.: interlúdio :.

O que temos aqui hoje é fruto de um atraso. Deveria tê-lo postado dias atrás, mas não pude. Porque este não é bem um álbum de fim de semana. Não como vocês possam ter notado em outras oportunidades – quando procuro trazer gravações mais leves, simples e prazerosas do que desafiadoras ou introspectivas. Por outro lado, às vezes tanta reverência mais engana e confunde do que ajuda a ouvir uma obra. Só não incomoda mais do que introduções longuíssimas como essa. Adiante.

Herbert Jeffrey Hancock e Armando Anthony Corea andaram sempre muito próximos em suas carreiras. Têm quase a mesma idade (Herbie de 1940, Chick de 41), chegaram a New York em 62-63, aprimoraram sua técnica e gravaram discos fabulosos durante essa década, e se lançaram a liderar projetos ousados durante os 70 – o primeiro com seu jazz-funk, o segundo como maior expoente do fusion (no Return to Forever). Ambos alcançaram alto grau de status e popularidade, e redescobriram sua própria sonoridade sob a batuta de Miles Davis. Hancock tocou em seu grupo de 1963 a 69; e Corea, substituindo o próprio, naquele ano e no seguinte. Os dois gravaram Bitches Brew e tornaram-se apaixonados pelo avant-garde e pela experimentação rock/elétrica que então começava a se conectar ao jazz. Quando partiram para seus projetos nos anos seguintes, seriam os principais expoentes desse novo estilo, e atingiriam altíssimos graus de popularidade.

Por isso, foi com surpresa que o público recebeu a notícia de uma turnê reunindo os dois pianistas – e mais ninguém – em espetáculos acústicos. Isso já era 1978, e a crítica abençoou o que chamou de “retorno ao jazz”, dando sinais de cansaço e nostalgia pela raiz que parecia ofuscada. De quatro shows em fevereiro, foram extraídas seis faixas – desafios infinitos de improviso, feeling e conversações entre dois pianistas altamente técnicos e de vanguarda. “Someday my Prince will Come” era conhecida de ambos dos shows com Davis; em “Liza”, homenageiam Bill Evans; “Button Up” e “February Moment” são improvisos, criatividade e talento vertente. Os sucessos fecham o show – “Maiden Voyage”, de Hancock, e “La Fiesta”, de Corea. A ordem do disco é a mesma apresentada nos shows. As participações da platéia foram mantidas, o que mantém a atmosfera acolhedora de um concerto como esses. Escute Hancock no canal esquerdo e Corea no direito. Complexo e exigente, em momentos doce, latino e divertido; sejam bem vindos a um dos maiores concertos de jazz de todos os tempos.

Hce

An Evening with Herbie Hancock & Chick Corea: In Concert (192)

Produzido por Herbie Hancock & David Rubinson para a Columbia

disco 1 – download (56MB)
01 Someday My Prince Will Come (Churchill, Morey) 12’39
02 Liza (All the Clouds’ll Roll Away) (Gershwin, Kahn) 9’00
03 Button Up (Corea, Hancock) 17’37

disco 2 – download (74MB)
04 Introduction of Herbie Hancock by Chick Corea 0’41
05 February Moment” (Hancock) – 15’47
06 Maiden Voyage” (Hancock) 13’31
07 La Fiesta” (Corea) 22’02

Boa audição, e bom final de semana!

1 comment / Add your comment below

Deixe uma resposta