Johann Joseph Fucks, digo, Fux (1660-1741): Serenada a 8, Rondeau a 7, Sonata a 4

A música barroca é algo realmente sem fim e, cada vez que posto mais um bom compositor, fico impressionado com uma proporção que antes não via em minha cedeteca. O troço não acaba nunca e pasmo para a época em que meu pai nos concebeu — falo de mim, FDP e CDF. Este CD foi gravado em 1970 e relançado em 2003 pela providencial gravadora APEX, que está nos trazendo de volta coisas antológicas. Aqui, temos o grande Nikolaus Harnoncourt e seu Concentus musicus de Viena cuidando de outro austríaco, Fucks, digo, Fux.

Já notaram como esses compositores barrocos viviam bastante? Fucks, digo, Fux viveu 81 anos e sei de uns vinte que ultrapassaram a idade vivida por meu pai (65 anos).

Johann Joseph Fucks, digo, Fux nasceu em Hirtenfeld na Áustria. Foi filho de camponeses e autodidata em música. Foi Kappelmeister e compositor da corte. É autor do Gradus ad Parnassum, o mais importante tratado de contraponto já escrito. Fucks, digo, Fux morreu em Viena.

Deixou 405 obras além do Gradus ad Parnassum que é um diálogo, em latim, entre professor e aluno, seguido de exercícios de composição.

JOHANN JOSEPH FUX (1660 – 1741)

SERENADA A 8
for 2 clarinos, 2 oboes, bassoon, 2 violins, viola and basso continuo
(from Concentus musico-instrumentalis in septem partittas, Nuremberg 1701)

1 Marche: Allegro 2’ll
2 Guigue: Prestissimo 1’27
3 Menuet 2’16
4 Aria: Più allegro 3’26
5 Ouverture 3’44
6 Menuet I, Trio II 3’20
7 Guigue: Prestissimo 1’09
8 Aria: Andante 3’23
9 Aria 0’50
10 Bourée I, II 2’ll
11 Intrada 3’22
12 Rigadon 0’51
13 Ciacona 2’59
14 Guigue: Prestissimo 0’57
15 Menuet 2’12
16 Final: Poco allegro 0’37

17 RONDEAU A 7 4’17
for violino piccolo, bassoon (fagotto conc.), violin, 3 violas and basso continuo

SONATA A QUATTRO
for violin, cornet, trombone, dulcian and organ

18 Allegro 3’26
19 Adagio 2’02
20 Allegro 3’03

TOTAL TIMING 48’12

Concentus musicus Wien
on original instruments
avec instruments originaux
mit Originalinstrumenten

Nikolaus Harnoncourt, conductor

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Sou feio mas não sou pilantra.
“My name is Fux, Johann Joseph Fux”.

PQP

8 comments / Add your comment below

  1. PQP,
    peça para um americano falar e não se perceberá a diferença! Um britânico com aquela fala pomposa certamente será como você descreveu, mas com surname como este não dá para resistir ao trocadilho. Estou baixando.
    Luciano

  2. De 1660 a 1741.
    É!
    O pessoal vivia muito mesmo.
    Pouco depois chegaram os românticos que, na maoria das vezes, preferiam partir mais cedo.
    É que foram chegando as locomotivas, as máquinas pesadas e o fardo foi crescendo.
    Mas agora, fora de brincadeira, esses compositores barrocos são realmente fantásticos.
    Nem se pode dizer que era a tradição, passando dos pais para o filhos. Veja! Parodiando o nosso Presidente: parece que a mãe do Fux até “nasceu analfabeta”!
    Mas, agora, fora de brincadeira mesmo, na sua família houve essa tradição, não é PQP?
    Mas vocês eram todos chiques.
    Não eram filhos de camponeses e nem pensar em serem auto didatas. Tinham o “paizão Bach” para ensinar tudo.
    E tem mais! O Fux escreveu em latim, o tal do Gradus ad Parnassum.
    Mas parece que era moda da época! Como agora! Qualquer artigozinho para ser publicado… …tome inglês… …e em breve será em chinês…
    Mas o Gradus Ad Parnassum era bom mesmo e nem de leve parecia com um desses artiguinhos em inglês.
    Agora, para encerrar mesmo e sem brindadeiras ou trocadilhos: Parabéns pela postagem.
    Aliás, pelas postagens.
    O Johan Josef Fux é bom mesmo.
    Aliás, como a maioria dos Barrocos.
    Até aqueles que escreviam depressa demais eram ótimos.
    É um prazer inesgotável ouvi-los e espero que vocês continuem buscando e postando todos os que encontrarem… …mas com o nível do Nikolaus Harnoncourt.
    E pensar que este pessoal escrevia bem depressas usando um instrumento lentíssimo.
    Tinham de ficar molhando uma pena de ganso em um tinteiro e…
    …cuidado para não errar!!! Não tem botãozinho de computador que, com um clik, muda tudo de lugar e corrige tudo o que estiver errado, repagina tudo e, tem mais, você não precisa copiar nada… …a impressora copia todas as partes dos músicos sem rabiscos… …tudo na maior limpeza!
    …é… …são gêniais mesmo esses barrocos.
    Como é mesmo que seu Pai saiu de Leipzig para ouvir Vivaldi na Itália? Isto aconteceu mesmo? Mas… …ele não foi de avião, né?
    Por falar nisso e entrando nos clássicos… …como é mesmo que Mozart fazia “tournées”???
    Eram demais.
    Morreu mesmo com 33 ou 34 anos? …nos deixando o que da para encher completamente uns duzentos CD.
    Eram demais, esses geniais cérebros humanos.
    Nem precisavam das máquinas…
    Um abração.
    Parabens.
    Edson

  3. Puxa vida óh PQP. Será que depois de 2008 ninguém mais quis ouvir fucks?
    Se for possível atualizar o link ficaríamos imensamente agradecidos.
    Fucks, fucks, fucks para todos.
    ployvautcat

Deixe uma resposta