J. S. Bach (1685-1750): As Suítes Inglesas (completas)

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Ouvi este álbum duplo ontem à noite. É realmente de entusiasmar, principalmente se pensar que sempre coloquei as Inglesas após as Partitas e as Suítes Francesas, obras análogas em formato. Desta vez, fiquei até com vontade de rever meus conceitos. Tudo muito elegante, fluido e musical. Hewitt veio realmente para ficar. Confiram e me digam se não é verdade.

(Todas estas postagens maravilhosas da Hewitt têm o patrocínio da extraordinária Hyperion e de FDP Bach, que as mandou num esperto pen drive para este que vos escreve).

J. S. Bach (1685-1750): As Suítes Inglesas (completas)

Disc: 1
English Suite No 1 in A major BWV806
1. Prelude
2. Allemande
3. Courante I
4. Courante II
5. Sarabande
6. Bourree I And II
7. Gigue

English Suite No 2 in A minor BWV807
8. Prelude
9. Allemande
10. Courante
11. Sarabande Et Les Agrements De La Meme Sarabande
12. Bourree I And II
13. Gigue

English Suite No 3 in G minor BWV808
14. Prelude
15. Allemande
16. Courante
17. Sarabande Et Les Agrements De La Meme Sarabande
18. Gavotte I And II
19. Gigue

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Disc: 2
English Suite No 4 in F major BWV809
1. Prelude
2. Allemande
3. Courante
4. Sarabande
5. Menuet I And II
6. Gigue

English Suite No 5 in E minor BWV810
7. Prelude
8. Allemande
9. Courante
10. Sarabande
11. Passepied I And II
12. Gigue

English Suite No 6 in D minor BWV811
13. Prelude
14. Allemande
15. Courante
16. Sarabande
17. Gavotte I And II
18. Gigue

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Angela Hewitt, piano

PQP

5 comments / Add your comment below

  1. Pois é, PQP… e o FDP anda sem tempo nem pra escrever um comentário que seja sobre as postagens dos colegas…
    Sabia que conheci estas Suítes Inglesas através do Glenn Gould? Ainda tenho o LP duplo, da coleção da Breno Rossi, que você citou dia destes.

  2. Muito bem PQP! Essa Pianista é realmente estrondosa, estupenda! Técnica perfeita e “muitíssimo” musical. Ela consegue realçar motivos, partes do fraseado ou notinhas que a maioria deixa “prá lá”, dando um equilíbrio musical maravilhoso por onde ela mexe. É precisão rítmica, sentido dos andamentos, dinâmica tocante, deixa a gente todo “embasbacado”, mas feliz!
    E quanto a essa questão de pronúncia… Tudo bem, já que ela é canadense! Mas na Alemanha qualquer um dirá “Ânguela Hê-Vit” e nem por isto ela deixa de “ficar” também por lá. Certas “preciosidades” com o inglês… será que valem a pena? Em outras línguas, que não a nativa, se pronuncia, por aqui e por toda parte, quase tudo “errado” (sobretudo os americanos!). E aí?

  3. Heheheh, Sr Vanderson… O senhor é mais um dos que pensam que ew em inglês se pronuncia íu, né? Ledo engano: se pronuncia mais ou menos iú, com um i muito rápido e toda ênfase no u – que, aliás, também é um u bem peculiar. Portanto o nome de Ms Hewitt não se pronuncia híu-it, em sua língua mãe, e sim hiú-it, quase hú-it.

    Mas esse é um assunto que não interessa a muitos – sugiro mudar rapidamente antes que algum presente nos mande para Kew Gardens.

Deixe uma resposta