.: intermezzo :. Eric Dolphy: Out There (1960) e Out to Lunch (1964)

É claro que não deveria nunca escrever sobre jazz. Adoro jazz, mas sou muito boêmio. Diferentemente dos eruditos, só ouço os caras de que gosto. Então, meu deus jazzístico é Charlie Mingus — que, dizem, era um compositor erudito que gostava de jazz — , secundado por Ellington, Miles e Dolphy. Os outros, including Coltrane, Parker, Evans e Jarrett, ficam fora de meu Olimpo. É bóbvio que não devo posar de conhecedor. Não pouso, mas indico Dolphy como um grande compositor, improvisador anárquico e originalíssimo que morreu da forma mais estúpida possível a um ser humano.

Sim, ele era diabético. Deu entrada no hospital em coma diabético. Porém, como era músico, os médicos acharam que ele estava drogado e logo voltaria a si. Morreu. Aos 36 anos.

Eric Dolphy tocava saxofone alto, flauta e clarone. Na verdade, foi o primeiro claronista importante como solista no jazz, além de ser dos maiores flautistas do estilo. Em todos esses instrumentos era um improvisador impecável. Nas primeiras gravações, ele tocava ocasionalmente um clarinete soprano tradicional em Si bemol. Seu estilo de improvisação era característico por uma torrente de idéias, utilizando amplos saltos intervalares e abusando das doze notas da escala. Embora o trabalho de Dolphy seja às vezes classificado como free jazz, suas composições e solos possuem uma lógica diferente da dos músicos de free jazz.

IM-PER-DÍ-VEL !!!!

Out There
1. Out There 6:52
2. Serene 6:58
3. The Baron 2:54
4. Eclipse 2:43
5. 17 West 4:48
6. Sketch Of Melba 4:36
7. Feathers 5:00

Out to Lunch
1. Hat And Beard 8:24
2. Something Sweet, Something Tender 6:03
3. Gazzellioni 7:23
4. Out To Lunch 12:09
5. Straight Up And Down 8:19

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE (RapidShare)
(Os dois discos estão juntinhos por causa do inverno)

Apoie os bons artistas, compre suas músicas.
Apesar de raramente respondidos, os comentários dos leitores e ouvintes são apreciadíssimos. São nosso combustível.
Comente a postagem!

PQP

5 comments / Add your comment below

  1. Puxa, Vanderson… nunca imaginei que você fosse da estirpe dos professores chatos, pra quem as letras são mais importantes que as idéias que estão por trás…

    De entremeio quero lembrar que os blogs são espaços de propriedade de seus donos, como suas casas, e que é muito deselegante que alguém de fora entre numa casa dizendo o que é admissível, ou não, o dono da casa fazer dentro dela. Quase digo que inadmissivelmente deselegante.

    Mas sobretudo, estou espantado que você não tenha percebido uma piada intencional tão BÓBVIA! Será possível mesmo?

    Ah, já sei, isso explica tudo: essa mensagem não é a sério, você estava apenas parodiando certo tipo de leitor!! Desculpe não ter percebido antes!

  2. Olá! Obrigado pelo post e pelas informações! Não fazia ideia dessa morte trágica.
    Porém não gostei dos dois albúns virem juntos, pois ja tenho o “Out of Lunch” (download daqui mesmo).
    enfim,
    Obrigado! Esso blog me constrói minha história com a música

  3. Hat And Beard é a única faixa existente na terra que me faz querer sair correndo agitando os braços e pulando feito um maluco… rs

    Do Dolphy acho que seria magico encontrar algum dia um registro dele tocando Varese ; /

Deixe uma resposta