William Byrd (1540-1623): The Three Masses

Eu não sou doido pelas missas antigas. É uma música extática demais para o meu gosto. Sua intrincada polifonia me agrada por 15-20 min e depois cansa. Vocês podem me rebater que Byrd não escreveu suas três missas para serem ouvidas de enfiada como fazemos numa audição de um CD e serei obrigado a lhes dar razão. O Tallis Scholars é um conjunto simplesmente espetacular e só por ele já valeria ouvir o disco, nem que seja em drágeas.

William Byrd (1540-1623): The Three Masses

1. Byrd: Mass for five voices: Kyrie (Mass for 5 voices) 1:28
2. Byrd: Mass for five voices: Gloria (Mass for 5 voices) 4:55
3. Byrd: Mass for five voices: Credo (Mass for 5 voices) 8:41
4. Byrd: Mass for five voices: Sanctus & Benedictus (Mass for 5 voices) 3:47
5. Byrd: Mass for five voices: Agnus Dei (Mass for 5 voices) 3:49

6. Byrd: Mass for four voices: Kyrie (Mass for 4 voices) 2:03
7. Byrd: Mass for four voices: Gloria (Mass for 4 voices) 5:29
8. Byrd: Mass for four voices: Credo (Mass for 4 voices) 7:31
9. Byrd: Mass for four voices: Sanctus & Benedictus (Mass for 4 voices) 3:39
10. Byrd: Mass for four voices: Agnus Dei (Mass for 4 voices) 3:29

11. Byrd: Mass for three voices: Kyrie & Gloria (Mass for 3 voices) 5:12
12. Byrd: Mass for three voices: Credo (Mass for 3 voices) 6:36
13. Byrd: Mass for three voices: Sanctus & Benedictus (Mass for 3 voices) 2:46
14. Byrd: Mass for three voices: Agnus Dei (Mass for 3 voices) 3:24
15. Byrd: Ave verum corpus 4:16

The Tallis Scholars
Peter Phillips, regente

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

A lata do catolicão Byrd
A lata do catolicão Byrd

PQP

10 comments / Add your comment below

  1. Em drageas que nada, vai num gole de cachaça mesmo, … música de Byrd, é inebriante, hipnótica; leva ao extase, coisa que somente um mestre em Polifonia, como ele, é capaz de fazer.

  2. Bela polifonia. Ele era um Católico na Inglaterra em uma época de perseguição. Talvez isto dá a sua música uma pitada de tragédia. Eu estou Inglês, usando o Bing translator – Desculpe se for mal feito!

    1. rsrsrs Já tentou o Google Tradutor? Pra mim ele pode não ser perfeito, mas talvez seja a melhor opção atualmente. Ou senão, você pode escrever em inglês mesmo; quem entende inglês (como eu) vai entender, e quem não entender pode usar um tradutor on-line. Acho que nunca conversei com um inglês… bem, é um prazer.

  3. Concordo, devemos tentar ouvir essa música, como era para ser ouvido, cada um uma experiência única em um dia diferente de massa.

  4. As três missas de Byrd são maravilhosas justamente por causa da polifonia intricada, mas a cereja do bolo nesse CD é o Ave Verum Corpus. Obrigada pela postagem e deixo aqui meu pedido para mais obras de mestres renascentistas.

  5. Acabo de correr atrás do post de Avicenna de 5 de Abril de 2013: William Byrd – Gradualia, the Marian Masses com o William Byrd Choir. Coisa de louco! Absolutamente fantástico e arrebatador!

  6. Oi outra vez P.Q.P.,

    Sinto dizer que o link para estas missas do Byrd pelos Tallis Scholars também vai dar a uma página de erro. E estou noutro computador, noutra IP. Dá para fazer um reupload? Brigadus!

Deixe uma resposta