Anton Bruckner (1824-1896) – Integral das Sinfonias – Sinfonia Nro. 00 “Study Symphony”

Seu nome era Anton mas podia ser Vassili por seu caráter dubitativo (sim, Les Luthiers!). Tinha 39 anos e não sabia ainda se era um sinfonista de verdade ou um estudante. Então, escreveu esta sinfonia que posto hoje e que nunca foi executada durante sua vida. Ele tinha quase certeza que escrevera uma porcaria e, como o neurótico que era, manteve tal quase certeza na quarta, quinta, sétima, oitava e nona, verdadeiras obras-primas do ocaso do século XIX.

Suas onze sinfonias (há esta oo e depois de 0 a 9) têm versões e revisões que o entretiveram durante toda a vida. Esteve em dúvida até morrer e foi uma tortura para maestros e editores. Portanto, neste CD, após a Sinfonia de Estudos, está a segunda das três versões para o último movimento de sua extraordinária Sinfonia Nº4. É uma Volksfest da qual o compositor acabou desistindo, mas que, se tivesse vivido uns três dias, talvez acabasse por mandar um bilhete ao editor, pedindo para recolocar este finale e criando uma nova versão, quem sabe?

As versões que postarei são as que mais gosto. O caos imperará e aparecerão uns cinco regentes diferentes em minha “integral” altamente pessoal.

P.Q.P. Bach.

Symphony No. 00 in F minor, “Study Symphony”, WAB 99
1. I. Allegro molto vivace 11:27
2. II. Andante molto 12:35
3. III. Scherzo: Schnell 05:09
4. IV. Finale: Allegro 08:21
Performed by: Royal Scottish National Orchestra
Conducted by: Georg Tintner

Symphony No. 4 in E flat major, WAB 104, “Romantic” (Fragmento recusado):
5. V. Volkfest (1878 version) 19:03
Performed by: Royal Scottish National Orchestra
Conducted by: Georg Tintner

Total Playing Time: 55:35

BAIXE AQUI (Download)

14 comments / Add your comment below

  1. Claro…além dessa, tem a sinfonia 00 ou sinfonia -1. Bruckner era muito inseguro, por isso acabou se dando mal, morreu na maldição das nove sinfonias.

  2. Essas sinfonias de Bruckner valem ser ouvidas para se conhece-las. São as menos importantes e valiosas, do ponto de vista técnico e emocional, do Mestre. Até mesmo a popular Sinfonia nº4 não é tão significativa quanto as de número 8 & 9, por exemplo. Aliás, as obras obrigatórias de Bruckner são suas últimas, como essas duas sinfonias e o Te DEum.

  3. Ei! A Sinfonia 0 é um barato! De fato a 4, dentre as primeiras, é uma bela acertada de mão, e conhecer os seus finales é bastante revelador. O finale tradicional apresenta uma junção dos três temas dos movimentos anteriores! Mas tem quem ainda considere prolixo, e daí o interesse nas outras idéias de arremate pra essa sinfonia.Sobre a Sinfonia 00, é exatamente isso! A “00” é a conhecida como “Sinfonia de Estudo” (http://en.wikipedia.org/wiki/Symphony_No._00_%28Bruckner%29), enquanto a “0” (http://en.wikipedia.org/wiki/Symphony_No._0_%28Bruckner%29), em ré menor, é uma sinfonia rejeitada pra primeira publicação, mas já é puro Bruckner!

  4. Se vocês quiserem ouvir Bruckner “Comme il faut” escutem a integral do Eugen Jochum a melhor integral existente de quem é do ramo. Quem é Georg Tintner????

  5. Leonardo. Então não será uma integral, pois não tenho a 0. Vou dar um jeito de comprar e de colocar no final do ciclo.Obrigado.P.Q.P. Bach.P.S.- Gosto de comentaristas como você, sem Complexo de Deus. Dialogam, são mais esclarecedores, mais ouvintes, e não trovejam conceitos lidos aqui e ali.

  6. Ontem, ouvi duas nonas, a de Wand e a Jochum. Melhor a de Jochum – principalmente nos dois primeiros mvtos -, mas a qualidade do som é lastimável. Fico com Wand. Na oitava, não há como, é Jochum, mesmo com o som de lata. Por que o som nas Missas é tão bom?P.Q.P. Bach.

  7. As melhores gravações são as seguintes. Há uns Tintner, claro. Qualquer bruckneriano médio o conhece:Anton BrucknerSymphony No.0 “Nullte”. Symphony No.8 (1877, ed. Nowak).Ireland National Symphony OrchestraGeorg TintnerNaxos 8.554215-6Anton BrucknerSymphony No.1. (1866, Linz version, ed. Nowak).Vienna Philharmonic OrchestraClaudio AbbadoDeutsche Grammophon 453 415-2(1996)Anton BrucknerSymphonies No.1 (1866, Linz version) & No.3 – Bewegt, quasi Andante (1876 version).Royal Scottish National OrchestraGeorg TintnerNaxos 8.554430Anton BrucknerSymphony No.2 (ed. Carragan).National Symphony Orchestra of IrelandGeorg TintnerNaxos 8.554006(1996)Anton BrucknerSymphony No.2 (1877, ed. Nowak).Vienna Symphony OrchestraCarlo Maria GiuliniTestament SBT1210(1974)Anton BrucknerSymphony No.3 (1873, ed. Nowak).Royal Scottish National OrchestraGeorg TintnerNaxos 8.553454(1988)Anton BrucknerSymphony No.4 (1878/80, ed. Haas).Berlin Philharmonic OrchestraEugen JochumDeutsche Grammophon 427 200-2(1967)Anton BrucknerSymphony No.4.Berlin Philharmonic OrchestraGünter WandRCA Red Seal 09026 68839-2(1998)Anton BrucknerSymphony No.5.BBC Symphony OrchestraJascha HorensteinBBC Legends BBCL4033-2(1971)Anton BrucknerSymphony No.5 (ed. Nowak).Staatskapelle DresdenGiuseppe SinopoliDeutsche Grammophon 469 527-2(1999)Anton BrucknerSymphony No.6. Te Deum.Heather Harper (soprano), Janet Baker (meio-soprano),Richard Lewis (tenor), Marian Nowakowski (baixo)BBC Symphony Chorus & OrchestraOtto KlempererTestament SBT1354(1961)Anton BrucknerSymphony No.6 (ed. Haas).New Philharmonia OrchestraOtto KlempererEMI 7 63351-2(1964)Anton BrucknerSymphony No.7.Wiener PhilharmonikerHans KnappertsbuschArchipel ARPCD 0046(1949)Anton BrucknerSymphony No.7.Berlin Philharmonic OrchestraGünter WandRCA Red Seal 74321 68716-2(1999)Anton BrucknerSymphony No.8 (ed. Haas).Hallé OrchestraJohn BarbirolliBBC Legends BBCL4067-2(1970)Anton BrucknerSymphony No.8 (ed. Haas).Berlin Philharmonic OrchestraGünter WandRCA Red Seal 74321 82866-2(2001)Anton BrucknerSymphonies Nos.8 & 9.Dresden StaatskapelleEugen JochumEMI Double Forte 5 73827-2(1976, 1978)Anton BrucknerSymphony No.9.Berlin Philarmonic OrchestraGünter WandRCA Red Seal 74321 63244-2(1998)Anton BrucknerSymphony No.9.London Symphony OrchestraColin DavisLSO Live LSO0023(2002)Lauro Castro.

  8. PQP, as suas versões prediletas coincidem com as minhas!

    Porém exceto na 8º e na 9º, que prefiro nas mãos do Barenboim!

    Eu tenho o Finale da nona reconstruído, versão Samale-Mazzuca-Cohrs, se quiser, me avise.

Deixe uma resposta