G. P. Telemann (1681-1767): Oden 1741 (Mertens / Rémy)

Telemann é frequentemente colocado como um compositor de segunda linha. É que ele teve a infelicidade de pertencer à mesma geração de Bach e Handel e de ser mais moderninho. (Na verdade, ele estava alinhado com sua contemporaneidade. Estas canções são de 1741, quando o barroco já estava se despedindo). O fato de ele ser tão prolífico também fez com que alguns considerassem sua produção fácil e superficial. Mas sua música muitas vezes é profundamente comovente, e ele foi certamente um dos melhores compositores da atual Alemanha antes de Mozart e Schubert.

Este CD deixa claro o quão maravilhoso ele era. Na verdade, tendemos a pensar que o lieder alemão não começou antes de Beethoven e Mozart. (A canções avulsas não são um dos pontos fortes de Moz e de Beeth, certo?). É apenas quando chegamos a Schubert que os lieder assumem uma importância central na música alemã. Mas aqui temos Telemann cujo ‘Oden’ — ‘Odes’, uma palavra alemã sinônima à palavra ‘Lieder’, ‘Canções’ — não são apenas competentes, mas também belas e necessárias para a nossa compreensão do desenvolvimento posterior do lied.

As canções de arte, é claro, surgiram das canções folclóricas. Nas “24 canções de 1741” de Telemann, podemos sentir uma ascensão tanto em termos de qualidade como de textos. Os textos são fornecidos por poetas como Friedrich von Hagedorn, Daniel Stoppe, Johann Matthias Dreyer e Johann Arnold Ebert. Eles são principalmente anacreônticos, ou seja, escrevem letras que celebram a juventude, o prazer, a amizade.

Os acompanhamentos de cravo são pouco contrapontísticos. A voz é o importante, o acompanhamento fica em segundo plano. Se alguém ouvir com atenção, no entanto, descobrirá todos os tipos de sentimentos bem expressos. A execução de Ludger Rémy ao cravo é magistral. Minha única reclamação é que o som do cravo talvez esteja um pouco discreto demais. Por outro lado, Klaus Mertens é perfeito. Atrevo-me a dizer que ele é uma espécie de Fischer-Dieskau jovem. Ele é perfeito para essas canções despretensiosas, projetando seus significados com clareza.

Sobre minha comparação com Schubert: as melodias memoráveis ​​vêm uma após a outra. Fiquei muito impressionado com o parentesco entre as melodias de Telemann e as de seu santo sucessor, o Rei dos Lieder, Schubert. Se você ama Schubert, vai adorar essas canções. Confiram.

G. P. Telemann (1681-1767): Oden 1741 (Mertens / Rémy)

Odes (24), For Voice & Continuo, Twv 25:86-109
1 Indoctum Se Dulce Bibenti, Ode, Twv 25:86 3:37
2 Die Vergnügung, Ode, Twv 25:87 2:31
3 Die Tugend, Ode, Twv 25:88 2:20
4 Der Schäfer, ode, Twv 25:89 2:42
5 An Den Schlaf, Ode, Twv 25:90 3:21
6 Der Fröhliche Ausgeber, Ode, Twv 25:91 2:13
7 Wahre Vorzüge, Ode, Twv 25:92 2:08
8 Das Lachen, Ode, Twv 25:93 2:26
9 Trinklied, Ode, Twv 25:94 2:40
10 Der Mittelstand Zwischen Reichtum Und Armut, Ode, Twv 25:95 2:47
11 Vernünftige Lust, Ode, Twv 25:96 2:26
12 Der Wein, Ode, Twv 25:97 2:16
13 Jugendlust, Ode, Twv 25:98 3:13
14 Die Schlechte Mahlzeit, Ode, Twv 25:99 2:19
15 An Doris, Ode, Twv 25:100 4:00
16 Ein Guter Mut, Ode, Twv 25:101 3:30
17 Lob Des Weins, Ode, Twv 25:102 1:45
18 Das Vergnügte Schäferleben, Ode, Twv 25:103 2:14
19 Die Zufriedenheit, Ode, Twv 25:104 3:13
20 Die Gnügsamkeit, Ode, Twv 25:105 3:12
21 Das Gesundheittrinken, Ode, Twv 25:106 2:53
22 Der Freund, Ode, Twv 25:107 4:50
23 Das Landleben, Ode, Twv 25:108 1:29
24 Der Sonderling, Ode, Twv 25:109 4:38

Baritone Vocals – Klaus Mertens
Harpsichord – Ludger Rémy

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

O autógrafo que Telemann deixou aqui no PQP Bach Museum.

PQP

Deixe uma resposta