Béla Bartók (1881-1945) / Alberto Ginastera (1916-1983) / John Ogdon (1937-1989): 20th Century Piano Sonatas, Vol. 2 ֎

Bartók – Ginastera – Ogdon

Sonatas para Piano

Klára Würtz

Mariangela Vocatello

Tyler Hay

 

Eu costumava considerar o título ’20th Century Piano Sonatas’ como uma alusão a uma música nova, ‘moderna’. Eu mesmo costumava a me considerar uma pessoa do Século 20… Pois bem, o tempo passa, a fila anda, e é melhor rever as nossas considerações.

Eu já me considero alguém do Século 21 com boas lembranças do século passado. Quanto a música, provavelmente seguirei pelo que me resta de Século 21 explorando a música que foi escrita no Século 20 e nos anteriores também…

Alberto pronto para sacar uma foto dos entrevistadores do PQP Bach, quando ele visitou a sede do blog em POA.

Foi mais ou menos assim que me interessei pela série de discos do selo Brilliant – 20TH Century Piano Sonatas. Com um acervo enorme, mesmo que gravado por artistas menos conhecidos, o selo pode levar avante um projeto reunindo várias obras escritas por compositores que viveram a maior parte de suas vidas no Século 20. Já postamos o Volume 3 da série, motivado pela Sonata do Kapustin. Uma coisa puxa outra e hoje vamos de Volume 2, que inicia com uma Sonata de Bartók. Com isso, reforçamos o projeto #BRTK140. Mas as belezuras deste disco são as outras duas sonatas, uma do compositor hermano, Alberto Ginastera, a outra do pianista e compositor (nas poucas horas vagas que lhe restavam…) John Ogdon.

Klára…

A Sonata de Bartók é aqui interpretada pela pianista Klára Würtz que aqui tem comparecido, inclusive com a Integral das Sonatas para Piano de Mozart (muito boa essa aqui, BB, vale o descarrego do blog seguido de presta auditiva…). Sobre a Sonata foi dito que é tonal, mas dissonante, percussiva e cheia de notas repetidas e com clusters, o que lhe dá um certo ar folclórico, coisa do Béla.

Mariangela…

A Sonata No. 1, Op. 22, de Ginastera é aqui interpretada pela pianista italiana Mariangela Vacatello e descrita da seguinte forma: ‘Composta em 1952, a sonata para piano Op. 22 reflete essa integração mais complexa da identidade nacional e do método de composição por meio de uma fusão de vivas figurações rítmicas derivadas de danças, texturas evocativas e formas e idiomas musicais modernos’. Você poderá ler a descrição completa acessando o próprio site aqui.

John Ogdon

Para terminar, a Sonata do gentil gigante John Ogdon, que foi ‘Dedicada ao amigo Stephen Bishop’. Ganha um doce se adivinhar quem seria este tal Estevão. Pois a sonata é de 1961 e convencionalmente estruturada em três movimentos, com o mais longo sendo o segundo deles. A peça tem uma enorme variedade de efeitos pianísticos e texturas assim como uma inventividade melódica que a percorre do começo ao fim. Claro, resultado de uma mente que sabia tudo sobre pianos e sonatas. Aqui o intérprete é o relativamente jovem Tyler Hay.

Tyler…

Espero que este disco desperte a sua curiosidade pelas outras obras desses compositores, assim como pelos outros discos da série.

 

Béla Bartók (1881–1945)

Sonata para Piano, BB 88, Sz. 80

  1. Allegro moderato
  2. Sostenuto e pesante
  3. Allegro molto

Klára Würtz, piano

–\oOo/–

Alberto Ginastera (1916–83)

Sonata para Piano No. 1, Op. 22

  1. Allegro marcato
  2. Presto misterioso
  3. Adagio molto appassionato
  4. Ruvido ed ostinato

Mariangela Vacatello, piano

–\oOo/–

John Ogdon (1937–89)

Sonata para Piano ‘Dedicada ao amigo Stephen Bishop’

  1. Allegro
  2. Andante
  3. Allegro

Tyler Hay, piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FLAC | 158 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

MP3 | 320 KBPS | 120 MB

Sobre John Ogdon: He won first prize at the London Liszt Competition in 1961 and consolidated his growing international reputation by winning another first prize at the International Tchaikovsky Competition in Moscow in 1962, jointly with Vladimir Ashkenazy.

Aproveite!

René Denon

2 comments / Add your comment below

  1. Obrigado pela postagem!! Esta Sonata de Ginastera (junto a nr.7 de Prokofiev) são minhas sonatas preferidas no século passado… E está numa bela interpretação (não conhecia Vaccatelo). Tb gosto da de Bartok, já a de Ogdon não conhecia, ouvindo aqui, interessante tb. Abr.

Deixe uma resposta