “Um Ballo in Maschera” (1859) e “La Forza del Destino” (1862).

Em 1860, com a Itália unificada, Verdi livrou-se dos censores austríacos. Por insistência do conde Cavour, tornou-se deputado por um breve período e não teve ativa participação política.

Em 1871, recebeu o convite e a encomenda de uma ópera para a inauguração do Canal de Suez. Verdi compôs a célebre Ainda, com que atingiu o auge de sua carreira, sempre auxiliado por sua nova companheira, a soprano Giuseppina, que faleceu em 1879.

Giuseppe Verdi, Também influenciado por sua mulher, compôs temas shakespearianos como as óperas “Otello” (1887) e “Falstaff” (1893), suas duas últimas óperas, que representaram o auge da integração entre os elementos musicais e dramáticos.

Verdi escreveu também um Requiem e muitas composições para piano e orquestra. Em seus últimos anos Verdi dedicou-se à composição de peças religiosas.

Em 1895, Giuseppe Verde recebeu do rei da Itália o título de Marquês de Busseto.

Giuseppe Verdi faleceu em Milão, Itália, no dia 27 de janeiro de 1901 cercado de respeito de toda a Itália.(ex-https://www.ebiografia.com/giuseppe_verdi/)

Verdi – The Essentials
01. La Traviata : Libiamo ne’lieti calici
02. Rigoletto : La donna è mobile
03. Nabucco : Va pensiero, sull’ali dorate
04. Aida : Grand March
05. Messa da Requiem : 2. Dies irae
06. La Traviata : Sempre libera
07. Aida : Se quel guerrier io fossi!..Celeste Aida
08. La Traviata : E strano! – Ah, fors’è lui
09. Il Trovatore : Stride la vampa!
10. Don Carlo : O don fatale
11. Falstaff : Dal labbro il canto estasiato vola
12. Otello : Esultate!
13. Rigoletto : Preludio
14. Un ballo in maschera : Ecco l’orrido campo
15. Il Trovatore : D’amor sull’ali rosee
16. La forza del destino : Overture (Sinfonia)
17. La Traviata : Tenesta la promessa…Attendo, né a me giungon mai…Addio del passato
18. Il Corsaro : Eccomi prigionero!
19. Macbeth- Version 1865 For The Paris Opéra : Una macchia è qui tuttora
20. La Traviata : Ah! Dite alla giovine
21. Il Trovatore : Di quella pira
22. Macbeth : Una macchia è qui tuttora
23. Nabucco / Act 1 : Gli arredi festivi
24. Aida : Overture
25. String Quartet In E Minor : 3. Prestissimo

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC | 446 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 | 320 KBPS | 228 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 1 h 49 min

Palhinha – 03. Nabucco : Va pensiero, sull’ali dorate

🇧🇷 Você baixou um arquivo .rar. Para descompactá-lo, use o Archive Online, um descompactador online e gratuito, para plataformas Mac e Win = https://extract.me/pt/

🇬🇧 You have downloaded a .rar file. To extract it, use the Archive Online, an online and free tool that can extract over 70 types of compressed files,  on a Mac or a Win platforms = https://extract.me/

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

Classical Music For Dummies – The essentials – vol. 5/50 – The Baroque (c.1600 to 1750)


“Música Clássica para Leigos” (“Classical Music For Dummies”) é uma série de lançamentos projetados pela Deutsche Grammophon para oferecer aos  leigos recém-chegados uma introdução perfeita ao mundo da música clássica.

A série é composta por 50 CDs de música clássica dedicados a diferentes compositores, maestros, pianistas, violinistas e cantores, a maioria contratados ou ex-contratados pela gravadora.

Baroque – The Essencials

Música barroca é toda música ocidental correlacionada com a época cultural homônima na Europa, que vai desde o surgimento da ópera por Claudio Monteverdi no século XVII, até a morte de Johann Sebastian Bach, em 1750.

Trata-se de uma das épocas musicais de maior extensão, fecunda, revolucionária e importante da música ocidental, e provavelmente também a mais influente. As características mais importantes são o uso do baixo contínuo, do desejo e da harmonia tonal, em oposição aos modos gregorianos até então vigente. Na realidade, trata-se do aproveitamento de dois modos: o modo jônico (modo “maior”) e o modo eólio (modo “menor”). Essa era seguiu a era da música renascentista e foi seguida, por sua vez, pela era clássica. A música barroca constitui uma parte importante do cânone “clássico”, e agora é amplamente estudada, executada e ouvida. 

Do Período Barroco na música surgiu o desenvolvimento tonal, como os tons dissonantes por dentro das escalas diatônicas como fundação para as modulações dentro de uma mesma peça musical; enquanto em períodos anteriores, usava-se um único modo para uma composição inteira causando um fluir incidentalmente consonante e homogêneo da polifonia.

Durante a música barroca, os compositores e intérpretes usaram ornamentação musical mais elaboradas e ao máximo, nunca usada tanto antes ou mais tarde noutros períodos, para elaborar suas ideias; fizeram mudanças indispensáveis na notação musical, e desenvolveram técnicas novas instrumentais, assim como novos instrumentos. A música, no Barroco, expandiu em tamanho, variedade e complexidade de performance instrumental da época, além de também estabelecer inúmeras formas musicais novas. Inúmeros termos e conceitos deste Período ainda são usados até hoje.

Os principais compositores da era barroca incluem Johann Sebastian Bach, Antonio Vivaldi, George Frideric Handel, Monteverdi, Scarlatti, Alessandro Scarlatti, Purcell, Georg Philipp Telemann, Jean-Baptiste Lully, Jean-Philippe Rameau, Jean-Baptiste Lully, Tomaso Albinoni, François Couperin, Giuseppe Tartini, Heinrich Schutz, Giovanni Battista Pergolesi, Buxtehude e Johann Pachelbel.

Baroque – Essentials

Georg Friedrich Händel (Alemanha, 1685 – Inglaterra, 1759)
01. Solomon, HWV 67-Arrival Of The Queen Of Sheba
Antonio Lucio Vivaldi (Veneza, 1678-Viena, 1741)
02. Concerto For Violin And Strings In E Major, Op.8, No.1, RV 269 “La Primavera”-1. Allegro
Johann Sebastian Bach (Alemanha, 1685-1750)
03. Brandenburg Concerto No.3 In G Major, BWV 1048-1. (Allegro)
Johann Pachelbel (Alemanha, 1653-1706)
04. Canon in D, P.37
Johann Sebastian Bach (Alemanha, 1685-1750)
05. Suite No.2 in B minor, BWV 1067-7. Badinerie
Georg Friedrich Händel (Alemanha, 1685 – Inglaterra, 1759)
06. Serse / Act 1 HWV40-“Ombra mai fu”
Claudio Giovanni Antonio Monteverdi (Cremona, 1567- Veneza, 1643)
07. Vespro della Beata Vergine, SV 206-1. Domine ad adiuvandum a 6
Louis-Claude Daquin (França, 1694-1772)
08. Premier livre de pieces de clavecin / Troisième Suite-16. Le coucou
Henry Purcell (Inglaterra, 1659-1695)
09. Come, Ye Sons Of Art Away, Z. 323-3. Sound The Trumpet, Sound
Antonio Lucio Vivaldi (Veneza, 1678-Viena, 1741)
10. Gloria In D Major, RV 589-1. Gloria in excelsis Deo
Tomaso Albinoni (Itália, 1671 – 1750)
11. Adagio For Strings And Organ In G minor
Georg Friedrich Händel (Alemanha, 1685 – Inglaterra, 1759)
12. Messiah, HWV 56 / Pt. 2-“Hallelujah”
Johann Sebastian Bach (Alemanha, 1685-1750)
13. Suite No.3 in D, BWV 1068-2. Air
Antonio Lucio Vivaldi (Veneza, 1678-Viena, 1741)
14. Concerto For Violin And Strings In F Minor, Op.8, No.4, RV 297 “L’inverno”-1. Allegro non molto
Georg Friedrich Händel (Alemanha, 1685 – Inglaterra, 1759)
15. Music For The Royal Fireworks: Suite HWV 351-4. La Réjouissance
Georg Philipp Telemann (Alemanha, 1681-1767)
16. Tafelmusik-Banquet Music In 3 Parts / Production 1-1. Ouverture-Suite In E Minor-6. Air. Un peu vivement
Johann Sebastian Bach (Alemanha, 1685-1750)
17. Herz und Mund und Tat und Leben, Cantata BWV 147-Arr. Guillermo Figueroa-10. Jesu, Joy Of Man’s Desiring
Jean-Philippe Rameau (França, 1683-1764)
18. 6 Concerts transcrits en sextuor / 6e concert-1. La poule (Live)
Giovanni Battista Pergolesi (Iesi, 1710-Pozzuoli, 1736)
19. Stabat Mater, P. 77-1. Stabat Mater
Jean-Philippe Rameau (França, 1683-1764)
20. Hippolyte et Aricie-Overture
Domenico Scarlatti (Nápolis, 1685 – Espanha, 1757)
21. Sonata In E, K.380
Georg Friedrich Händel (Alemanha, 1685 – Inglaterra, 1759)
22. Zadok The Priest, HWV 258
Johann Sebastian Bach (Alemanha, 1685-1750)
23. Christmas Oratorio, BWV 248 / Part Two-For The Second Day Of Christmas-No.10 Sinfonia
Arcangelo Corelli (Italia, 1653-1713)
24. Concerto grosso In G Minor, Op.6, No.8, MC 6.8 “Fatto per la Notte di Natale”-3. Adagio-Allegro-Adagio
Gregorio Allegri (Itália, 1582-1652)
25. Miserere

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC | 503 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 | 320 KBPS | 215 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 1 h 43 min

Palhinha – 06. Serse / Act 1 HWV40-“Ombra mai fu”, com Andreas Scholl.

🇧🇷 Você baixou um arquivo .rar. Para descompactá-lo, use o Archive Online, um descompactador online e gratuito, para plataformas Mac e Win = https://extract.me/pt/

🇬🇧 You have downloaded a .rar file. To extract it, use the Archive Online, an online and free tool that can extract over 70 types of compressed files,  on a Mac or a Win platforms = https://extract.me/

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

Classical Music For Dummies – The essentials – vol. 4/50 – Johann Sebastian Bach (Alemanha, 1685-1750)

“Música Clássica para Leigos” (“Classical Music For Dummies”) é uma série de lançamentos projetados pela Deutsche Grammophon para oferecer aos  leigos recém-chegados uma introdução perfeita ao mundo da música clássica.

A série é composta por 50 CDs de música clássica dedicados a diferentes compositores, maestros, pianistas, violinistas e cantores, a maioria contratados ou ex-contratados pela gravadora.

Johann Sebastian Bach – The Essentials

Johann Sebastian Bach (Eisenach, 21 de março de 1685 – Leipzig, 28 de julho de 1750) foi um compositor, cravista, Kapellmeister, regente, organista, professor, violinista e violista oriundo do Sacro Império Romano-Germânico, atual Alemanha.

Nascido numa família de longa tradição musical, cedo mostrou possuir talento e logo tornou-se um músico completo. Estudante incansável, adquiriu um vasto conhecimento da música europeia de sua época e das gerações anteriores. Desempenhou vários cargos em cortes e igrejas alemãs, mas suas funções mais destacadas foram a de Kantor da Igreja de São Tomás e Diretor Musical da cidade de Leipzig, onde desenvolveu a parte final e mais importante de sua carreira.

Absorvendo inicialmente o grande repertório de música contrapontística germânica como base principal de seu estilo, recebeu mais tarde a influência italiana e francesa, através das quais sua obra se enriqueceu e transformou, realizando uma síntese original de uma multiplicidade de tendências. Praticou quase todos os gêneros musicais conhecidos em seu tempo, com a notável exceção da ópera, embora suas cantatas maduras revelem bastante influência desta que foi uma das formas mais populares do período Barroco.

Sua habilidade ao órgão e ao cravo foi amplamente reconhecida enquanto viveu e se tornou lendária, sendo considerado o maior virtuoso de sua geração e um especialista na construção de órgãos. Também tinha grandes qualidades como maestro, cantor, professor e violinista, mas como compositor seu mérito só recebeu aprovação limitada e nunca foi exatamente popular, ainda que vários críticos que o conheceram o louvassem como grande. A maior parte de sua música caiu no esquecimento após sua morte, mas sua recuperação iniciou no século XIX, através do compositor Felix Mendelssohn (1809-1847) e desde então seu prestígio não cessou de crescer. Na apreciação contemporânea Bach é tido como o maior nome da música barroca, e muitos o vêem como o maior compositor de todos os tempos, ganhando também o título de “Pai da Música”, elogiado e estudado por grandes compositores como Mozart e Beethoven, deixando muitas obras que constituem a consumação de seu gênero.

Entre suas peças mais conhecidas e importantes estão os Concertos de Brandenburgo, o Cravo Bem-Temperado, as Sonatas e Partitas para violino solo, a Missa em Si Menor, a Tocata e Fuga em Ré Menor, a Paixão segundo São Mateus, a Oferenda Musical, a Arte da Fuga e várias de suas cantatas. (ex-Wikipedia)

Bach: The Essentials
01. The English Concert – Brandenburg Concerto No.3 In G Major, BWV 1048 : 1. (Allegro)
02. Orpheus Chamber Orchestra – Orchestral Suite No. 3 in D Major, BWV 1068 : 2. Air
03. Hélène Grimaud – Das Wohltemperierte Klavier: Book 1, BWV 846-869 : Prelude and Fugue No.1 in C Major, BWV 846
04. Musica Antiqua Köln – Orchestral Suite No.2 In B Minor, BWV 1067 : 8. Badinerie
05. Shlomo Mintz – Partita For Violin Solo No.3 In E Major, BWV 1006 : 1. Preludio 
06. Münchener Bach-Orchester – Wachet auf, ruft uns die Stimme, Cantata BWV 140 : 1. “Wachet  auf, ruft uns die Stimme” 
07. Andrei Gavrilov – Aria mit 30 Veränderungen, BWV 988 “Goldberg Variationen” : Aria 
08. David Oistrakh – Double Concerto for 2 Violins, Strings, and Continuo in D Minor, BWV 1043 : 2. Largo ma non tanto
09. Pierre Fournier – Cello Suite No.1 In G Major, BWV 1007 : 1. Prélude 
10. Maria João Pires – Partita No. 1 in B-Flat Major, BWV 825 : I. Praeludium 
11. English Baroque Soloists – Mass In B Minor, BWV 232 : 3. Sanctus
12. English Baroque Soloists – Matthäus-Passion, BWV 244 / Erster Teil : 1. “Kommt, ihr Töchter, helft mir klagen”
13. Helmut Walcha – Wachet auf, ruft uns die Stimme, BWV 645
14. English Baroque Soloists – Herz und Mund und Tat und Leben, BWV 147 : 10. Choral: “Jesus bleibet meine Freude” 
15. English Baroque Soloists – Matthäus-Passion, BWV 244 / Zweiter Teil : 39. “Erbarme dich” 
16. English Baroque Soloists – Matthäus-Passion, BWV 244 / Zweiter Teil : 54. “O Haupt voll Blut und Wunden” 
17. English Baroque Soloists – Matthäus-Passion, BWV 244 / Zweiter Teil : 68. “Wir setzen uns mit Tränen nieder”
18. Nancy Argenta – Gottes Zeit ist die allerbeste Zeit, BWV 106 “Actus Tragicus” : No.2 a-d “Gottes Zeit ist die allerbeste Zeit” … “Es ist der alte Bund”
19. Helmut Walcha – Toccata And Fugue In D Minor, BWV 565 : 1.Toccata
20. Helmut Walcha – Toccata And Fugue In D Minor, BWV 565 : 2.Fugue
21. Musica Antiqua Köln – Brandenburg Concerto No.4 In G Major, BWV 1049 : 3. Presto
22. Nathan Milstein – Partita For Violin Solo No.2 In D Minor, BWV 1004 : 5. Ciaccona
23. Martha Argerich – Partita No.2 In C Minor, BWV 826 : 6. Capriccio
24. Ton Koopman – Sonata No.1 In E-Flat Major, BWV 525 : 1. 
25. Musica Antiqua Köln – Brandenburg Concerto No.2 In F Major, BWV 1047 : 3. Allegro assai 

Sumário das músicas:
Bach, J S: Brandenburg Concerto No. 2 in F Major, BWV1047
Bach, J S: Brandenburg Concerto No. 3 in G Major, BWV1048
Bach, J S: Brandenburg Concerto No. 4 in G major, BWV1049
Bach, J S: Cantata BWV106 ‘Gottes Zeit ist die allerbeste Zeit’ (Actus tragicus)
Bach, J S: Cantata BWV140 ‘Wachet auf, ruft uns die Stimme’
Bach, J S: Cantata BWV147 ‘Herz und Mund und Tat und Leben’
Bach, J S: Cello Suite No. 1 in G major, BWV1007
Bach, J S: Chorale Prelude BWV645 ‘Wachet auf, ruft uns die Stimme’
Bach, J S: Concerto for Two Violins in D minor, BWV1043
Bach, J S: Goldberg Variations, BWV988
Bach, J S: Mass in B minor, BWV232
Bach, J S: Orchestral Suite No. 2 in B minor, BWV1067
Bach, J S: Orchestral Suite No. 3 in D major, BWV1068
Bach, J S: Partita for solo violin No. 2 in D minor, BWV1004
Bach, J S: Partita for solo violin No. 3 in E major, BWV1006
Bach, J S: Partita No. 1 in B flat major, BWV825
Bach, J S: Partita No. 2 in C minor, BWV826
Bach, J S: The Well-Tempered Clavier, Book 1
Bach, J S: Toccata & Fugue in D minor, BWV565
Bach, J S: Trio Sonata No. 1 in E flat major, BWV525

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC | 579 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 | 320 KBPS | 257 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 2 h 04 min

Palhinha – 19 & 20  – Toccata And Fugue In D Minor, BWV 565 : 1.Toccata & 2.Fuge – Helmut Walcha

🇧🇷 Você baixou um arquivo .rar. Para descompactá-lo, use o Archive Online, um descompactador online e gratuito, para plataformas Mac e Win = https://extract.me/pt/

🇬🇧 You have downloaded a .rar file. To extract it, use the Archive Online, an online and free tool that can extract over 70 types of compressed files,  on a Mac or a Win platforms = https://extract.me/

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

Classical Music For Dummies – The essentials – vol. 3/50 – Dietrich Fischer-Dieskau (1925-2012)

“Música Clássica para Leigos” (“Classical Music For Dummies”) é uma série de lançamentos projetados pela Deutsche Grammophon para oferecer aos  leigos recém-chegados uma introdução perfeita ao mundo da música clássica.

A série é composta por 50 CDs de música clássica dedicados a diferentes compositores, maestros, pianistas, violinistas e cantores, a maioria contratados ou ex-contratados pela gravadora.

Dietrich Fischer-Dieskau – The Essentials

Dietrich Fischer-Dieskau (28 de maio de 1925 – 18 de maio de 2012) foi um barítono lírico alemão e maestro da música clássica, um dos mais famosos artistas de Lieder do período pós-guerra (Lied é uma palavra da língua alemã, que significa “canção”. É um termo tipicamente usado para classificar arranjos musicais para piano e cantor solo, com letras geralmente em alemão, utilizado para expressar em sons os sentimentos descritos nas letras), mais conhecido como cantor de Lieder, de Franz Schubert, particularmente os 24 poemas de “Winterreise”, cujas gravações com o acompanhante Gerald Moore e Jörg Demus ainda são aclamadas pela crítica meio século após seu lançamento.

Gravando uma série de repertórios (abrangendo séculos), como afirmou o musicólogo Alan Blyth: “Nenhum cantor de nossa época, ou provavelmente qualquer outro, conseguiu o alcance e a versatilidade do repertório alcançado por Dietrich Fischer-Dieskau. Ópera, Lieder e oratório em alemão, italiano ou inglês parecia ter sido feito para ele, e ele trouxe a cada um uma precisão e individualidade que revelavam suas percepções sobre o idioma em questão “. Além disso, ele gravou em francês, russo, hebraico, latim e húngaro. Ele foi descrito como “um dos artistas vocais supremos do século 20” e “o cantor mais influente do século 20”.

Fischer-Dieskau foi classificado como o segundo maior cantor do século (depois de Jussi Björling) pelo Classic CD (Reino Unido), ‘Top Singers of the Century” Critics Poll (junho de 1999). Os franceses o apelidaram de “O milagre Fischer-Dieskau” e Dame Elisabeth Schwarzkopf chamou-o de “um deus nascido que tem tudo”. No seu auge, ele era muito admirado por suas idéias interpretativas e controle excepcional de sua suave e bela voz. Apesar do pequeno tamanho de sua voz lírica / de barítono de câmara, Fischer-Dieskau também apresentou e gravou muitos papéis operísticos. Ele dominou a plataforma de ópera e concerto por mais de trinta anos. 

Fischer-Dieskau: Essentials
Franz Schubert (Austria, 1797-1828)
01. An die Musik, D. 547 (Op. 88/4)
Wolfgang Amadeus Mozart (Austria, 1756-1791)
02. Don Giovanni, K. 527 : “Fin ch’han dal vino”
Christoph Willibald Gluck (Alemanha, 1714 – Áustria, 1787)
03. Orfeo ed Euridice, Wq. 30 : No. 43 Aria: “Ach, ich habe sie verloren” (Arr. Alfred Doerffel)
Robert Schumann (Alemanha, 1810-1856)
04. Dichterliebe, Op. 48 : No. 1 Im wunderschönen Monat Mai
Franz Schubert (Austria, 1797-1828)
05. Der Musensohn, Op. 92, No. 1, D. 764
Wolfgang Amadeus Mozart (Austria, 1756-1791)
06. Die Zauberflöte, K. 620 : “Der Vogelfänger bin ich ja”
Giuseppe Verdi (Itália, 1813 – 1901)
07. La Traviata : “Di Provenza il mar, il suol”
Gustav Mahler (República Tcheca, 1860 – Viena, 1911)
08. Rückert-Lieder, Op. 44 : Ich atmet’ einen linden Duft
Wolfgang Amadeus Mozart (Austria, 1756-1791)
09. Le nozze di Figaro, K. 492 : “Vedro mentr’io sospiro”
Franz Schubert (Austria, 1797-1828)
10. Im Frühling, D. 882
11. Winterreise, D. 911 : No. 5 Der Lindenbaum
Robert Schumann (Alemanha, 1810-1856)
12. Dichterliebe, Op. 48 : No. 3 Die Rose, die Lilie, die Taube, die Sonne
Georges Bizet (França, 1838 – 1875)
13. Carmen, WD 31 : “Votre toast, je peux vous le rendre” – “Toréador, en garde”
Franz Schubert (Austria, 1797-1828)
14. Schwanengesang, D. 957 : Ständchen “Leise flehen meine Lieder”
Richard Strauss (Alemmanha, 1864 – 1949)
15. Ständchen, Op. 17, No. 2
Giuseppe Verdi (Itália, 1813 – 1901)
16. Don Carlo : “Dio, che nell’alma infodere”
Richard Wagner (Alemanha, 1813 – Itália, 1883)
17. Tannhäuser, WWV 70 : Wie Todesahnung… O du mein holder Abendstern (Wolfram)
Franz Schubert (Austria, 1797-1828)
18. Winterreise, D. 911 : No. 4 Erstarrung
Robert Schumann (Alemanha, 1810-1856)
19. Liederkreis, Op. 39 : Mondnacht
Richard Wagner (Alemanha, 1813 – Itália, 1883)
20. Die Meistersinger von Nürnberg, WWV 96 : “Was duftet doch der Flieder”
Ludwig van Beethoven (Alemanha, 1770-Áustria, 1827)
21. Fidelio, Op. 72 : “Ha! Welch ein Augenblick!”
Hugo Wolf (Eslovênia, 1860 – Áustria, 1903)
22. Italienisches Liederbuch : Ein Ständchen euch zu bringen
Claude Debussy (França 1862 – 1918)
23. Mandoline
Gustav Mahler (República Tcheca, 1860 – Viena, 1911)
24. Lieder eines fahrenden Gesellen : No. 3 Ich hab’ ein glühend Messer
Carl Orff (Alemanha, 1895 – 1982)
25. Carmina Burana / No. 2 In Taberna : “Estuans interius”

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC | 358 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 | 320 KBPS | 179 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 1 h 23 min

Palhinha – 18. Winterreise, D. 911 : No. 4 Erstarrung

🇧🇷 Você baixou um arquivo .rar. Para descompactá-lo, use o Archive Online, um descompactador online e gratuito, para plataformas Mac e Win = https://extract.me/pt/

🇬🇧 You have downloaded a .rar file. To extract it, use the Archive Online, an online and free tool that can extract over 70 types of compressed files,  on a Mac or a Win platforms = https://extract.me/

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

PS. Nosso colega René Denon adicionou um comentário de valor-

Olá, Avicenna!
A coleção vai de vento em popa! DFD é figurinha carimbada! Nesta coleção há muitas beleza que podem levar a futuras explorações ao resto da obra, bastando alguns cliques!
As canções de Schubert fazem uma parte substancial do repertório do Dietrich, como An Die Musik e Der Musenhohn. Para explorar mais esta vertente aqui tem uma coleção de lindas canções de Schubert:
https://pqpbach.ars.blog.br/2019/03/03/schubert-lieder-dietrich-fischer-dieskau-gerald-moore/

Ele também brilhou nos palcos das óperas como o Don Giovanni ou Papageno, com duas canções desta coleção – o tour de force Fin ch’han dal vino e a canção do apanhador de pássaros Der Vogelfänger bin ich ja. Estas duas óperas completas com as demais árias estão postadas aqui:
https://pqpbach.ars.blog.br/2019/05/05/wolfgang-amadeus-mozart-1756-1791-die-zauberflote-bohm-fischer-dieskau-wunderlich-berliner-philharmoniker/
https://pqpbach.ars.blog.br/2019/04/02/mozart-1756-1791-don-giovanni-dg-ferenc-fricsay/
Voltando ao mundo do Lieder, a canção alemã, o belíssimo Im wunderschönen Monat Mai é a canção que inicia o ciclo Dichterliebe e está aqui:
https://pqpbach.ars.blog.br/2020/06/14/schmnn210-robert-schumann-1810-1856-lieder-fischer-dieskau/
Acredito que outras pessoas vão identificar outras postagens com peças…
Grande introdução a arte deste que foi um dos mais importantes cantores de que temos notícia.
Abração do René

Classical Music For Dummies – The essentials – vol. 2/50 – Vladimir Horowitz (1903-1989)

“Música Clássica para Leigos” (“Classical Music For Dummies”) é uma série de lançamentos projetados pela Deutsche Grammophon para oferecer aos  leigos recém-chegados uma introdução perfeita ao mundo da música clássica.

A série é composta por 50 CDs de música clássica dedicados a diferentes compositores, maestros, pianistas, violinistas e cantores, a maioria contratados ou ex-contratados pela gravadora.

Vladimir Horowitz – The Essentials

Vladimir Samoylovych Horowitz, Kiev, 1 de outubro de 1903Nova Iorque, 5 de novembro de 1989) foi um pianista russo-americano. É considerado como um dos mais brilhantes pianistas de todos os tempos, devido à sua excepcional técnica aliada às suas performances contagiantes. (1) Destacou-se pelo seu toucher sem igual, pelo controle dinâmico excepcional e pela sua mecânica única. As suas interpretações mais conhecidas e tidas como inigualáveis se referem às obras que variam do barroco Domenico Scarlatti, passando pelos românticos Chopin, Schumann, Liszt e chegando ao moderno Prokofiev. É considerado por muitos o indiscutível mestre em Scriabin e Rachmaninoff.

Classical Music For Dummies – The essentials – vol. 1/50 – Mozart (1756-1791)

“Música Clássica para Leigos” (“Classical Music For Dummies”) é uma série de lançamentos projetados pela Deutsche Grammophon para oferecer aos  leigos recém-chegados uma introdução perfeita ao mundo da música clássica.

A série é composta por 50 CDs de música clássica dedicados a diferentes compositores, maestros, pianistas, violinistas e cantores, a maioria contratados ou ex-contratados pela gravadora.

Mozart – The Essencials

Wolfgang Amadeus Mozart foi um prolífico e influente compositor austríaco do período clássico.

Mozart mostrou uma habilidade musical prodigiosa desde sua infância. Já competente nos instrumentos de teclado e no violino, começou a compor aos cinco anos de idade, e passou a se apresentar para a realeza europeia, maravilhando a todos com seu talento precoce. Chegando à adolescência, foi contratado como músico da corte em Salzburgo, porém as limitações da vida musical na cidade o impeliram a buscar um novo cargo em outras cortes, mas sem sucesso.

Ao visitar Viena em 1781 com seu patrão, desentendeu-se com ele e solicitou demissão, optando por ficar na capital, onde, ao longo do resto de sua vida, conquistou fama, porém pouca estabilidade financeira. Seus últimos anos viram surgir algumas de suas sinfonias, concertos e óperas mais conhecidos, além de seu Requiem. As circunstâncias de sua morte prematura deram origem a diversas lendas. Deixou uma esposa, Constanze, e dois filhos.

Foi autor de mais de seiscentas obras, muitas delas referenciais na música sinfônica, concertante, operística, coral, pianística e camerística. Sua produção foi louvada por todos os críticos de sua época, embora muitos a considerassem excessivamente complexa e difícil, e estendeu sua influência sobre vários outros compositores ao longo de todo o século XIX e início do século XX.

Hoje Mozart é visto pela crítica especializada como um dos maiores compositores do ocidente, conseguiu conquistar grande prestígio mesmo entre os leigos, e sua imagem se tornou um ícone popular. (ex-Wikipedia)

Tracklist:
01. Wiener Philharmoniker – Serenade in G Major, K. 525 “Eine kleine Nachtmusik” : 1. Allegro
02. Hagen Quartett – Divertimento in D Major, K. 136 : 3. Presto
03. Thomas Quasthoff – Die Zauberflöte, K.620 / Act 1 : “Der Vogelfänger bin ich ja”
04. Friedrich Gulda – Piano Sonata No. 11 in A Major, K. 331 : III. Alla Turca
05. Maria João Pires – Piano Sonata No. 15 in C Major, K. 545 “Facile” : I. Allegro
06. Wiener Philharmoniker – Symphony No. 25 in G Minor, K. 183 : 1. Allegro Con Brio
07. Wiener Philharmoniker – Symphony No. 40 in G Minor, K. 550 : 1. Molto Allegro
08. Wiener Philharmoniker – Requiem in D Minor, K. 626 : 3. Sequentia: VI. Lacrimosa
09. Chamber Orchestra of Europe – Così fan tutte, K.588 : Overture
10. Geza Anda – Piano Concerto No. 21 in C Major, K. 467 : 2. Andante
11. David Jolley – Horn Concerto No. 4 in E-Flat Major, K. 495 : 3. Rondo (Allegro vivace)
12. Barbara Bonney – Exsultate, jubilate, K. 165 : 4. Alleluia
13. Bryn Terfel – Die Zauberflöte, K.620 / Act 2 : “Ein Mädchen oder Weibchen”
14. Orchester der Deutschen Oper Berlin – Le nozze di Figaro, K. 492 : Overture
15. Bryn Terfel – Don Giovanni, K. 527 / Act 1 : “Là ci darem la mano”
16. Orpheus Chamber Orchestra – Divertimento No.11 in D, K. 251 “Nannerl-Septett” : 3. Andantino
17. Sir James Galway – Concerto for Flute, Harp, and Orchestra in C Major, K. 299 : 2. Andantino
18. Hélène Grimaud – Piano Sonata No. 8 in A Minor, K. 310 : 3. Presto
19. Orpheus Chamber Orchestra – Symphony No. 33 in B-Flat Major, K. 319 : 4. Finale (Allegro assai)
20. Edith Mathis – Le nozze di Figaro, K. 492 / Act 3 : “Sull’aria … Che soave zeffiretto”
21. Barbara Bonney – Vesperae solennes de confessore in C Major, K. 339 : 5. Laudate Dominum omnes gentes (Ps. 116/117)
22. Roberta Peters – Die Zauberflöte, K. 620 / Act 2 : “Der Hölle Rache kocht in meinem Herzen”
23. Maria João Pires – Piano Sonata No. 8 in A Minor, K. 310 : I. Allegro maestoso
24. Gidon Kremer – Violin Concerto No. 3 in G Major, K. 216 : 2. Adagio (Cadenza: Robert Levin)
25. Martha Argerich – Piano Concerto No. 20 in D Minor, K. 466 : 3. Rondo (Allegro assai) – Cadenzas: Ludwig van Beethoven (Live)

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC | 509 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 | 320 KBPS | 234 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 1 h 52 min

🇧🇷 Você baixou um arquivo .rar. Para descompactá-lo, use o Archive Online, um descompactador online e gratuito, para plataformas Mac e Win
…………………………………………………………https://extract.me/pt/
O Archive Extractor é uma ferramenta online pequena e fácil que pode extrair mais de 70 tipos de arquivos comprimidos, como 70 e muito mais.

Formatos compatíveis:7z, zipx, rar, tar, exe, dmg, iso, zip, msi, nrg, gz, cab, bz2, wim, ace e 54 mais.
Compatível com arquivos protegidos por senha. Pode descompactar arquivos de várias partes (zip.001, rar.part1, z01, etc).

 

🇺🇸 You have downloaded a .rar file. To extract it, use the Archive Online, a online and free tool that can extract over 70 types of compressed files,  on a Mac or a Win platforms- 

Archive Extractor is a small and easy online tool that can extract over 70 types of compressed files, such as 7z, zipx, rar, tar, exe, dmg and much more.

Supported formats:7z, zipx, rar, tar, exe, dmg, iso, zip, msi, nrg, gz, cab, bz2, wim, ace and 54 more.
Supports password-protected archives. Can unpack multi-part archives (zip.001, rar.part1, z01, etc).

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

 

Anna Prohaska, Lautten Compagney & Wolfgang Katschner – Bach: Redemption (2020)

Anna Prohaska
Lautten Compagney
Wolfgang Katschner

 

Bach: Redemption

2020

 

Anna Prohaska perguntou a Wolfgang Katschner e a Lautten Compagney, no início da crise do coronavírus, se eles não deveriam organizar espontaneamente uma reunião musical nesse período. Agora, isso resultou na # ERLÖSUNG / REDEMPTION, uma sequência de músicas selecionadas exclusivamente das cantatas de Bach, compiladas de acordo com a associação conceitual acima mencionada. Vemos o lema ERLÖSUNG / REDEMPTION como tendo múltiplos significados, por exemplo: a música pode nos dar consolo em tempos de doença e crise; pode abrir espaços emocionais e contemplativos para nós; é redentora para nós, como músicos, sermos os “instrumentos” para gerar música e, portanto, espiritualidade …

Além de Anna, como solista e três outros cantores, formamos um grupo maior de músicos – cerca de vinte instrumentistas – que representam a compaixão e as Lautten Compagney que acompanham as árias que Anna canta, iniciando também uma declaração ou um tipo de sinal vivo de um coletivo como o conjunto normalmente representa. (ex-internet)

Poucas vezes encontrei um CD tão expressivo, vivo, forte e vibrante como este! Se Bach tivesse tido a oportunidade de ouvi-lo, ficaria com tesão suficiente para imediatamente gerar seu vigésimo terceiro filho!

Bach: Redemption

1. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Mache dich, mein Geist, bereit, BWV 115: IV. Air “Bete aber auch dabei”

2. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Es ist nichts gesundes an meinem Leibe, BWV 25: I. Chorus “Es ist nichts gesundes an meinem Leibe”

3. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Ach Herr, mich armen Sünder, BWV 135: VI. Chorale “Ehr sei ins Himmels Throne”

4. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Selig ist der Mann, BWV 57: VII. Air “Ich ende behende mein irdisches Leben”

5. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Was mir behagt, ist nur die muntre Jagd, BWV 208: IX. “Schafe können sicher weiden”

6. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Sie werden euch in den Bann tun, BWV 44: VI. Air “Es ist und bleibt der Christen Trost”

7. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Herr, gehe nicht ins Gericht mit deinem Knecht, BWV 105: III. Air “Wie zittern und wanken”

8. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Nach dir, Herr, verlanget mich, BWV 150: I. Sinfonia

9. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Nach dir, Herr, verlanget mich, BWV 150: II. Chorus “Nach dir, Herr, verlanget mich”

10. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Wenn mein Stündlein vorhanden ist, BWV 430: I. Chorale

11. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Der Himmel lacht! Die Erde jubilieret, BWV 31: VIII. Air “Letzte Stunde, brich herein”

12. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Wenn mein Stündlein vorhanden ist, BWV 430: II. Chorale

13. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Siehe zu, daß deine Gottesfurcht nicht Heuchelei sei, BWV 179: V. Air “Liebster Gott, erbarme dich”

14. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Nach dir, Herr, verlanget mich, BWV 150: IV. Chorus “Leite mich in deiner Wahrheit”

15. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Ich habe genug, BWV 82a: I. Air “Ich habe genug”

16. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Ich habe genug, BWV 82a: V. Air “Ich freue mich auf meinen Tod”

17. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Herr, gehe nicht ins Gericht mit deinem Knecht, BWV 105: VI. Chorale “Jesu, der du meine Seele”

18. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Herr Jesu Christ, wahr’ Mensch und Gott, BWV 127: III. Air “Die Seele ruht in Jesu Händen”

19. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Weichet nur, betrübte Schatten, BWV 202: I. Air “Weichet nur betrübte Schatten”

20. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Nach dir, Herr, verlanget mich, BWV 150: VII. Chorus “Meine Tage in dem Leide”

21. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Mache dich, mein Geist, bereit, BWV 115: IV. Air “Bete aber auch dabei” (Lounge Version) (Bonus Track)


Para degustar: 1. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Mache dich, mein Geist, bereit, BWV 115: IV. Air “Bete aber auch dabei”

e agora, a mesma ária, versão lounge, jazz- 21. Anna Prohaska, Lautten Compagney, Wolfgang Katschner – Mache dich, mein Geist, bereit, BWV 115: IV. Air “Bete aber auch dabei” (Lounge Version) (Bonus Track) (espere até a Anna Prohaska entrar)

 

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC | 372 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 | 320 KBPS | 169 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 1 h 20 min

🇧🇷 Você baixou um arquivo .rar. Para descompactá-lo, use o Archive Online, um descompactador online e gratuito, para plataformas Mac e Win
…………………………………………………………https://extract.me/pt/
O Archive Extractor é uma ferramenta online pequena e fácil que pode extrair mais de 70 tipos de arquivos comprimidos, como 70 e muito mais.

Formatos compatíveis:7z, zipx, rar, tar, exe, dmg, iso, zip, msi, nrg, gz, cab, bz2, wim, ace e 54 mais.
Compatível com arquivos protegidos por senha. Pode descompactar arquivos de várias partes (zip.001, rar.part1, z01, etc).

 

🇺🇸 You have downloaded a .rar file. To extract it, use the Archive Online, a online and free tool that can extract over 70 types of compressed files,  on a Mac or a Win platforms- 

Archive Extractor is a small and easy online tool that can extract over 70 types of compressed files, such as 7z, zipx, rar, tar, exe, dmg and much more.

Supported formats:7z, zipx, rar, tar, exe, dmg, iso, zip, msi, nrg, gz, cab, bz2, wim, ace and 54 more.
Supports password-protected archives. Can unpack multi-part archives (zip.001, rar.part1, z01, etc).

 

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

 

 

 

.: interlúdio :. Creedence Clearwater Revival – Chronicle, Vol. 1: The 20 Greatest Hits – 1976


Creedence Clearwater Revival

Chronicle, Vol. 1: The 20 Greatest Hits

1976

 

Estamos muito down!!!! Vamos levantar nossa moral. A humanidade vivencia uma experiencia única com o Covid-19. Tem muitas coisas boas e coisas ruins. Uma das coisas boas é este CD do Creedence Clearwater Revival! Ouça e deixe cair!

Postagem dedicada aos semi-novos que galhardamente enfrentamos esta pandemia.

01 – Suzie Q
02 – I Put A Spell On You
03 – Proud Mary
04 – Bad Moon Rising
05 – Lodi
06 – Green River
07 – Commotion
08 – Down on The Corner
09 – Fortunate Son
10 – Travelin’ Band
11 – Who’ll Stop The Rain
12 – Up Around The Bend
13 – Run Through The Jungle
14 – Looking Out My Backdoor
15 – Long As I Can See The Light
16 – I Heard It Through The Grapevine
17 – Have You Ever Seen The Rain
18 – Hey Tonight
19 – Sweet Hitch Hiker
20 – Someday Never Comes

Palhinha- 17 – Have You Ever Seen The Rain

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 | 224 KBPS | 118 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 1 h 12 min

🇧🇷 Você baixou um arquivo .rar. Para descompactá-lo, use o Archive Online, um descompactador online e gratuito, para plataformas Mac e Win
…………………………………………………………https://extract.me/pt/
O Archive Extractor é uma ferramenta online pequena e fácil que pode extrair mais de 70 tipos de arquivos comprimidos, como 70 e muito mais.

Formatos compatíveis:7z, zipx, rar, tar, exe, dmg, iso, zip, msi, nrg, gz, cab, bz2, wim, ace e 54 mais.
Compatível com arquivos protegidos por senha. Pode descompactar arquivos de várias partes (zip.001, rar.part1, z01, etc).

 

🇺🇸 You have downloaded a .rar file. To extract it, use the Archive Online, a online and free tool that can extract over 70 types of compressed files,  on a Mac or a Win platforms- 

Archive Extractor is a small and easy online tool that can extract over 70 types of compressed files, such as 7z, zipx, rar, tar, exe, dmg and much more.

Supported formats:7z, zipx, rar, tar, exe, dmg, iso, zip, msi, nrg, gz, cab, bz2, wim, ace and 54 more.
Supports password-protected archives. Can unpack multi-part archives (zip.001, rar.part1, z01, etc).

 

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

Rosso – Italian Baroque Arias with Patricia Petibon – Venice Baroque Orchestra, dir. Andrea Marconi – 2010

   Rosso – Italian Baroque Arias

Patricia Petibon – soprano

Venice Baroque Orchestra
dir. Andrea Marconi

2010

 

Rosso, a coleção de árias de ópera barroca italiana da soprano Patricia Petibon, pode muito bem ser um dos recitais vocais barrocos mais divertidos que um ouvinte provavelmente encontrará, porque Petibon está obviamente tendo o momento de sua vida. As árias, algumas raridades familiares e genuínas, de óperas e oratórios de Handel, Vivaldi, Alessandro Scarlatti, Stradella, Porpora e Sartorio, expressam uma ampla gama de emoções, incluindo tristeza, delícia e maravilha, insinuações sedutoras e raiva explosiva.

Petibon, uma atriz cantora espetacular, se joga neles com um abandono tão inconsciente e com uma percepção interpretativa que o ouvinte, mesmo sem olhar para os textos, fica sem dúvida sobre os estados emocionais específicos, às vezes em evolução, dos personagens. Os puristas podem se ofender com as extremidades de suas interpretações, que usam suspiros, gritos, gritos e sussurros para transmitir a extremidade dos estados emocionais dos personagens, mas sua honestidade e franqueza expressivas são indiscutíveis.

A voz luminosa e lustrosa de Petibon e sua técnica impecável e um virtuosismo ágil devem dissipar as suspeitas de que ela recorra a extremos dramáticos para cobrir qualquer déficit vocal. Cada faixa é uma maravilha de profundidade interpretativa e vocalismo da mais alta ordem, mas o lamento de Alcina “Ah! Mio cor!” é especialmente deslumbrante; para aumentar a intensidade do desespero de Alcina, Petibon transpõe algumas passagens por uma oitava para a estratosfera e outras por uma oitava em uma faixa solidamente baritonal, produzindo efeitos impressionantes. No “Quando voglio“, de Cleópatra, do Sartorio de Giulio Cesare em Egito, Petibon cria um feitiço de sensualidade irresistível e divertida. O “Caldo sangue” de Scarlatti, de Ismaele, expõe a límpida pureza de sua voz; o fraseado sem costura e aveludado; e a sensibilidade de seus instintos dramáticos em exibição total.

Andrea Marcon lidera a Orquestra Barroca de Veneza em realizações excepcionalmente atenciosas e inventivas das partituras. O som limpo, presente e bem equilibrado da Deutsche Grammophon fornece um ambiente ideal para a clareza primitiva das performances. O recital da Petibon estabelece um alto padrão para a apresentação barroca e deve agradar aos fãs de música da época e de cantos notáveis.( ex-encarte)

Rosso – Italian Baroque Arias
Antonio Sartorio (Itália, 1630 – 1680)
01. Giulio Cesare in Egitto – Quando voglio
Antonio Alessandro Boncompagno Stradella, (Itália, 1643 – 1682)
02. Giovanni Battista – Queste lagrime e sospiri
Georg Friedrich Händel (Alemanha, 1685 – Inglaterra, 1759)
03. Alcina / Act 1 – Tornami a vagheggiar
04. Rinaldo, HWV 7a / Act 2 – “Lascia ch’io pianga”
05. Ariodante  HWV 33 / Act 1 – “Volate, amori”
06. Giulio Cesare / Act 3 – “Piangerò la sorte mia”
Alessandro Scarlatti (Itália, 1660 – 1725)
07. La Griselda / Act 3 / Scene 3 – Se il mio dolor t’offende
Georg Friedrich Händel (Alemanha, 1685 – Inglaterra, 1759)
08. Alcina / Act 2 – Ah, mio cor
09. Ariodante, HWV 33 / Act 1 – Neghittosi, or voi che fate
Nicola Antonio Giacinto Porpora (Nápoles, 1686 – Nápoles, 1768)
10. Lucio Papirio / Act 1 – Morte amara
Antonio Lucio Vivaldi (Veneza, 1678-Viena, 1741)
11. L’Olimpiade, RV 725/ Act 2 Scene 5 – Siam navi all’onde
Antonio Sartorio (Itália, 1630 – 1680)
12. L’Orfeo – Orfeo, tu dormi 
Benedetto Marcello (Veneza, 1686 – Bréscia, 1739)
13. Arianna – Come mai puoi vedermi piangere
Alessandro Scarlatti (Itália, 1660 – 1725)
14. Il Sedecia, Rè di Gerusalemme – Caldo sangue

Para degustar:

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC | 334 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 | 320 KBPS | 163 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 1 h 16 min

Por gentileza, quando tiver problemas para descompactar arquivos com mais de 256 caracteres, para Windows, tente o 7-ZIP, em https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ e para Mac, tente o Keka, em http://www.kekaosx.com/pt/, para descompactar, ambos gratuitos.

If you have trouble unzipping files longer than 256 characters, for Windows, please try 7-ZIP, at https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ and for Mac, try Keka, at http://www.kekaosx.com/, to unzip, both at no cost.

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

A French Baroque Diva – Carolyn Sampson & Ex Cathedra, Jeffrey Skidmore

A French Baroque Diva –  Arias for Marie Fel, by Lacoste, Lalande, Rameau, Rousseau, Fiocco & Mondonville

Carolyn Sampson, soprano

Ex Cathedra, Jeffrey Skidmore

2014

 

Esta gravação, extremamente bem pesquisada, é cativante. Baseada no repertório de Marie Fel, a ‘Jenny Lind’ (1) da corte de Luís XV, varia da elegância contida de De Lalande à emoção italiana de Mondonville. 
Chegando à capital francesa em 1734, Fel tornou-se soprano principal na Ópera de Paris – muitas vezes criando papéis principais nas óperas de Rameau – enquanto também desempenha papéis importantes nos Concerts Spirituels.  Em um momento de mudança musical, ela teria cantado em muitos estilos diferentes, desde o tradicional “Lulliano” até a música de influência italiana dos anos 1730 e posteriores.
Ao substituir Fel, Carolyn Sampson é bastante notável. Ela tem a capacidade de suavizar a linha vocal com um vibrato cuidadosamente controlado, mas também emprega um tom de clareza cristalina. Há muitos destaques, mas o trecho caracteristicamente colorido de Daphnis et Alcimadure, de Mondonville, é particularmente agradável, assim como o La lyre enchantée de Rameau.
Ao longo da obra, Jeffrey Skidmore e a orquestra oferecem apoio confiável como o coral, mas, apesar do acústico ser um pouco excessivo, o que brilha é o canto de Sampson: brilhante, vibrante, responsivo e totalmente em sintonia com a linguagem expressiva e as demandas virtuosistas do período.
Crítica por Jan Smaczny, BBC Music Magazine
(1) Johanna Maria Lind, mais conhecida como Jenny Lind, foi uma soprano sueca, também conhecida como “Rouxinol Sueca”. Uma das mais famosas cantoras do século XIX, ela ficou conhecida por suas performances como soprano em óperas por toda a Europa e por uma turnê de concertos extraordinariamente popular na América em 1850. (Wikipédia)
Louis Lacoste (c1675-c1750)
01. Philomèle – Prologue Sc. 1 Ah! quand reviendront nos beaux jours? 
Michel-Richard de Lalande (1657-1726)

02. Exsurgat Deus, S.71 – 5. Regna terrae 
Te Deum laudamus, S.32
03. 1. Sinfonie 
04. 8. Tu rex gloriae 
05. 9. Tu ad liberandum suscepturus hominem 
Jean-Jacques Rousseau (1712-1778)

Salve regina
06. 1. Salve regina, salve mater 
07. 2. Ad te clamamus, exsules, filii Evae 
08. 3. O clemens, o pia 
Jean-Philippe Rameau (1683-1764)

09. Castor & Pollux – Act 1 Sc. 2-3 Un tendre intérêt vous appelle – Tristes apprêts 
10. Platée – Act 3 Sc. 4 Amour, lance tes traits 
Jean-Joseph Cassanéa de Mondonville
 (1711-1772)

11. Daphnis & Alcimadure – Act 1 Sc. 2 Gasouillats auzeléts 
Joseph Hector Fiocco
 (1703-1741)

12. 1. Laudate pueri 
13. 3. A solis ortu 
14. 4. Alleluia 
Jean-Joseph Cassanéa de Mondonville

15. Venite, exsultemus – 4. Venite, adoremus 
Jean-Philippe Rameau

La lyre enchantée
16. 1. Accordez vos sons & vos pas 
17. 2. Gavotte: Lyre enchanteresse 
18. 3. Écoutons … D’un doux frémissement 
19. 4. Vole, Amour, prête-moi tes armes 
20. 5. Contredanse 
Michel-Richard de Lalande

21. Cantate Domino, S.72 – 5. Viderunt omnes termini terrae 
Jean-Joseph Cassanéa de Mondonville
22. Venite, exsultemus – 6. Hodie si vocem 

 

Para degustar:

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC | 371 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 | 320 KBPS | 166 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 1 h 13 min

Por gentileza, quando tiver problemas para descompactar arquivos com mais de 256 caracteres, para Windows, tente o 7-ZIP, em https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ e para Mac, tente o Keka, em http://www.kekaosx.com/pt/, para descompactar, ambos gratuitos.

If you have trouble unzipping files longer than 256 characters, for Windows, please try 7-ZIP, at https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ and for Mac, try Keka, at http://www.kekaosx.com/, to unzip, both at no cost.

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

Patricia Petibon – Airs baroques français: Rameau, Lully, Charpentier, Grandval – 2001

Patricia Petibon

Airs baroques français

Rameau
Lully
Charpentier
Grandval

2001

 

Assim como azeitonas, alcachofras e, mais essencialmente e problemáticas, anchovas, a voz de Patricia Petibon é um gosto adquirido. Ela é uma coloratura alta (até E-flat), sua técnica é formidável, capaz de ter grande floridez e controle da respiração muito fina, ela canta principalmente sem vibrato, e o tom pode ser tão brilhante como diamante que pode irritar, embora em momentos dramáticos mais escuros, ela pode moderar o brilho. Ela se envolve completamente no que está cantando e, por isso, é muito comovente – a tristeza e o desespero de Jonathan em David et Jonathas, de Charpentier, são impressionantes, assim como a raiva lunática de Armide pela ópera de Lully (o que ela faz com a palavra “hate” é digno de Callas como Medéia). Todos os trechos de Rameau são habilmente manipulados, do silvestre ao bélico e vice-versa.

Ela também se diverte com a frivolidade e virtuosismo da obra quase inteiramente desconhecida de 15 minutos de Grandval (1676-1753), na qual o cantor tenta agradar sua platéia chamando por todos os vários estilos e temas de música de seu tempo: uma queixa de Orfeu, hinos a Baco, canções de amor fofas, árias de vingança, evocações para o inferno, um apelo a Netuno, um grito de guerra e assim por diante, tudo feito com paixão. A peça é um tour-de-force de mudança de humor – quase psicose, de fato – e Petibon me parece ser o único intérprete que eu quero ouvir cantar. Ela pode ser incrivelmente sedutora, lançando notas altas ou arrulhando como uma pomba. Ela deve ser dinamite no palco.

A maioria das músicas deste CD é rara e é quase o suficiente para querer ouvir, principalmente se o barroco francês é a sua xícara de chá. É maravilhosamente tocado por um grupo chamado Les Folies Françoises, liderado por Patrick Cohen-Akenine, com os sopros importantes presentes e tocados de maneira deslumbrante (os oboés amadeirados no primeiro número de Platee, o fagote em uma ária de Les fetes d’Hymen ), o cravo audível e comentando a voz o tempo todo, as cordas atacadas com verve, as trombetas e tambores nos trazendo de pé. Tente isso, você pode gostar. De fato, você pode adorar. – Robert Levine

Patricia Petibon – Airs baroques français
Jean-Philippe Rameau (França, 1683-1764)
01. “Platée” (1749) – Air de Clarine: Soleil, fuis de ces lieux”
02. “Les fêtes de l’Hymen et de l’Amour” (1747) – Ariette de l’Amour: “Volez, plaisirs, célébrez ce beau jour
03. “Les fêtes de l’Hymen et de l’Amour” (1747) – “Entrée des Égyptien
04. “Les fêtes de l’Hymen et de l’Amour” (1747) – Ariette de l’Égyptienne: “L’amant que j’adore”
05. “Les fêtes de l’Hymen et de l’Amour” (1747) – Ariette de l’Égyptienne: “Amour, lance tes traits”
06. “Platée” – Air de la Folie: “Formons les plus brillants concerts… Aux langueurs d’Apollon”
Marc-Antoine Charpentier (France, 1643-1704)
07. “David et Jonathas” (1688) – Jonathas: “A-t-on jamais souffert une plus rude peine?”
Jean-Baptiste Lully (Italy, 1632-France, 1687)
08. Lully, “Armide” (1686) – Prélude. Armide: “Enfin, il est en ma puissance”
09. “Armide” – Armide: “Le perfide Renaud me fuit”
Jean-Philippe Rameau (França, 1683-1764)
10. “Les Indes Galantes” (1735) – Air de Phani: “Viens, hymen”
11. “Les Indes Galantes” – Air de Zima: “Régnez, plaisirs et jeux”
12. “Les Indes Galantes” – Chaconne
Nicolas Racot de Grandval (França, 1676-1753)
13 Rien du tout (1755), pour soprano, simphonie et basse continue

Para degustar:

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC | 334 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 | 320 KBPS | 170 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 1 h 04 min

Por gentileza, quando tiver problemas para descompactar arquivos com mais de 256 caracteres, para Windows, tente o 7-ZIP, em https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ e para Mac, tente o Keka, em http://www.kekaosx.com/pt/, para descompactar, ambos gratuitos.

If you have trouble unzipping files longer than 256 characters, for Windows, please try 7-ZIP, at https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ and for Mac, try Keka, at http://www.kekaosx.com/, to unzip, both at no cost.

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

Oratório Messiah, HWV 56, de George Frideric Handel, versão 1754 do Foundling Hospital – Le Concert Spirituel, choir & orchestra e Hervé Niquet, maestro.

“Oratório Messiah, HWV 56, de George Frideric Handel, versão 1754 do Foundling Hospital, que apresenta cinco solistas: dois sopranos (Sandrine Piau, Katherine Watson), contralto (Anthea Pichanick), tenor (Rupert Charlesworth) e baixo-barítono (Andreas Wolf), gravado em 20 a 22 de dezembro de 2016, publicado em 6 de outubro de 2017, com Le Concert Spirituel, choir & orchestra e Hervé Niquet, maestro.

 

Depoimento de Hervé Niquet: Por que mais um Messiah? Examinei as diferentes partituras existentes e decidi pela versão muito interessante de 1754, que apresenta cinco solistas. Vocês devem se lembrar que, quando Handel chegou a um lugar para realizar seu oratório, ele tinha solistas de diferentes padrões à sua disposição. Então ele rapidamente revisou sua pontuação de acordo …

Tudo isso está diretamente relacionado à realidade da situação de Handel como promotor de concertos. Naqueles dias, para ganhar a vida com sua música, um compositor precisava absolutamente executar suas obras e lucrar à noite. A idéia de não retocar um trabalho para evitar “estragar” ou “distorcer” é muito mais moderna. Deve haver cerca de uma dúzia de versões do Messias (não listarei todas). A versão de 1754 raramente é tocada porque exige cinco solistas: dois sopranos, alto, tenor e baixo … optei aqui por uma interpretação operística, seguindo a sugestão do drama inerente a esse relato da vida de Cristo.

Oratório Messiah, HWV 56
Georg Friedrich Händel (Alemanha, 1685 – Inglaterra, 1759)
PARTE I – DISCO 1
1 de 18 Part I – No.1 SINFONIA Grave-Allegro moderato
2 de 18 Part I – No.2 ACCOMPAGNATO “Comfort ye my people”
3 de 18 Part I – No.3 AIR “Every valley shall be exalted”
4 de 18 Part I – No.4 CHORUS “And the glory of the Lord”
5 de 18 Part I – No.5 ACCOMPAGNATO “Thus saith the Lord of hosts”
6 de 18 Part I – No.6 AIR “But who may abide”
7 de 18 Part I – No.7 CHORUS “And he shall purify”, No.8 RECITATIVE “Behold a virgin shall conceive”
8 de 18 Part I – No.9 AIR & CHORUS “O thou that tellest”
9 de 18 Part I – No.10 RECITATIVE “For behold”
10 de 18 Part I – No.11 AIR “The people that walked”
11 de 18 Part I – No.12 CHORUS “For unto us a Child is born”
12 de 18 Part I – No.13 Pifa (Sinfonia Pastorale), No.14 RECITATIVE “There were shepherds”
13 de 18 Part I – No.14B RECITATIVE “And lo, the angel of the Lord”, No.15 RECITATIVE “And the angel said unto them”
14 de 18 Part I – No.16 RECITATIVE & ACCOMPAGNATO “And suddenly”
15 de 18 Part I – No.17 CHORUS “Glory to God in the highest”
16 de 18 Part I – No.18 AIR “Rejoice greatly”, No.19 RECITATIVE “Then shall the eyes of blind”
17 de 18 Part I – No.20 AIR “He shall feed His flock”
18 de 18 Part I – No.21 CHORUS “His yoke is easy”

PARTE II – DISCO 2
1 de 29 Part II – No.22 CHORUS “Behold the lamb of God”
2 de 29 Part II – No.23 AIR “He was despised”
3 de 29 Part II – No.24 CHORUS “Surely He hath borne our griefs”
4 de 29 Part II – No.25 CHORUS “And with His stripes”
5 de 29 Part II – No.26 CHORUS “All we like sheep”
6 de 29 Part II – No.27 RECITATIVE & ACCOMPAGNATO “All they that see Him”
7 de 29 Part II – No.28 CHORUS “He trusted in God”
8 de 29 Part II – No.29 RECITATIVE “Thy rebuke hath broken His heart”
9 de 29 Part II – No.30 AIR “Behold, and see”
10 de 29 Part II – No.31 RECITATIVE “He was cut off out”
11 de 29 Part II – No.32 AIR “But Thou didst not leave His soul in hell”
12 de 29 Part II – No.33 CHORUS “Lift up your heads”, No.34 RECITATIVE “Unto which of the angels”
13 de 29 Part II – No.35 CHORUS “Let all the angels of God”
14 de 29 Part II – No.36 AIR “Thou art gone up on high”
15 de 29 Part II – No.37 CHORUS “The Lord gave the word”
16 de 29 Part II – No.38 AIR “How beautiful are the feet”
17 de 29 Part II – No.39 CHORUS “Their sound is gone out”
18 de 29 Part II – No.40 AIR “Why do the nations”
19 de 29 Part II – No.41 CHORUS “Let us break their bonds asunder”, No.42 RECITATIVE “He that dwelleth in heaven”
20 de 29 Part II – No.43 AIR “Thou shalt break them”
21 de 29 Part II – No.44 CHORUS “Hallelujah”

PART III – DISCO 2
22 de 29 Part III – No.45 AIR “I know that my Redeemer liveth”
23 de 29 Part III – No.46 CHORUS “Since by man came death”
24 de 29 Part III – No.47 RECITATIVE “Behold, I tell you a mystery”
25 de 29 Part III – No.48 AIR “The trumpet shall sound”, No.49 RECITATIVE “Then shall be brought to pass”
26 de 29 Part III – No.50 DUET “O death”
27 de 29 Part III – No.51 CHORUS “But thanks be to God”
28 de 29 Part III – No.52 AIR “If God be for us”
29 de 29 Part III – No.53 CHORUS “Worthy is the Lamb”

Para degustar:

Oratório Messiah, HWV 56, de George Frideric Handel, versão 1754
Le Concert Spirituel, choir & orchestra e Hervé Niquet, maestro – 2016
Sopranos (Sandrine Piau, Katherine Watson)
Contralto (Anthea Pichanick)
Tenor (Rupert Charlesworth)
Baixo-barítono (Andreas Wolf)

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE 
XLD RIP | FLAC | 958 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE 
MP3 | 320 KBPS | 503 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 1 h 56 min

Só o Avicenna mesmo para fazer isso!

 

 

 

 

 

 

 

Por gentileza, quando tiver problemas para descompactar arquivos com mais de 256 caracteres, para Windows, tente o 7-ZIP, em https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ e para Mac, tente o Keka, em http://www.kekaosx.com/pt/, para descompactar, ambos gratuitos.

If you have trouble unzipping files longer than 256 characters, for Windows, please try 7-ZIP, at https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ and for Mac, try Keka, at http://www.kekaosx.com/, to unzip, both at no cost.

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

Lalande: Majesté – Ensemble Aedes, Le Poème Harmonique, dir. Vincent Dumestre – 2018

Majesté – Te Deum et Grands Motets de Lalande

Michel Richard de Lalande
France, 1657-1726

Collection Château de Versailles

Le Poème Harmonique
dir. Vincent Dumestre

2018

Em 1683, Michel-Richard de Lalande entrou na Chapelle Royale como um vice-mestre (sous-maître) depois de receber o apoio de Luís XIV em um formidável concurso de recrutamento. Com apenas 25 anos, o jovem compositor rapidamente se tornou o favorito do rei e alcançou os cargos mais cobiçados da corte em uma carreira de quase quarenta anos.

Acima de tudo, Luís XIV o incluiu nas consultas para a construção da nova Chapelle Royale, adjacente ao Palácio de Versalhes. À medida que os arcos subiam gradualmente para o céu, Lalande compôs e revisou seus motetos, que expressam a grandeza então inigualável do reino, ao mesmo tempo que testemunham a acústica incomparável da capela. Suas obras – conjuntos de salmos, hinos e Te Deum – registram a atmosfera na corte na liturgia, em tempos de angústia e alegria.

Após a gravação anterior das configurações de Te Deum por Lully e Charpentier no Chapelle Royale, Vincent Dumestre e Le Poème Harmonique agora retornaram a Versailles para enfrentar a música que Lalande compôs para aquele lugar extraordinário. Juntamente com os grandes motetos Deitatis majestatem e Ecce nunc benedicite, com sua síntese da pompa real e a linguagem da ópera, eles oferecem o emocionante Miserere e o mais grandioso Te Deum realizado no reinado de Luís XIV, o Te Deum do próprio rei .(ex-internet)

Lalande: Majesté

01. Deitatis Majestatem: Deitatis Majestatem: Deitatis Majestatem
02. Deitatis Majestatem: Deitatis Majestatem: Hic enim misericors
03. Deitatis Majestatem: Deitatis Majestatem: Simphonie
04. Deitatis Majestatem: Deitatis Majestatem: O caro Christi vera
05. Deitatis Majestatem: Deitatis Majestatem: Te omnes angeli
06. Deitatis Majestatem: Deitatis Majestatem: O mentis jubilatio
07. Deitatis Majestatem: Deitatis Majestatem: Quam dulcis est
08. Deitatis Majestatem: Deitatis Majestatem: O bonitatis prodigium
09. Ecce Nunc Benedicite, S.8: Ecce Nunc Benedicite, S.8: Ecce nunc benedicite Dominum
10. Ecce Nunc Benedicite, S.8: Ecce Nunc Benedicite, S.8: In noctibus extollite
11. Ecce Nunc Benedicite, S.8: Ecce Nunc Benedicite, S.8: Benedicat te Dominus ex Sion
12. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: Te Deum laudamus
13. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: Te æternum Patrem
14. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: Tibi omnes angeli
15. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: Sanctus, Sanctus, Sanctus
16. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: Te gloriosus Apostolorum
17. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: Te per orbem terrarum
18. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: Tu rex gloriæ
19. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: Tu, ad liberandum
20. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: Tu, devicto mortis aculeo
21. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: Tu ad dexteram Dei sedes
22. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: Te ergo quæsumus
23. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: Æterna fac cum sanctis
24. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: Salvum fac populum tuum
25. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: Et rege eos
26. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: Per singulos dies benedicimus te
27. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: Dignare, Domine
28. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: Miserere nostri
29. Te Deum, S.32: Te Deum, S.32: In te, Domine, speravi

Para degustar:

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC | 757 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 | 320 KBPS | 199 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 1 h 15 min

Gravado na Capella Cracovientis, durante o Création Festival Misteria Paschalia, Cracovia, em 2017.

Por gentileza, quando tiver problemas para descompactar arquivos com mais de 256 caracteres, para Windows, tente o 7-ZIP, em https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ e para Mac, tente o Keka, em http://www.kekaosx.com/pt/, para descompactar, ambos gratuitos.

If you have trouble unzipping files longer than 256 characters, for Windows, please try 7-ZIP, at https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ and for Mac, try Keka, at http://www.kekaosx.com/, to unzip, both at no cost.

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

The Art of Anne Sofie von Otter – 2013


The Art of
Anne Sofie von Otter

Anne Sofie von Otter é uma das principais mezzo-soprano da atualidade, conhecida por sua versatilidade em papéis de óperas, suas interessantes opções de recitais e sua disposição em assumir riscos vocais. Seu pai era um diplomata sueco cuja carreira levou a família a Bonn, Londres, e de volta a Estocolmo enquanto Anne Sofie estava crescendo. Como resultado, ela ganhou fluência em idiomas. Estudou música na Guildhall School of Music and Drama, em Londres. Sua principal professora de voz era Vera Rozsa, enquanto Erik Werba e Geoffrey Parsons a treinavam na interpretação de lieder.

Ela ganhou um contrato com a Basle Opera em 1983 e permaneceu na empresa até 1985, estreando como Alcina no Orlando Paladino de Franz Joseph Haydn. Ela também assumiu vários papéis masculinos escritos para mezzo-sopranos femininos, incluindo Cherubino no casamento de Mozart com Figaro, Hänsel no Hänsel und Gretel de Humperdinck e Orpheus no Orfée et Eurydice de Gluck. Em 1984, estreou no Festival de Aix-en-Provence como Ramiro em La Finta Giardiniera, de Mozart. Outras interpretações incluem Otaviano em Rosenkavalier de Strauss, o Compositor em Ariadne auf Naxos de Strauss e o papel-título de Tancredi de Rossini, entre outros.

Uma mulher alta e escultural, ela sente-se em casa em inúmeras séries de óperas do século XVIII, nas quais vozes altas costumavam interpretar os heróis. Ela cantou em Covent Garden, La Scala, Berlim, Munique, Roma e outras grandes casas de ópera.

Outra razão para a alta proporção de óperas da era barroca e clássica em seu repertório é uma importante relação de trabalho com o maestro John Eliot Gardiner, maestro britânico que começou como especialista em barroco. Ela fez o primeiro teste para ele em 1985, mas não conseguiu impressionar. Foi apenas com uma chance subseqüente para ele ouvi-la que ele começou a trabalhar com ela. Ela se juntou a ele em gravações da Nona Sinfonia de Beethoven; Clemenza di Tito de Mozart, Idomeneo e Requiem; Favola d’Orfeo de Monteverdi e L’Incoronazione di Poppea; Agripina e Jefté, de Handel; Orfée et Eurydice, de Gluck; e Oratório de Natal de Bach e St. Matthew Passion. Ele também conduziu a gravação de Seven Deadly Sins, de Weill, por von Otter, e selecionou músicas de teatro. Gravações significativas desde 2000 incluem Terezin / Theresienstadt, música do campo de concentração, e Boldemann, Gefors, Hillborg, canções orquestrais suecas contemporâneas.

Seu outro grande parceiro artístico é o pianista sueco Bengt Forsberg, seu parceiro de recital. Como Forsberg é um dos principais estudiosos no campo da literatura musical, von Otter conta com ele para sugerir músicas e organizar os programas de seus recitais. Com ele, ela se especializou em lieder desde os períodos do início e do final do período romântico, incluindo gravações bem recebidas de músicas de Schubert, Schumann, Brahms, Zemlinsky, Korngold e Mahler, além dos compositores românticos nórdicos, Alfvén, Rangstrom, Stenhammer e Sibelius.

Ela aprecia cantar músicas nas tonalidades especificadas originalmente pelos compositores. Quando ela veio gravar Seven Deadly Sins de Kurt Weill, ela usou a versão original para soprano alto, uma gama que ela possui, em vez da versão mezzo-soprano tradicional que foi feita para Lotte Lenya no final da carreira do cantor. Von Otter também gravou Seven Early Songs de Alban Berg, também música que é uma tensão para muitos sopranos. Além disso, ela não é avessa a esticar a voz para obter um efeito dramático. “Eu acredito em efeitos de choque”, ela disse uma vez em uma entrevista. No entanto, após os 40 anos de idade, ela teve algumas experiências particularmente ruins como resultado dessas duas tendências e, ela admite, magoou a voz. Como resultado, ela decidiu ser “sensata” e transpor para baixo. (extraído da internet)

Jacques Offenbach, nascido Jakob Eberst (Colônia, 1819 – Paris 1880)
1. Les Contes d’Hoffmann – Act – 1. Entr’acte (Barcarolle)
Anne Sofie von Otter, Stéphanie d’Oustrac & Les Musiciens du Louvre, Marc Minkowski & Chorus Of Les Musiciens Du Louvre

Franz Schubert (Austria, 1797 – 1828)
2. “Ellens Gesang III”, D839
Anne Sofie von Otter, Bengt Forsberg

Gioachino Antonio Rossini (Pésaro, Italy, 1792-Passy, Paris, 1868)
3. La Cenerentola, Act 2 “Nacqui all’affanno e al pianto”
Anne Sofie von Otter, Orchestra Of The Frankfurt Opera, James Levine

Edvard Grieg (Noruega, 1843 – 1907)
4. Haugtussa – Song Cycle, Op.67, Killingdans
Anne Sofie von Otter & Bengt Forsberg (piano)

Franz Schubert (Austria, 1797 – 1828)
5. Im Abendrot, D.799
Anne Sofie von Otter, Bengt Forsberg

Kurt Weill (1900 – 1950)
One Touch of Venus
6. I’m A Stranger Here Myself
Anne Sofie von Otter, NDR-Sinfonieorchester, John Eliot Gardiner

Johann Sebastian Bach (1685 – 1750)
St. Matthew Passion, BWV 244 – Part Two
7. No.47 Aria (Alto): “Erbarme dich, mein Gott”
Anne Sofie von Otter, Fredrik From, Baroque Concerto Copenhagen, Lars Ulrik Mortensen

Pyotr Ilyich Tchaikovsky (1840 – 1893)
Eugene Onegin, Op.24, TH. – Act 1
8. Scene and Aria. “Kak ya lyublyu pod zvuki pesen etikh” – “Uzh kak po mostu, mostochku”
Mirella Freni, Anne Sofie von Otter, Staatskapelle Dresden, James Levine

Wolfgang Amadeus Mozart (1756 – 1791)
Requiem in D Minor, K. 626, compl. by Franz Xaver Süssmayer
9. 6. Benedictus

Anne Sofie von Otter, Barbara Bonney, Hans Peter Blochwitz, Willard White, English Baroque Soloists, John Eliot Gardiner

Edvard Grieg (1843 – 1907)
Haugtussa – Song Cycle, Op.67
10. Ved gjaetle – bekken
Anne Sofie von Otter, Bengt Forsberg

Wolfgang Amadeus Mozart (1756 – 1791)
La clemenza di Tito, K. 621, Act 1
11. “Parto, ma tu ben mio”
12. “Oh Dei, che smania è questa”
Anne Sofie von Otter, English Baroque Soloists, John Eliot Gardiner

Kurt Weill (1900 – 1950)
One Touch of Venus
13. Speak Low
Anne Sofie von Otter, NDR-Sinfonieorchester, John Eliot Gardiner

George Frideric Handel (1685 – 1759)
Il pianto di Maria: “Giunta l’ora fatal” HWV 234
14. Cavatina: “Se d’un Dio fui fatta Madre”
Anne Sofie von Otter, Musica Antiqua Köln, Reinhard Goebel

Gustav Mahler (1860 – 1911)
Rückert-Lieder, Op. 44
15. 2. Liebst du um Schönheit
Anne Sofie von Otter, NDR-Sinfonieorchester, John Eliot Gardiner
16. Serenade (from: “Don Juan”)
Anne Sofie von Otter, Ralf Gothoni

George Frideric Handel (1685 – 1759)
Ariodante, HWV 33Act 2
17. “Tu preparati a morire”
Anne Sofie von Otter, Les Musiciens du Louvre, Marc Minkowski

Wolfgang Amadeus Mozart (1756 – 1791)
Idomeneo, re di Creta, K.366Act 1
18. “Il padre adorato”
Anne Sofie von Otter, English Baroque Soloists, John Eliot Gardiner

Johann Sebastian Bach (1685 – 1750)
Mass in B Minor, BWV 232
Kyrie: No.1 Kyrie eleison
19. Agnus Dei
Widerstehe doch der Sünde, Cantata BWV 54
20. 1. “Widerstehe doch der Sünde”
Anne Sofie von Otter, Baroque Concerto Copenhagen, Lars Ulrik Mortensen

Edvard Grieg (1843 – 1907)
Haugtussa – Song Cycle, Op.67
21. Elsk
Kurt Weill (1900 – 1950)
22. Berlin im Licht – Song
Franz Schubert (1797 – 1828)
23. Der Wanderer an den Mond, D.870, op.80, no.1
Anne Sofie von Otter, Bengt Forsberg

Christoph Willibald von Gluck (1714 – 1787)
Paride ed Elena, Wq 39Act 1
24. “O del mio dolce ardor”
Anne Sofie von Otter, Paul Goodwin, The English Concert, Trevor Pinnock

George Frideric Handel (1685 – 1759)
Hercules, HWV 60Act 2
25. Aria: “When beauty sorrow’s liv’ry wears”
Anne Sofie von Otter, Les Musiciens du Louvre, Marc Minkowski

Edvard Grieg (1843 – 1907)
Haugtussa – Song Cycle, Op.67
26. Det syng
27. Med en Vandilje, Op.25, No.4
Anne Sofie von Otter, Bengt Forsberg

Claudio Monteverdi (1567 – 1643)
L’incoronazione di Poppea, SV 308Act 2
28. Adagiati, Poppea – Oblivion soave (Arnalta)
Anne Sofie von Otter, Jakob Lindberg, Jory Vinikour

Johannes Brahms (1833 – 1897)
Fünf Lieder, Op.47
29. 3. Sonntag “So hab ich doch”
Franz Schubert (1797 – 1828)
30. Im Walde D 708
Anne Sofie von Otter, Bengt Forsberg

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE 
XLD RIP | FLAC | 438 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE 
MP3 | 320 KBPS | 258 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 2 h 06 min

Palhinha: ouça: 14. Cavatina: “Se d’un Dio fui fatta Madre”

Por gentileza, quando tiver problemas para descompactar arquivos com mais de 256 caracteres, para Windows, tente o 7-ZIP, em https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ e para Mac, tente o Keka, em http://www.kekaosx.com/pt/, para descompactar, ambos gratuitos.

If you have trouble unzipping files longer than 256 characters, for Windows, please try 7-ZIP, at https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ and for Mac, try Keka, at http://www.kekaosx.com/, to unzip, both at no cost.

Boa audição!

Avicenna

Antonio Vivaldi (1678-1741): Arie d’Opera dal fondo Foà 28 – Sandrine Piau; Paul Agnew; Modo Antiquo Ensemble, Federico Sardelli


Antonio Lucio Vivaldi
Veneza, 1678-Viena, 1741

Sandrine Piau, soprano
Ann Hallenberg, mezzosoprano
Paul Agnew, tenor
Guillemette Laurens, mezzosoprano

Modo Antiquo Ensemble
Federico Maria Sardelli

2005

Um CD de gravações de estreia mundial de músicas que não são ouvidas desde os dias de Vivaldi. O volume 28 da coleção Foà é a coleção pessoal de árias de ópera de Vivaldi e inclui variantes nas árias realizadas nas óperas.

As performances sob a direção elegante de Federico Maria Sardelli, que também contribui com um deslumbrante obbligato na gravação da ária final, são esplêndidas. Sandrine Piau e Ann Hallenberg carregam o maior peso de responsabilidade em árias, muitas das quais exigem pirotecnia vocal e um nível constantemente alto de realização técnica. Vivaldi incluiu apenas quatro árias para tenor em seu ‘kit de viagem’ e todas elas estão incluídas aqui. Paul Agnew enfrenta seus muitos desafios admiravelmente e as duas gravações de La verità in cimento estão entre as melhores peças desta seleção.

Dos quatro excelentes cantores, é Paul Agnew que lida com as coisas mais consistentemente ingratas e … ele negocia tudo com enorme desenvoltura. … A verdadeira maravilha é Sandrine Piau, que não só tem a música mais memorável… mas também mostra uma maneira deliciosamente fresca e uma veia rica de ornamentação eficaz. (extraído da internet)

Arie d’Opera – Modo Antiquo Ensemble
01. La Candace RV 704 – Certo timor ch’ho in petto
02. La Silvia RV 734 – E barbaro quel cor
03. La verita in cimento RV 739 – Mi Fe Reo L’Amor D’Un Figlio
04. RV 749.21 – Zeffiretti che sussurrate
05. La Candace RV 704 – Anima del cor mio
06. La Candace RV 704 – Usignoli che piangete
07. La verita in cimento RV 739 – Quando serve alla ragione
08. La Silvia RV 734 – Quell’augellin
09. La Silvia RV 734 – Mio cor s’io ti credessi
10. Tito Manlio RV 738-A – Dar la morte a te mia vita
11. Tieteberga RV 737 – L’innocenza sfortunata
12. Medea e Giasone RV 749.13 – Se fido rivedrÚ
13. La Silvia RV 734 – Sei tiranna se un ben fedel
14. Tito Manlio RV 738-A – D’improvviso riede il riso
15. La Candace RV 704 – Chi s’oppone a miei voleri
16. La Candace RV 704 – Lo Son Fra L’Onde

Arie d’Opera – Modo Antiquo Ensemble – 2005
Modo Antiquo Ensemble, Federico Maria Sardelli
Sandrine Piau, Ann Hallenberg
Paul Agnew, Guillemette Laurens

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE 
XLD RIP | FLAC | 325 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE 
MP3 | 320 KBPS | 157 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 1 h 05 min

Sandrine deslumbrada com a PQPBach Corp.

 

 

 

 

 

 

 

Por gentileza, quando tiver problemas para descompactar arquivos com mais de 256 caracteres, para Windows, tente o 7-ZIP, em https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ e para Mac, tente o Keka, em http://www.kekaosx.com/pt/, para descompactar, ambos gratuitos.

If you have trouble unzipping files longer than 256 characters, for Windows, please try 7-ZIP, at https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ and for Mac, try Keka, at http://www.kekaosx.com/, to unzip, both at no cost.

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

Pergolesi: Stabat Mater – Sandrine Piau • Christopher Lowrey • Les Talens Lyriques, Christophe Rousset

Pergolesi: Stabat Mater – Sandrine Piau • Christopher Lowrey • Les Talens Lyriques, Christophe Rousset


Pergolesi: Stabat Mater

Sandrine Piau, Christopher Lowrey

Les Talens Lyriques, Christophe Rousset

2020

 

Volto a postar em grande estilo: Sandrine Piau embalada pelos Les Talens Lyriques! Excelente CD que ressalta a evidente cumplicidade de Sandrine com Les Talens Lyriques. C’est fantastique !

Parceiros de longa data, Sandrine Piau e Christophe Rousset têm interpretado com frequência o Stabat Mater, uma obra emblemática do repertório napolitano do século XVIII, tanto juntos quanto com outros músicos. Foi, portanto, um passo natural para eles gravar esta obra-prima suprema da música sacra. Eles se juntam aqui por um parente recém-chegado a Les Talens Lyriques, que também se tornou um parceiro regular do grupo, o contratenor americano Christopher Lowrey (já ouvido em um disco Alpha dedicado a Monteverdi, Alpha 216).

O programa é completado por um Beatus vir de Leonardo Leo (1694-1744), cantado por Sandrine Piau, e um Salve Regina para alto de Nicola Porpora (1686-1768), duas obras totalmente desconhecidas de dois compositores que, no entanto, eram muito famosos na época – Porpora, por exemplo, era o professor de canto de Farinelli e mentor do jovem Haydn.

Christophe Rousset encontra nessa música ‘uma expressão de piedade muito mediterrânea e com muito sabor, na qual a pessoa passa das lágrimas ao riso rapidamente’. Sandrine Piau vê em Leo “uma elegância de estilo, uma certa distância na tristeza”. (extraído da internet)

Giovanni Battista Pergolesi (Itália 1710 – 1736)
01. Stabat Mater in F Minor, P. 77: I. Stabat Mater dolorosa
02. Stabat Mater in F Minor, P. 77: II. Cujus animam gementem
03. Stabat Mater in F Minor, P. 77: III. O quam tristis et dolebat
04. Stabat Mater in F Minor, P. 77: IV. Quae moerebat et dolebat
05. Stabat Mater in F Minor, P. 77: V. Quis est homo qui non fleret
06. Stabat Mater in F Minor, P. 77: VI. Vidit suum dulcem natum
07. Stabat Mater in F Minor, P. 77: VII. Eia Mater fons amoris
08. Stabat Mater in F Minor, P. 77: VIII. Fac ut ardeat cor meum
09. Stabat Mater in F Minor, P. 77: IX. Sancta Mater istud agas
10. Stabat Mater in F Minor, P. 77: X. Fac ut portem Christi mortem
11. Stabat Mater in F Minor, P. 77: XI. Inflammatus et accensus
12. Stabat Mater in F Minor, P. 77: XII. Quando corpus morietur

Nicola Porpora (Itália, 1686-1768)
13. Salve Regina in G Major: I. Salve Regina
14. Salve Regina in G Major: II. Ad te clamamus
15. Salve Regina in G Major: III. Ad te suspiramus
16. Salve Regina in G Major: IV.Eia ergo
17. Salve Regina in G Major: V. Et Jesum
18. Salve Regina in G Major: VI. O clemens

Leonardo Ortensio Salvatore de Leo (Itália, 1694 – 1744)
19. Beatus vir qui timet in F Major: I. Beatus vir
20. Beatus vir qui timet in F Major: II. Exortum est
21. Beatus vir qui timet in F Major: III. Misericors
22. Beatus vir qui timet in F Major: IV. Iucundus homo
23. Beatus vir qui timet in F Major: V. Dispersit
24. Beatus vir qui timet in F Major: VI. Gloria
25. Beatus vir qui timet in F Major: VII. Sicut era

Pergolesi: Stabat Mater – 2020
Les Talens Lyriques, Christophe Rousset
Sandrine Piau & Christopher Lowrey

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE 
XLD RIP | FLAC | 270 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE 
MP3 | 320 KBPS | 150 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 1 h 06 min

Saudades de minha pombinha!

 

 

 

 

 

 

 

Por gentileza, quando tiver problemas para descompactar arquivos com mais de 256 caracteres, para Windows, tente o 7-ZIP, em https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ e para Mac, tente o Keka, em http://www.kekaosx.com/pt/, para descompactar, ambos gratuitos.

If you have trouble unzipping files longer than 256 characters, for Windows, please try 7-ZIP, at https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ and for Mac, try Keka, at http://www.kekaosx.com/, to unzip, both at no cost.

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

 

Heinrich Schütz (Alemanha, 1585-1672): Musicalische Exequien – Vox Luminis, dir. Lionel Meunier – 2012

Musicalische Exequien

Heinrich Schütz
Alemanha, 1585-1672

Vox Luminis
dir. Lionel Meunier

2012

 

Heinrich Schütz, considerado um dos 10 melhores compositores barroco segundo a revista britânica Gramophone. (https://www.gramophone.co.uk/feature/top-10-baroque-composers). Musicalische Exequien, considerada uma de suas obras primas, pela mesma publicação. Abaixo, os comentários da Gramophone sobre esta obra:

Se você ainda não percebeu que o Musicalische Exequien – a sequência fúnebre de 30 minutos que Schütz compôs em 1636 para o Príncipe Heinrich Posthumus von Reuss – é uma obra-prima, então este disco deve, de alguma forma, convencê-lo. Schütz tirou seus textos do próprio Reuss, ou mais especificamente dos trechos bíblicos que ele ordenou que fossem inscritos em seu sarcófago densamente decorado, de modo que não tem exatamente a mesma conotação pessoal como o trabalho com o qual é freqüentemente comparado, o Réquiem Alemão de Brahms. Nem se baseia nos mesmos recursos, sendo escrito para um pequeno conjunto de vozes com acompanhamento contínuo simples, mas a habilidade e refinamento com que Schütz manipula passagens de solo e tutti, e a profundidade e precisão emocional de sua resposta ao texto, resultam em algo não menos profundo e não menos tocante em sua visão totalmente luterana da morte como libertação bem-vinda das dores do mundo no cuidado amoroso de Deus. Ouvindo a pungente conclusão de Nunc dimittis, é preciso imaginar se a morte alguma vez pareceu mais nobre ou sublime.

As 12 vozes do grupo belga Vox Luminis depositaram sua fé no foco tonal e em texturas docemente balanceadas. Embora se espere um certo frescor, o canto deles produz música de beleza íntima e dolorosa. O som gravado, suavemente ressonante, é perfeito. Esta grande obra é precedida por outros temas funerários de Schütz, incluindo mais dois cenários do Nunc dimittis e um sincero memorial do músico ao compositor Schein. Nas mãos de Vox Luminis, até mesmo os quatro versos do coral uníssono de Lutero, Mit Fried und Freud, sensibilizam o coração. Um disco maravilhoso.

Heinrich Schütz
01. Herr, nun lassest du deinen Diener in Friede Fahen, SWV 432
02. Ich bin die Auferstehung und das Leben, SWV 464
03. Herr, nun lassest du deinen Diener in Friede fahen, SWV 433
04. Das ist je gewisslich wahr, SWV 277
05. Wir glauben all an einen Gott
06. Mit Fried und Freud fahr ich dahin

Musicalische Exequien, SWV 279
07. Concert in Form einer teutschen Begrabnis-Missa: Nacket bin ich
08. Concert in Form einer teutschen Begrabnis-Missa: Also hat Gott die Welt geliebt

09. Herr, wenn ich nur dich habe, SWV 280
10. Herr, nun lassest du deinen Diener in Friede fahren, SWV 281

Schütz: Musicalische Exequien
Vox Luminis
dir. Lionel Meunier
2012

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE 
XLD RIP | FLAC | 516 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE 
MP3 | 320 KBPS | 133 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 56 min

Por gentileza, quando tiver problemas para descompactar arquivos com mais de 256 caracteres, para Windows, tente o 7-ZIP, em https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ e para Mac, tente o Keka, em http://www.kekaosx.com/pt/, para descompactar, ambos gratuitos.

If you have trouble unzipping files longer than 256 characters, for Windows, please try 7-ZIP, at https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ and for Mac, try Keka, at http://www.kekaosx.com/, to unzip, both at no cost.

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

Georg Philipp Telemann (Alemanha, 1681-1767): Concertos & Cantata Ihr Völker hört – Florilegium Ensemble

Georg Philipp Telemann
Alemanha, 1681-1767

Concertos & Cantata Ihr Völker hört

Florilegium Ensemble
Clare Wilkinson (mezzo-soprano)

2016

 

Telemann, considerado um dos 10 melhores compositores barroco segundo a revista britânica Gramophone. (https://www.gramophone.co.uk/feature/top-10-baroque-composers). Concertos & Cantata Ihr Völker hört, considerada uma de suas obras primas, pela mesma publicação. Abaixo, os comentários da Gramophone sobre esta obra:

Este atraente programa misto de obras da Telemann com flauta ou flauta doce foi projetado por Ashley Solomon para celebrar o 25º aniversário do Florilegium. O Concerto Triplo para Flauta, Oboé d’amore e Viola d’amore em mi maior (TWV53: E1) destaca-se como uma das obras-primas mais sedutoras do compositor: a abertura límpida Andante soa como uma serena evocação do nascer do sol que antecipa o maduro Haydn por muitas décadas; os solistas Solomon, Alexandra Bellamy e Bojan Čičić tocam com elegante ‘finesse’, e também evocam uma refinada melancolia em uma Siciliana intimamente conversacional. 

Concerto Duplo para Flauta Doce e Viola da Gamba em lá menor (TWV52: a1) é um exemplo encantador do gosto de Telemann por sintetizar estilos musicais franceses e italianos com elementos da música folclórica polonesa; a elegância civilizada de Florilegium no estilo francês Grave, a suave influência italiana no Allegro, e o dueto de Solomon com o músco Reiko Ichise no Dolce tem sensibilidade pastoral. Sempre se apresentando com cultivado refinamento, o Florilegium fornece uma alternativa contemplativa para a abordagem mais firmemente texturizada e aguda tomada porLa Stagione Frankfurt (CPO, 2015).

No coração do programa está Ihr Völker hört (TWV1: 921), uma cantata para voz solo e instrumento obbligato (tocada aqui na flauta por Solomon) que foi publicada na primeira parte da série Harmonischer Gottes-Dienst (Hamburgo, 1725 26). O canto agradavelmente suave e articulado de Clare Wilkinson comunica o alegre texto da Epifania. Solomon ocupa o centro do palco em um Concerto para Flauta em Ré maior (TWV51: D2), mas meus ouvidos foram atraídos igualmente para o simpático continuo-playing do teorbista David Miller e do cravista Terence Charlston.

O final é um Overture and Dance Suite em F maior (TWV55: F16), dedicado ao Landgrave de Darmstadt e provavelmente escrito no final da longa vida de Telemann; no turbulento Ramellian ‘Tempête’ um par de trompa e fagote estão em uma forma emocionante, então é uma pena que três das danças não coubessem no disco.

Georg Philipp Telemann
01 – 04 – Concerto in E major TWV53
05 – 08 – Concerto in A minor TWV52
09 – 11 – Cantata Ihr Völker hört TWV1
12 – 15 – Concerto in D major TWV51
16 – 19 – Concerto a 4 in A minor TWV43
20 – 25 – Overture in F major TWV55

Florilegium Ensemble
2016

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE 
XLD RIP | FLAC | 798 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE 
MP3 | 320 KBPS | 184 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 1 h 25 min

Por gentileza, quando tiver problemas para descompactar arquivos com mais de 256 caracteres, para Windows, tente o 7-ZIP, em https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ e para Mac, tente o Keka, em http://www.kekaosx.com/pt/, para descompactar, ambos gratuitos.

If you have trouble unzipping files longer than 256 characters, for Windows, please try 7-ZIP, at https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ and for Mac, try Keka, at http://www.kekaosx.com/, to unzip, both at no cost.

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

Claudio Monteverdi (1567- 1643): Vespro della Beata Vergine, 1610, ‘Vespers’ – Taverner Consort, Choir and Players; dir. Andrew Parrott

Vespro della Beata Vergine, ‘Vespers’, 1610

Claudio Giovanni Antonio Monteverdi
Cremona, 1567- Veneza, 1643

Taverner Consort, Choir and Players
dir. Andrew Parrott

Gravado em 1984

Emma Kirkby, soprano
Nigel Rogers, tenor

Monteverdi, considerado um dos 10 melhores compositores barroco segundo a revista britânica Gramophone. (https://www.gramophone.co.uk/feature/top-10-baroque-composers). Vespers, considerada uma de suas obras primas, pela mesma publicação. Abaixo, os comentários da Gramophone sobre esta obra:

Os problemas técnicos e interpretativos das Vésperas de Monteverdi de 1610 são inúmeros. Deveria todo o volume ser executado como uma peça única, ou apenas os salmos, ou talvez uma mistura de salmos e de motetos? Uma vez que as linhas vocais na publicação original são fortemente ornamentadas, isso impede a adição de mais embelezamento segundo a maneira dos livros de instrução contemporâneos? Que porções devem ser cantadas em coro (e quão grande deve ser tal ‘coro’), e qual dos solistas? Como o contínuo deve ser realizado? Muitas dessas dificuldades derivam das ambiguidades da publicação original das Vésperas, que continua sendo a fonte de onde todas as edições modernas devem ser feitas. Outras são causadas por incertezas em torno da prática litúrgica do século XVII. Em ambas as áreas, esta nova gravação oferece novas idéias.

Em primeiro lugar a liturgia. A controvérsia central levantada pelas Vésperas diz respeito a cinco composições não-litúrgicas inseridas entre os salmos marianos, hino e Manificat: Nigra soma, Pulchra es, Duo Serafim, Audi coelum e a Sonata sopra Sancta Maria. Estes, os concertos sagrados descritos na página de rosto como “apropriados para as capelas ou câmaras privadas de príncipes”, não se ajustam textualmente a qualquer escritório mariano conhecido, mas ocorrem na coleção de Monteverdi em posições normalmente ocupadas por antífonas de salmo. Essas aparentes contradições levaram alguns editores a sugerir que eles não deveriam ser realizados como parte das Vésperas. Mais convincente é a visão, seguida aqui, de que os concertos são substitutos das antífonas que faltam nas coleções de Monteverdi. E esse ponto de vista é levado ainda mais adiante, vendo-os como repetições de antífonas e inserindo o cantochão para a primeira linhagem ausente. Isso é feito para três dos salmos; para as restantes duas sonatas instrumentais contemporâneas de Giovanni Paolo Cima são realizadas. Um efeito é fazer essa versão parecer mais unificada, mais monumental.

Tanto fisicamente quanto emocionalmente os concertos são apresentados aqui como os pontos focais das Vésperas, as jóias da coroa. Certamente eles são a ocasião para alguns dos cantos mais espetaculares desta gravação. O ingrediente essencial aqui é o desempenho de Nigel Rogers, certamente o cantor mais talentoso e convincente do repertório virtuoso italiano do início do século XVII a ser encontrado em qualquer lugar. Agora, pouco depois de sua impressionante interpretação de Orfeo em outro lançamento do Reflexe (revisado na página 1382), vêm seus desempenhos persuasivos e aparentemente sem esforço em três dos concertos em sua maneira altamente característica, dramática, mas perfeitamente controlada. Em dois casos, Audi coelum e Duo Seraphim, ele é bem combinado com Andrew King e Joseph Cornwell. Em comparação, Pulchra es, cantada por Tessa Bonner e Emma Kirkby, parece bastante subestimada, certamente muito por esse texto deliberadamente e deliciosamente ambíguo.

Uma característica importante da interpretação de Andrew Parrott é sua concepção fundamental, historicamente acurada, das Vésperas como um trabalho de câmara e não um “coral”. Assim, apenas um instrumento é usado por parte, o cravo é empregado com muita parcimônia, e o grupo contínuo básico é restrito a órgão e quitarrona. Seguindo o mesmo princípio, uma voz por parte é considerada a norma. O resultado é uma clareza de textura, evidente a partir das barras de abertura, que permite que tempos corretos sejam usados sem sufocar as características rítmicas da escrita. Nisi Dominus, por exemplo, é levado a uma velocidade animada, mas não acaba parecendo apressado, como tantas vezes acontece. Lauda Jerusalém prossegue em um ritmo alegre sem perda de detalhes, e Laetatus soa imponente sem ser pisado. Que esses efeitos estejam sendo alcançados é em grande parte devido a decisões sobre o tamanho e o equilíbrio de forças.

Finalmente, devo mencionar uma outra escolha fundamental que representa algo como uma novidade. Tanto Lauda Jerusalém quanto o Magnificat são transpostos para um quarto aqui, como de fato deveriam estar de acordo com a convenção relativa às combinações de clave nas quais foram originalmente notadas. Isso traz todas as partes vocais para a tessitura do resto do trabalho e também restaura os instrumentos para suas faixas normais. Se o resultado é menos “excitante” do que a versão que estamos acostumados a ouvir tem apenas parcialmente a ver com questões de musicalidade. Para o resto, a este respeito, como em outros, uma das virtudes duradouras desta gravação equilibrada e discreta é que ela nos permite ouvir os Vesper como algo nos moldes que Monteverdi pretendia. (Iain Fenlon, Gramophone Magazine, https://www.gramophone.co.uk/review/monteverdi-vespers-8).

As faixas destes 2 CDs podem ser encontradas AQUI.

Taverner Consort, Choir and Players
dir. Andrew Parrott
1984

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE CD1+CD2
XLD RIP | FLAC | 441 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE CD1+CD2
MP3 | 320 KBPS | 270 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 1 h 46 min

Por gentileza, quando tiver problemas para descompactar arquivos com mais de 256 caracteres, para Windows, tente o 7-ZIP, em https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ e para Mac, tente o Keka, em http://www.kekaosx.com/pt/, para descompactar, ambos gratuitos.

If you have trouble unzipping files longer than 256 characters, for Windows, please try 7-ZIP, at https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ and for Mac, try Keka, at http://www.kekaosx.com/, to unzip, both at no cost.

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

 

Les Arts Florissants: Secular Music + Sacred Music + Music & Theater, dir. William Christie

Les Arts Florissants
Edição comemorativa de 40 anos
Secular Music
Sacred Music
Music & Theater
dir. William Christie, Paul Agnew

Sandrine Piau         Michel Laplénie
Veronique Gens         Ian Honeyman
Agnès Mellon         Philippe Cantor
2019

Dedicado ao desempenho da música barroca nos últimos 40 anos, Les Arts Florissants nunca deixa de revelar um novo repertório, muitos dos quais passamos a classificar como entre as melhores realizações musicais na vida cultural da França (Lully, de Lalande, Charpentier, Rameau …), Itália (Monteverdi, Rossi …) e Inglaterra (Purcell, Handel …) – um legado que eles disponibilizaram para músicos e grupos em todo o mundo.

Quer tenham sido destinados aos cultos da igreja, aos palcos de teatro ou ao entretenimento real, aqui estão algumas das melhores jóias musicais, desde a lendária gravação de Atys até as mais recentes coleções de arias e madrigais, para listar apenas algumas. Quase todos os capítulos musicais da história do conjunto fizeram história e, juntamente com horas de puro prazer, esta retrospectiva certamente trará de volta boas recordações de seu primeiro encontro com Les Arts Florissants, que se tornou um pilar de nossa vida cultural coletiva. (do site do produtor)

CD 01 – Musique Profane
Claudio Giovanni Antonio Monteverdi (Cremona, 1567- Veneza, 1643)
01 – Zefiro torna, e di soavi accenti, SV 251
02 – Madrigals, Book 8, SV 146–167 “Madrigali guerrieri et amorosi”: Lamento de la ninfa, SV 163
03 – Il combattimento di Tancredi e Clorinda, SV 153
04 – Madrigals, Book 7, SV 117–145: Lettera amorosa, SV 141 (Live)
05 – Sestina Lagrime d’Amante al Sepolcro dell’Amata, SV 107, Prima parte: I. “Incenerite spoglie”
Carlo Gesualdo, aka Gesualdo da Venosa (Italy, 1566 – 1613)
06 – Madrigals, Libro III: IX. Non t’amo, o voce ingrata
Honoré d’Ambruys (France, séc. 18)
07 – Le doux silence de nos bois
Michel Lambert (França, 1610-1696)
08 – Le repos, l’ombre, le silence
09 – Airs à une, II, III et IV parties avec la basse-continue: Sans murmurer
Michel Pignolet de Montéclair (França, 1667 – 1737)
10 – La Mort de Didon pour soprano, violon, flûte et basse continue (6e cantate, Livre I)

CD 02 – Musique Sacrée
Marc-Antoine Charpentier (France, 1643-1704)
01. Te Deum, H. 146: I. Prélude
Georg Friedrich Händel (Alemanha, 1685 – Inglaterra, 1759)
02. Messiah, HWV 56, Part II: “Hallelujah!”
03. The Ways of Zion Do Mourn: IV. She put on righteousness. Chorus
Marc-Antoine Charpentier (France, 1643-1704)
04. Le Reniement de Saint Pierre , H. 424
05. Antiennes “O” de l’Avent, H.36-43, Premier O: “O Sapientia”
Luigi Rossi (Italia, 1597 – 1653)
06. Un peccator pentito: “Spargete sospiri”
Claudio Giovanni Antonio Monteverdi (Cremona, 1567- Veneza, 1643)
07. Selva morale e spirituale, SV 252-288: “Chi vol che m’innamori” a 3 voci e due violini
08. Selva morale e spirituale, SV 252-288: “O ciechi ciechi” a 5 voci et doi violini
Jean-Baptiste Lully (Italy, 1632-France, 1687)
09. Salve Regina
Georg Friedrich Händel (Alemanha, 1685 – Inglaterra, 1759)
10. Il Trionfo del Tempo e del Disinganno, HWV 46a: “Lascia la spina, cogli la rosa ” (Piacere)
Michel Richard de Lalande (France, 1657-1726)
11. Cantique Quatrième “sur le bonheur des justes & sur le malheur des resprouvez”: “Heureux, qui de la sagesse”
12. Te Deum, S.32: I. Simphonie
13. Te Deum, S.32: II. Te Deum laudamus
Johann Sebastian Bach (Germany, 1685-1750)
14. Mass in B Minor, BWV 232: Benedictus (Live)
Sébastien de Brossard (França 1655 – 1730)
15. Miserere mei Deus, SdB. 53 (Live)

CD 03 – Musique & theatre
Marc-Antoine Charpentier (France, 1643-1704)
01. Les Arts florissants, H. 487: I. Ouverture
Jean-Baptiste Lully (Italy, 1632-France, 1687)
02. Atys, LWV 53, Prologue: Ouverture
03. Atys, LWV 53, Acte III, Scène 4: Prélude. “Dormons, dormons tous” (Le Sommeil)
Jean-Philippe Rameau (França, 1683-1764)
04. Castor & Pollux, RCT 32, Acte I, Scène 1: Que tout gémisse (Troupe de Spartiates)
05. Castor & Pollux, RCT 32, Acte I, Scène 3: Tristes apprêts, pâles flambeaux (Télaïre)
06. Anacréon, RCT 30: Quel Bruit? Quelle clarté vient ici se répandre? (Prétresse de Bacchus et sa suite, Anacréon, Lycoris, Suite d’Anachréon)
07. Les Indes galantes, RCT 44, Troisième Entrée, Scène 3: “Amour, Amour, quand du destin j’éprouve la rigueur…” (Zaïre, Tacmas)
Marc-Antoine Charpentier (France, 1643-1704)
08. David et Jonathas H. 490, Prologue, Scène 1: “Où suis-je ? Qu’ai-je fait ?” (Saül)
09. David et Jonathas H. 490, Acte I, Scène 3: “Ciel ! Quel triste combat en ces lieux me rappelle ?” (David)
10. Le Malade imaginaire, H. 495, Premier intermède: “Notte e di” (Spacamond)
Jean-Philippe Rameau (França, 1683-1764)
11. Pygmalion, RCT 52, Acte I, Scènes 1-3: Fatal Amour, cruel vainqueur (Pygmalion)
André Campra (França, 1660-1744)
12. Idoménée, Acte I, Scène 1: “Venez, Gloire, Fierté” (Ilione)
13. Idoménée, Acte II, Scène 1 – Scène 2: “O Dieux ! ô justes Dieux” (Chœur de peuple) – “Cessez de soulever les ondes” (Neptune)
Luigi Rossi (Italia, 1597 – 1653)
14. Orfeo, Acte III, Scène 10: “Abandonnez l’Averne, ô peines, et me suivez !” (Orfeo, Giove, Mercurio, Coro Celeste)
Jean-Philippe Rameau (França, 1683-1764)
15. Dardanus, RCT 35: “Hâtons-nous,courons à la gloire”
Antoine Dauvergne (França, 1713 – 1797)
16. La Vénitienne: “Livrons-nous au sommeil”
Michel Pignolet de Montéclair (França, 1667 – 1737)
17. Jephté, Act II, Scène 6: Marche au son des tambourins. “Ô jour heureux” (Iphise, Elise, Troupe d’Habitants de Maspha)

Les Arts Florissants: Secular Music + Sacred Music + Music & Theater
Les Arts Florissants 
dir. William Christie

Ansiosa para saber a opinião da turma do PQP.

 

 

 

 

 

 

 
.

 

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE CD1+CD2+CD3
XLD RIP | FLAC | 930 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE CD1+CD2+CD3
MP3 | 320 KBPS | 491 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 3 h 53 min

Por gentileza, quando tiver problemas para descompactar arquivos com mais de 256 caracteres, para Windows, tente o 7-ZIP, em https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ e para Mac, tente o Keka, em http://www.kekaosx.com/pt/, para descompactar, ambos gratuitos.

If you have trouble unzipping files longer than 256 characters, for Windows, please try 7-ZIP, at https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ and for Mac, try Keka, at http://www.kekaosx.com/, to unzip, both at no cost.

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

Jean-Philippe Rameau (France, 1683-1764): Zaïs – Les Talens Lyriques, dir. Christophe Rousset, avec Sandrine Piau, soprano

Zaïs

Jean-Philippe Rameau
France, 1683-1764

Les Talens Lyriques
dir. Christophe Rousset

avec Sandrine Piau, soprano

2014

 

Em 1745, o rei concedeu a Jean-Philippe Rameau a posição de Composer du Cabinet du Roy, que veio com uma substancial pensão. Este novo período veria produções de uma forma mais leve, em colaboração com o libretista Louis de Cahusac e algumas das mais importantes obras-primas do músico borgonhês.

Zaïs, realizada em 1748 no palco da Académie Royale de Musique, é uma delas. Este ballet-héroïque deu à música francesa uma das suas melhores obras. A partitura inteira está à imagem de sua famosa abertura: organizar o Caos, surpreendente em seus timbres teatrais e na ousadia da harmonia. Embora o enredo seja bastante frágil – um amante (Zaïs) testando sua amada (Zélidie) para apreciá-la ainda mais – é o pretexto para inúmeros divertimentos e danças, cuja magia é um verdadeiro encanto ao ouvido.

40 anos depois de Gustav Leonhardt, é a vez de Christophe Rousset trabalhar nesta partitura em uma série contínua de gravações, concertos e escritos que fizeram dele um dos principais campeões de Rameau. (ex-internet)

As 80 faixas de Zaïs podem ser encontradas AQUI.

Palhinha: aprecie um vídeo especial para degustação:

Rameau – Zaïs – 2014
Les Talens Lyriques
dir. Christophe Rousset

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE CD1+CD2+CD3
XLD RIP | FLAC | 886 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE CD1+CD2+CD3
MP3 | 320 KBPS | 401 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 2 h 37 min

Sandrine encantada com o trabalho do Avicenna!

Por gentileza, quando tiver problemas para descompactar arquivos com mais de 256 caracteres, para Windows, tente o 7-ZIP, em https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ e para Mac, tente o Keka, em http://www.kekaosx.com/pt/, para descompactar, ambos gratuitos.

If you have trouble unzipping files longer than 256 characters, for Windows, please try 7-ZIP, at https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ and for Mac, try Keka, at http://www.kekaosx.com/, to unzip, both at no cost.

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

Delalande, Couperin, Lully: Messe du Roi Soleil – Ensemble Marguerite Louise, dir. Gaétan Jarry

Messe du Roi Soleil

Michel Richard Delalande (France, 1657-1726)
François Couperin (França, 1668 – 1733)
Jean-Baptiste Lully (Italy, 1632-France, 1687)

Ensemble Marguerite Louise
dir. Gaétan Jarry

2019

 

A Missa do Rei Sol foi sem dúvida um dos rituais privilegiados para a construção da glória do soberano, tanto pelo seu esplendor quanto pelo aspecto cerimonial que paralisa o tempo, solidificando a imagem eterna do poder real. Os maiores compositores do reino distinguiram-se fazendo do serviço sagrado um verdadeiro concerto celestial. O sino tocou, os pífanos e os tambores anunciaram a chegada do rei na galeria, o órgão explodiu os Grands Motets de Lully e Delalande, encantados sob as abóbadas douradas, os delicados e íntimos Petits Motets de Couperin aparecem com graça nas alcovas da Capela Real…

O Rei Sol ouviu vários tipos de missa em sua capela, a mais famosa a “missa baixa solene” que consistia em um grand motet, um petit motet e um Domine salvum fac regem, todos cantados enquanto o padre falava calmamente a liturgia. Em outras ocasiões, ele ouviu música de órgão e canto e aqui nós temos um pouco de tudo, às vezes um pouquinho. Assim, o efeito geral é bastante insatisfatório, embora as obras principais – configurações de salmo de Delalande e Lully – sejam peças esplêndidas, dignamente cantadas. De fato, os solos e duetos de soprano são alguns dos melhores que eu já ouvi há muito tempo. No entanto, o veredicto geral tem que ser “poderia fazer melhor”. (ex-internet)

François-André Danican Philidor (França, 1726 – 1795
01. Marche pour fifres et tambours
Jean-Adam Guilain (Alemanha, c. 1680 – after 1739)
02. Suite du troisième ton: Plein Jeu
Michel Richard Delalande (France, 1657-1726)
03. Exaltabo te Domine, S.66: I. Exaltabo te Domine
04. Exaltabo te Domine, S.66: II. Psallite Domino,
05. Exaltabo te Domine, S.66: III. Ad vesperum demorabitur
06. Exaltabo te Domine, S.66: IV. Ego autem dixi
07. Exaltabo te Domine, S.66: V. Avertisti faciem tuam
08. Exaltabo te Domine, S.66: VI. Ad te clamabo
09. Exaltabo te Domine, S.66: VII. Quae utilitas
10. Exaltabo te Domine, S.66: VIII. Audivit Dominus
François Couperin (França, 1668 – 1733)
11. Messe des couvents: Dialogue sur les grands jeux
12. Venite exultemus Domino
13. Messe des couvents: Tierce en taille
Anonyme
14. Communion de la Messe pour Saint Louis: Introibo in domum tuam Domine
Jean-Baptiste Lully (Italy, 1632-France, 1687)
15. Exaudiat te Dominus: I. Exaudiat
16. Exaudiat te Dominus: II. Tribuat tibi secundum
17. Exaudiat te Dominus: III. Impleat Dominus
18. Exaudiat te Dominus: IV. Exaudiet ilum de Coelo Sancto Suo
19. Exaudiat te Dominus: V. Ipsi obligati sunt
20. Exaudiat te Dominus: VI. Domine salvum fac Regem
21. Exaudiat te Dominus: VII. Gloria Patri e Filio

Messe du Roi Soleil
Delalande, Couperin, Lully
Ensemble Marguerite Louise – 2019
dir. Gaétan Jarry

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
XLD RIP | FLAC | 277 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE
MP3 | 320 KBPS | 121 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 54 min

Por gentileza, quando tiver problemas para descompactar arquivos com mais de 256 caracteres, para Windows, tente o 7-ZIP, em https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ e para Mac, tente o Keka, em http://www.kekaosx.com/pt/, para descompactar, ambos gratuitos.

If you have trouble unzipping files longer than 256 characters, for Windows, please try 7-ZIP, at https://sourceforge.net/projects/sevenzip/ and for Mac, try Keka, at http://www.kekaosx.com/, to unzip, both at no cost.

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna

Pe. José Maurício Nunes Garcia (1767-1830) – Ofício Fúnebre a Oito Vozes + Missa de Réquiem (1809) – Coro da OSESP

Pe. José Maurício Nunes Garcia
1767-1830, Rio de Janeiro, RJ

Coro da OSESP
dir. Carlos Alberto Figueiredo
Alessandro Santoro, órgão
Marialbi Trisolio, violoncelo

Ofício Fúnebre a Oito Vozes
Missa de Réquiem 1809
Abertura em Ré

A Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – OSESP, lançou o CD acima em 2017, para comemorar o 250º aniversário do nascimento do Padre José Maurício.

A gravação foi realizada somente com o Coro da OSESP sob a direção do maestro Carlos Alberto Figueiredo, autoridade em música sacra colonial brasileira, e apresenta a pouco conhecida Missa de Réquiem na versão 1809, pela primeira vez. A versão conhecida é a de 1816.

Uma novidade é o Selo Digital OSESP que “oferece música clássica para ouvir e baixar gratuitamente”, segundo o próprio site da OSESP, AQUI.

José Maurício 250
01. Abertura em Ré
02. Ofício Fúnebre a Oito Vozes – Responsório I. – Credo Quod Redemptor Meus Vivit
03. Ofício Fúnebre a Oito Vozes – Responsório II. – Qui Lazarum Resuscitasti
04. Ofício Fúnebre a Oito Vozes – Responsório III. – Domine Quando Veneris
05. Ofício Fúnebre a Oito Vozes – Responsório IV. – Memento Mei Deus
06. Ofício Fúnebre a Oito Vozes – Responsório V. – Hei Mihi Domine
07. Ofício Fúnebre a Oito Vozes – Responsório VI. – Ne Recorderis Peccata Mea
08. Ofício Fúnebre a Oito Vozes – Responsório VII. – Peccantem Me Quotidie
09. Ofício Fúnebre a Oito Vozes – Responsório VIII. – Domine Secundum Actum Meum
10. Ofício Fúnebre a Oito Vozes – Responsório IX. – Libera Me Domine
11. Missa de Réquiem (1809) – I. Introit and Kyrie
12. Missa de Réquiem (1809) – II. Gradual
13. Missa de Réquiem (1809) – III. Offertory
14. Missa de Réquiem (1809) – VI. Sanctus
15. Missa de Réquiem (1809) – V. Agnus Dei
16. Missa de Réquiem (1809) – VI. Communion

José Maurício 250
Pe. José Maurício Nunes Garcia
Coro da OSESP
dir. Carlos Alberto Figueiredo
Alessandro Santoro, órgão
Marialbi Trisolio, violoncelo

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE (link disponível)
MP3 | 256 KBPS | 126 MB

powered by iTunes 12.8.2 | 1 h 09 min

Boa audição!

 

 

 

 

Avicenna