Mozart (1756-1791): Concertos para Piano Nos. 25 & 20 – Jeremy Denk & The Saint Paul Chamber Orchestra ֎

Mozart (1756-1791): Concertos para Piano Nos. 25 & 20 – Jeremy Denk & The Saint Paul Chamber Orchestra ֎

MOZART

Concerto para Piano No. 25, K. 503

Rondo em lá maior, K. 511

Concerto para Piano No. 20, K. 466

The Saint Paul Chamber Orchestra

Jeremy Denk

Dia destes nosso editor-chefe postou quatro concertos para piano de Mozart numa evidente relação de amor e ódio – sob a perspectiva da interpretação, é claro – com a solista Alicia de Larrocha e o regente, Georg Solti.

É impressionante como algumas gravações sofrem, com o passar do tempo, o efeito de carregarem os usos e modismos do momento em que foram feitas. Basta lembrar os LPs da Archiv Produktion com suas capas de fundo creme ornadas apenas pelo logotipo da AP, títulos e nomes dos compositores e músicos, com um ar que sugeria uma publicação científica, trazendo música antiga gravada pelos experts da época. Karl Richter um notório exemplo.

É fato que algumas gravações desafiam o tempo, enquanto outras rapidamente esmaecem e fenecem e passam a interessar a apenas uma magra fatia dos alucinados melômanos.

Estes não muito organizados pensamentos me ocorrem numa manhã linda de domingo enquanto me debato entre a necessidade de corrigir algumas avaliações, trocar de imóvel e escolher o almoço. Para afastar de vez todas estas maçantes atribuições, Mozart!

Este disco com dois espetaculares concertos para piano, interpretados pelo articuladíssimo pianista e cronista, Jeremy Denk, além de cair, na minha opinião, naquela categoria dos discos que desafiarão o tempo, vem bem a calhar.

A sua audição, acompanhada da leitura do artigo do Jeremy, que você pode encontrar aqui, muito contribuiu para minha boa disposição em chegar contente ao fim do domingo.

Ele menciona que o melhor de Mozart está nas suas óperas e concertos para piano. Eu não poderia concordar mais…

Um disco com dois concertos, primeiro o Concerto em dó maior, que se lança com ares marciais, lembrando a canção do Fígaro, e o outro, em ré menor, tão conhecido por seus tons mais trágicos. Os concertões são separados, ou melhor, unidos, pelo Rondo em lá menor, que devido ao seu caráter mais melancólico e tristonho funciona como um momento de reflexão para o ouvinte, gerando um intervalo entre eles.

Miles Kending, assessor especial para discos com concertos para piano de Mozart

Eis um disco que deve agradar a antigos ouvintes de Concertos para Piano de Mozart, assim como aqueles que os estão descobrindo agora. Certo, Miles?

Wolfgang Amadeus Mozart (1756 – 1791)

Concerto para Piano No. 25 em dó maior, K. 503

  1. Allegro maestoso
  2. Andante
  3. Allegretto

Rondo em lá menor, K. 511

  1. Rondo

Concerto para Piano em ré menor, K. 466

  1. Allegro
  2. Romance
  3. Allegro assai

The Saint Paul Chamber Orchestra

Jeremy Denk

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FLAC | 315 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

MP3 | 320 KBPS | 165 MB

Jeremy se acostumando com o Steinway do PQP Bach Hall de São Gonçalo…

 

J. S. Bach (1685-1750): Quatro Concertos para Cravo – (Francesco Cera, I Barocchisti)

Comparado com o cravo de Pierre Hantaï e com o de Masato Suzuki, o som do instrumento do italiano Francesco Cera parece mais cheio, mais encorpado, com harmônicos abundantes… Ele utiliza dois cravos de meados do século 18, maiores e mais barulhentos do que os de 100 anos antes.

A orquestra I Barocchisti tem 5 violinos em alguns concertos e 8 em outros. É um pouco mais do que o Bach Collegium Japan, que usa 3 violinos na gravação que vocês viram aqui.

Os concertos para cravo foram compostos em Leipzig, por volta da década de 1730 (portanto, uns 10 anos depois dos Concertos de Brandenburgo). No texto abaixo, encontrado neste site e que vocês vão me perdoar por não ter traduzido, há argumentos convincentes para a ideia de que Bach (ou o público de sua época) gostava desse tipo de música em cravos grandes e poderosos:

As Leipzig’s chief provider of both sacred and secular music Johann Sebastian Bach probably gave a huge sigh of relief on today’s date in 1733.

The death of the Imperial Elector Friedrich Augustus the First of Saxony earlier that year had resulted in a four-month period of official mourning, which meant NO elaborate sacred music at Bach’s Leipzig churches, and certainly no frivolous secular concerts with the Collegium Musicum, an orchestra of professionals and amateurs that Bach assembled periodically at Zimmermann’s coffee house in that city.

Finally, Frederich’s successor said, “Enough was enough,” and this notice appeared in a Leipzig paper:

“His Royal Highness and Electorial Grace, having given kind permission for the [resumption of] music, tomorrow, on June 17, a beginning will be made by Bach’s Collegium Musicum at Zimmermann’s Garden, at 4 o’clock in the afternoon, with a fine concert. The concerts will be weekly, with a new harpsichord, such as had not been heard there before, and lovers of music are expected to be present.” (Grifo meu)

J. S. Bach (1685-1750): Quatro Concertos para Cravo – (Francesco Cera, I Barocchisti)

Concerto para Cravo e orquestra BWV 1052 em Ré menor
1. I – Allegro 7:37
2. II – Adagio 6:07
3. III – Allegro 8:10

Concerto para Cravo e orquestra BWV 1053 em Mi maior
4. I – [Allegro] 8:22
5. II – Siciliano 4:55
6. III – Allegro 6:56

Concerto para Cravo e orquestra BWV 1056 em Fá menor
7. I – [Allegro] 3:30
8. II – Largo 2:35
9. III – Presto 3:38

Concerto para Cravo e orquestra BWV 1054 em Ré maior
10. I – [Allegro] 7:37
11. II – Adagio e Piano Sempre 5:41
12. III – Allegro 2:58

I Barocchisti – Diego Fasolis
Harpsichord – Francesco Cera

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Pleyel

Béla Bartók (1881-1945): Improvisations on Hungarian peasant songs / Dance suite for orchestra (versão para piano) / Dance suite for orchestra (versão para piano) / Sonata para Piano / Suíte para piano “Out of Doors”/ Nine little piano pieces (Gabos / Tusa) #BRTK140 Vol. 22 de 29

Béla Bartók (1881-1945): Improvisations on Hungarian peasant songs / Dance suite for orchestra (versão para piano) / Dance suite for orchestra (versão para piano) / Sonata para Piano / Suíte para piano “Out of Doors”/ Nine little piano pieces (Gabos / Tusa) #BRTK140 Vol. 22 de 29

Aqui, toda a coleção.

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Na minha opinião, as principais peças deste 22º CD são as conhecidas Suíte de Danças (aqui em versão para piano), a Sonata e a Suíte para Piano, também conhecida como Out of Doors. As outras duas peças do disco — a primeira e a última — são pequenas joias sem grande lapidação. Mas com esses pianistas húngaros… Olha, eles fazem tudo valer a pena.

Suíte de Danças, primeira obra de Bartók oficialmente encomendada, foi escrita em 1923 para o cinquentenário da união das cidades de Buda e Peste. Apesar do caráter patriótico da celebração, as cinco danças (interligadas por um refrão de caráter húngaro) apresentam também elementos árabes e romenos.

Sonata para Piano , BB 88, Sz. 80, foi composta em junho de 1926. 1926 é conhecido pelos musicólogos como o “ano do piano” de Bartók. A obra é altamente dissonante. Usando o piano de forma percussiva, cada movimento tem uma estrutura clássica geral, de acordo com o uso frequente de Bartók de formas clássicas como veículos de um pensamento mais avançado. O musicólogo Halsey Stevens encontra no trabalho as primeiras formas de muitos traços estilísticos que se tornaram mais plenamente desenvolvidos na “era de ouro” de Bartók, 1934-1940. 

A Suíte para Piano Out of Doors (húngaro: Szabadban , alemão: Im Freien , francês: En Plein Air) é um conjunto de cinco peças solo de piano, Sz. 81, BB 89, escrita por Béla Bartók em 1926. Ela está entre as poucas composições instrumentais de Bartók com títulos programáticos.

Béla Bartók (1881-1945): Improvisations on Hungarian peasant songs / Dance suite for orchestra (versão para piano) / Dance suite for orchestra (versão para piano) / Sonata para Piano / Suíte para piano “Out of Doors”/ Nine little piano pieces (Gabos / Tusa) #BRTK140 Vol. 22 de 29

1 Improvisations on Hungarian peasant songs for piano, Sz. 74, BB 83 (Op. 20): I. Molto moderato
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
Improvisations on Hungarian Peasant Songs, op. 20, Sz. 74: I. Molto moderato
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1920)
part of:
Improvisations on Hungarian Peasant Songs, op. 20, Sz. 74
1:18

2 Improvisations on Hungarian peasant songs for piano, Sz. 74, BB 83 (Op. 20): II. Molto capriccioso
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
Improvisations on Hungarian Peasant Songs, op. 20, Sz. 74: II. Molto capriccioso
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1920)
part of:
Improvisations on Hungarian Peasant Songs, op. 20, Sz. 74
1:08

3 Improvisations on Hungarian peasant songs for piano, Sz. 74, BB 83 (Op. 20): III. Lento, rubato
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
Improvisations on Hungarian Peasant Songs, op. 20, Sz. 74: III. Lento, rubato
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1920)
part of:
Improvisations on Hungarian Peasant Songs, op. 20, Sz. 74
2:50

4 Improvisations on Hungarian peasant songs for piano, Sz. 74, BB 83 (Op. 20): IV. Allegretto scherzando
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
Improvisations on Hungarian Peasant Songs, op. 20, Sz. 74: IV. Allegretto scherzando
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1920)
part of:
Improvisations on Hungarian Peasant Songs, op. 20, Sz. 74
0:40

5 Improvisations on Hungarian peasant songs for piano, Sz. 74, BB 83 (Op. 20): V. Allegro molto
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
Improvisations on Hungarian Peasant Songs, op. 20, Sz. 74: V. Allegro molto
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1920)
part of:
Improvisations on Hungarian Peasant Songs, op. 20, Sz. 74
0:50

6 Improvisations on Hungarian peasant songs for piano, Sz. 74, BB 83 (Op. 20): VI. Allegro moderato, molto capriccioso
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
Improvisations on Hungarian Peasant Songs, op. 20, Sz. 74: VI. Allegro moderato, molto capriccioso
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1920)
part of:
Improvisations on Hungarian Peasant Songs, op. 20, Sz. 74
1:40

7 Improvisations on Hungarian peasant songs for piano, Sz. 74, BB 83 (Op. 20): VII. Sostenuto rubato
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
Improvisations on Hungarian Peasant Songs, op. 20, Sz. 74: VII. Sustenuto, rubato
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1920)
part of:
Improvisations on Hungarian Peasant Songs, op. 20, Sz. 74
2:31

8 Improvisations on Hungarian peasant songs for piano, Sz. 74, BB 83 (Op. 20): VIII. Allegro
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
Improvisations on Hungarian Peasant Songs, op. 20, Sz. 74: VIII. Allegro
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1920)
part of:
Improvisations on Hungarian Peasant Songs, op. 20, Sz. 74
2:08

9 Dance suite for orchestra, Sz. 77, BB 86/a: I. Moderato
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86b: I. Moderato (for piano)
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1923)
arranger:
Béla Bartók (composer) (in 1925)
version of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86a: I. Moderato (for orchestra)part of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86b (for piano)
3:38

10 Dance suite for orchestra, Sz. 77, BB 86/a: II. Allegro molto
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86b: II. Allegro molto (for piano)
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1923)
arranger:
Béla Bartók (composer) (in 1925)
version of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86a: II. Allegro molto (for orchestra)part of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86b (for piano)
2:21

11 Dance suite for orchestra, Sz. 77, BB 86/a: III. Allegro vivace
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86b: III. Allegro vivace (for piano)
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1923)
arranger:
Béla Bartók (composer) (in 1925)
version of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86a: III. Allegro vivace (for orchestra)part of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86b (for piano)
2:48

12 Dance suite for orchestra, Sz. 77, BB 86/a: IV. Molto tranquillo
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86b: IV. Molto tranquillo (for piano)
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1923)
arranger:
Béla Bartók (composer) (in 1925)
version of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86a: IV. Molto tranquillo (for orchestra)part of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86b (for piano)
3:07

13 Dance suite for orchestra, Sz. 77, BB 86/a: V. Comodo
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86b: V. Comodo (for piano)
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1923)
arranger:
Béla Bartók (composer) (in 1925)
version of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86a: V. Comodo (for orchestra)part of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86b (for piano)
1:00

14 Dance suite for orchestra, Sz. 77, BB 86/a: (VI). Finale. Allegro
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86b: VI. Finale. Allegro (for piano)
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1923)
arranger:
Béla Bartók (composer) (in 1925)
version of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86a: VI. Finale. Allegro (for orchestra)part of:
Dance Suite, Sz. 77, BB 86b (for piano)
3:56

15 Sonata for piano, Sz. 80, BB 88: Allegro moderato
piano:
Erzsébet Tusa (pianist)
recording of:
Piano Sonata, Sz. 80: I. Allegro moderato
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1926-06)
part of:
Piano Sonata, Sz. 80
4:49

16 Sonata for piano, Sz. 80, BB 88: Sostenuto e pesante
piano:
Erzsébet Tusa (pianist)
recording of:
Piano Sonata, Sz. 80: II. Sostenuto e pesante
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1926-06)
part of:
Piano Sonata, Sz. 80
6:27

17 Sonata for piano, Sz. 80, BB 88: Allegro molto
piano:
Erzsébet Tusa (pianist)
recording of:
Piano Sonata, Sz. 80: III. Allegro molto
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1926-06)
part of:
Piano Sonata, Sz. 80
3:39

18 Suite for piano, Sz. 81, BB 89 “Out of Doors”: No. 1. Síppal, dobbal…
piano:
Erzsébet Tusa (pianist)
recording of:
Out of Doors, Sz. 81, BB 89, No. 1: With Drums and Pipes
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1926)
part of:
Out of Doors, Sz. 81, BB 89
1:47

19 Suite for piano, Sz. 81, BB 89 “Out of Doors”: No. 2. Andante . Barcarolla
piano:
Erzsébet Tusa (pianist)
recording of:
Out of Doors, Sz. 81, BB 89, No. 2: Barcarolla
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1926)
part of:
Out of Doors, Sz. 81, BB 89
3:11

20 Suite for piano, Sz. 81, BB 89 “Out of Doors”: No. 3. Moderato. Musettes
piano:
Erzsébet Tusa (pianist)
recording of:
Out of Doors, Sz. 81, BB 89, No. 3: Musettes
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1926)
part of:
Out of Doors, Sz. 81, BB 89
3:06

21 Suite for piano, Sz. 81, BB 89 “Out of Doors”: No. 4. Lento. Az éjszaka zenéje
piano:
Erzsébet Tusa (pianist)
recording of:
Out of Doors, Sz. 81, BB 89, No. 4: The Night’s Music
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1926)
part of:
Out of Doors, Sz. 81, BB 89
5:37

22 Suite for piano, Sz. 81, BB 89 “Out of Doors”: No. 5. Presto. Hajsza
piano:
Erzsébet Tusa (pianist)
recording of:
Out of Doors, Sz. 81, BB 89, No. 5: The Chase
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1926)
part of:
Out of Doors, Sz. 81, BB 89
2:38

23 Nine little piano pieces, Sz. 82, BB 90: Book I, No. 1. Moderato
piano:
Erzsébet Tusa (pianist)
recording of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82: No. 1. Moderato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82
1:21

24 Nine little piano pieces, Sz. 82, BB 90: Book I, No. 2. Andante
piano:
Erzsébet Tusa (pianist)
recording of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82: No. 2. Andante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82
1:16

25 Nine little piano pieces, Sz. 82, BB 90: Book I, No. 3. Lento
piano:
Erzsébet Tusa (pianist)
recording of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82: No. 3. Lento
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82
1:48

26 Nine little piano pieces, Sz. 82, BB 90: Book I, No. 4. Allegro vivace
piano:
Erzsébet Tusa (pianist)
recording of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82: No. 4. Allegro vovace
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82
1:08

27 Nine little piano pieces, Sz. 82, BB 90: Book II, No. 5. Menuetto
piano:
Erzsébet Tusa (pianist)
recording of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82: No. 5. Menuetto. Moderato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82
1:48

28 Nine little piano pieces, Sz. 82, BB 90: Book II, No. 6. Allegro. Dal
piano:
Erzsébet Tusa (pianist)
recording of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82: No. 6, Air. Allegro – Meno mosso
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82
1:00

29 Nine little piano pieces, Sz. 82, BB 90: Book II, No. 7. Comodo. Marcia delle bestie
piano:
Erzsébet Tusa (pianist)
recording of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82: No. 7. Marcia delle bestie. Comodo
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82
1:49

30 Nine little piano pieces, Sz. 82, BB 90: Book II, No. 8. Allegro molto. Csörgõ-tánc
piano:
Erzsébet Tusa (pianist)
recording of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82: No. 8. Tambourine. Allegro molto
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82
1:09

31 Nine little piano pieces, Sz. 82, BB 90: Book III, No. 9. Preludio. Molto moderato – allegro non troppo, molto ritmico
piano:
Erzsébet Tusa (pianist)
recording of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82: No. 9. Preludio – All ungherese
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
9 Little Piano Pieces, Sz. 82

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Bartók desejando-nos uma béla primavera.

PQP

.: interlúdio :. The Ornette Coleman Quartet ‎– This Is Our Music

.: interlúdio :. The Ornette Coleman Quartet ‎– This Is Our Music

Cada vez mais eu gosto de ouvir free jazz, ainda mais um de seus pioneiros, o genial Ornette Coleman. E que músicos temos neste disco! Todo mundo é gênio e não exagero. This Is Our Music é o quinto álbum do saxofonista, lançado pela Atlantic Records em março de 1961. É o primeiro com o baterista Ed Blackwell substituindo seu predecessor, Billy Higgins, no Ornette Coleman Quartet. E, ao que eu saiba, é o único dos álbuns de Coleman a incluir um standard, neste caso uma versão de  Embraceable You, de George e Ira Gershwin. Duas sessões de gravação do álbum ocorreram em julho e uma em agosto de 1960 no Atlantic Studios em Nova York. As sete faixas foram selecionadas a partir de 23  gravadas ao longo das três sessões. Coleman ficou muito satisfeito com as gravações, afirmando: “Em julho de 1960, fizemos trinta músicas em três semanas. Todas originais. Eu não tinha percebido todas as abordagens diferentes que estávamos desenvolvendo nos últimos meses. Acho que os novos álbuns darão ao público uma ideia mais precisa do que estamos tentando fazer.” Em suas notas de encarte, Coleman teve o cuidado de colocar sua música no contexto histórico, escrevendo:

o mais importante da nossa música é a improvisação, que é feita da forma mais espontânea possível, com cada homem contribuindo com sua expressão musical para criar a forma. Agora – vamos olhar para trás. A improvisação em grupo não é nova. No início do jazz, esse tipo de jogo em grupo era conhecido como Dixieland. Na era do swing, a ênfase mudou e a improvisação tomou a forma de solos baseados em riffs. No jazz moderno, a improvisação é melódica e harmonicamente progressiva. Agora estamos combinando os três para criar e dar mais liberdade ao músico e mais prazer ao ouvinte.

Ele também homenageou seus companheiros de banda, escrevendo: “A experiência de tocar com esses homens é inexplicável e só sei que o que eles fazem está muito além de uma explicação técnica.”

The Ornette Coleman Quartet ‎– This Is Our Music

1 Blues Connotation 5:14
2 Beauty Is A Rare Thing 7:12
3 Kaleidoscope 6:33
4 Embraceable You 4:54
5 Poise 4:37
6 Humpty Dumpty 5:20
7 Folk Tale 4:46

Ornette Coleman – alto saxophone
Don Cherry – pocket trumpet
Charlie Haden – bass
Ed Blackwell – drums

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Coleman e Haden na PQP Jazz Hall de Alegrete. De nada adiantou avisarmos Mr. Ornette de que era proibido fumar.

PQP

Gaudêncio Thiago de Mello: Reflections e Amadeste / Ernesto Nazareth e Daniel Wolff: A terceira face de Ernesto / Daniel Wolff (1967): Concerto para clarineta / Radamés Gnatalli (1906-1983): Concerto à Brasileira n° 4

Gaudêncio Thiago de Mello: Reflections e Amadeste / Ernesto Nazareth e Daniel Wolff: A terceira face de Ernesto / Daniel Wolff (1967): Concerto para clarineta / Radamés Gnatalli (1906-1983): Concerto à Brasileira n° 4

Fãs de Amaral Vieira, este CD não é de obras de vosso dileto compositor, mas é tão digno quanto. Daniel Wolff é um neorromântico que me lembra muito Jaime Zenamon e Carlos Guastavino (se vocês não conhecem esses dois estão perdendo de ter contato com obras agradabilíssimas, mas caso não gostem de românticos tardios e ultratardios então é bom não escutá-los).

Wolff não lembra Amaral Vieira nem nos estilos emulados nem no porte das obras, mas no cabedal de que dispõe para compor, tal qual vocês poderão ouvir no concerto para clarineta (quem disser que é uma obra água com açúcar, tudo bem, mas é praticamente perfeita em harmonia, melodias e orquestração, ainda que não tenha tanta inspiração nos dois últimos movimentos).

Porém, melhor ainda é quando Wolff toca violão, instrumento no qual tornou-se o primeiro doutor no Brasil. Em sua interpretação do concerto de Radamés Gnatalli não encontro ressalvas – mas deixo para os violonistas fazerem comentários adicionais ou me desmentirem.

Este é um CD que estava na fila de espera há mais de um ano – na verdade, estava desde que me juntei à família Bach.

AS (Ante scriptum).: O Gaudêncio Thiago de Mello mencionado adiante, não é o poeta, é irmão dele (Amadeu Thiago de Mello).

***

Gaudêncio Thiago de Mello: Reflections e Amadeste / Ernesto Nazareth e Daniel Wolff: A terceira face de Ernesto / Daniel Wolff (1967): Concerto para clarineta / Radamés Gnatalli (1906-1983): Concerto à Brasileira n° 4

1. Reflections (A hug for Ayla), Gaudêncio Thiago de Mello
2. A terceira face de Ernesto, Ernesto Nazareth e Daniel Wolff
3. Amadeste, Gaudêncio Thiago de Mello

Concerto à brasileira nº 4, Radamés Gnatalli
4. Allegro Moderato
5. Lento
6. Ritmado

Concerto para clarinete e orquestra de cordas, Daniel Wolff
7. Allegro moderato
8. Expressivo e cantabile
9. Allegro ritmado

Daniel Wolff, violão
Gary Dranch, clarineta
Orquestra de Câmara da ULBRA
Tiago Flores, regência

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Daniel Wolff em frente ao Arco do Triunfo

CVL

Joseph Haydn (1732 – 1809): Sonatas para Piano – Paul Lewis, piano (2021) ֍

Joseph Haydn (1732 – 1809): Sonatas para Piano – Paul Lewis, piano (2021) ֍

 

Joseph Haydn

(Mais) Sonatas para Piano

Paul Lewis

 

Duas sonatas para piano, do período em que Haydn estava a serviço da família Esterházy, e mais duas compostas na época em que ele estava às voltas com as viagens a Londres. Com esta fórmula Paul Lewis nos brindou com um disco maravilhoso, postado aqui.

Haydn (1732-1809): Sonatas para Piano – Paul Lewis

Lewis gostou do passeio na sede de campo do PQP Bach Club de Pomerode

Pois ele repetiu a dose, com a mesma maestria – outro ótimo disco.

As sonatas para piano de Haydn levam uma numeração dada por H. C. Robbins Landon, musicólogo especializado na obra de Haydn, e uma outra mais antiga, proveniente do catálogo Hobken. Por exemplo, temos a Sonata No. 33 (Landon) em dó menor, Hob. XVI: 20 (Hobken), de 1771, e Sonata No. 53 em mi menor, Hob. XVI: 34, de 1778 ou 1783. As outras duas sonatas do disco são as No. 61 em ré maior, Hob. XVI: 51 e No. 62 em mi bemol maior, Hob. XVI: 52, ambas de 1794. Estas duas últimas, juntas com a No. 60 em dó maior, Hob. XVI: 50, gravada no outro disco de Lewis, foram as últimas sonatas compostas por Haydn, em 1794.

Todas estas sonatas são muito lindas e aparecem também no conjunto de sonatas gravadas por Alfred Brendel em vários discos reunidos em um só volume pela Philips, outra grande referência para quem gosta deste tipo de música.

As sonatas deste disco compostas na década de 1770 são próximas das composições de CPE Bach e as outras, da década de 1790, são típicas do estilo clássico vienense, como também são as primeiras sonatas para piano de Beethoven.

Não se iluda com o relativamente baixo número no catálogo da Sonata Hob, XVI: 20, em dó menor. Ela é favorita de pianistas como Alfred Brendel e András Schiff. A sonata começa moderadamente, com um arco inquisitório que vai se resolvendo com a enorme inventividade de Haydn. Não espere uma demonstração de virtuosismo, mas aprecie a elegância e graciosidade tão plenamente realizadas por Paul Lewis.

A Sonata em dó maior, Hob. XVI: 52 é uma das Top 10 da Gramaphone – uma das escolhidas para as melhores dez sonatas para piano, ever! (Pelo menos até que o editor não decida reescrever o artigo…)

O seu movimento final é ótimo exemplo do bom humor de Haydn.

O início da Sonata em mi menor, Hob. XVI: 34 é maravilhosamente borbulhante, cheia de perguntas seguidas de respostas afirmativas, deliciosa. O adagio é seguido de um brilhante finale, molto vivace, com a mesma verve do primeiro movimento, cheio do famoso bom humor haydniano.

Graciosidade também não falta na última sonata, em dois curtos movimentos, mas cheia de novas atitudes.

Franz Joseph Haydn (1732 – 1809)

Sonata para piano No. 33 em dó menor, Hob.XVI:20

  1. Moderato
  2. Andante con moto
  3. Finale. Allegro

Sonata para piano No. 62 em i bemos maior, Hob.XVI:52

  1. Allegro moderato
  2. Adagio
  3. Finale. Presto

Sonata para piano No. 53 em mi menor, Hob.XVI:34

  1. Presto
  2. Adagio
  3. Finale. Molto vivace

Sonata para piano No. 61 em ré maior, Hob.XVI:51

  1. Andante
  2. Finale. Presto

Paul Lewis, piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FLAC | 199 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

MP3 | 320 KBPS | 154 MB

Esse foi olhar que Paul mandou quando perguntamos pelas gaivotas…

In 2018, Paul Lewis embarked on an exploration of one of the richest bodies of work of the Classical era: the keyboard sonatas of Haydn.

For his second volume, the British pianist tackles some of the most remarkable pieces in this vast oeuvre: the exceptionally concise Sonata in D major Hob. XVI:51, for example, which is surprisingly pre-Romantic (Schubert is not far off), or the celebrated Sonata in E flat major Hob. XVI:52, with which Haydn conferred well-nigh symphonic dimensions on the keyboard sonata for the very first time.

 

Piano do Joe Haydn

Se você gostou desta postagem poderá explorar também esta aqui:

Haydn (1732-1809) & Beethoven (1770-1827): Sonatas para Piano – Olivier Cavé #BTHVN250

Chopin / Mozart / Liszt, por Yulianna Avdeeva

Em minha modestíssima e insignificante opinião, a russa Yulianna Avdeeva é o grande nome feminino do piano da atualidade, e uma fortíssima candidata a ocupar o trono de Martha Argerich. Seu repertório vai de Bach a Prokofiev sem maiores problemas. Não teme se expor nas redes sociais, a acompanho no Facebook, onde de vez em quando faz postagens muito interessantes sobre as obras que está estudando. Quem tiver tempo livre, procurem no Youtube suas lives sobre o Cravo Bem Temperado. Como boa filha de seu tempo, Avdeeva sente-se perfeitamente a vontade na frente de uma câmera para analisar cada um dos prelúdios e fugas e expor suas dificuldades de interpretação.

Neste CD que ora vos trago, temos obras de três compositores bem diferentes. Começando com a maravilhosa ‘Fantasia in Fá Menor, op 49’, de Chopin, que já trouxe em outra ocasião com a mesma pianista, mas em outro contexto, gravado ao vivo. Aqui Yulianna está dentro de um estúdio, então temos uma abordagem diferente, mas igualmente de altíssima qualidade, afinal estamos falando de uma vencedora do dificílimo Concurso Chopin de Varsóvia. E isso é para poucos. Para mostrar ainda mais sua versatilidade e talento, ainda temos A Sonata nº6 de Mozart e duas obras de Liszt, incluíndo a dificílima ‘Après Une lecture Du Dante’, um tour de force para a nossa intérprete.

Chopin:
1 Fantasie In F Minor Op.49

Mozart:
Piano Sonata No.6 In D Major K.284
2 Allegro
3 Rondeau En Polonaise. Andante
4 Tema Con Variazione

Liszt:
5 Après Une Lecture Du Dante – Fantasia Quasi Sonata
6 Aida Di Giuseppe Verdi – Danza Sacra E Duetto Finale S.436

Yulianna Avdeva – Piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FDP

Franz Liszt (1811-1886): Peças para Piano e Sonata S178 (Hamelin)

Franz Liszt (1811-1886): Peças para Piano e Sonata S178 (Hamelin)

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Eu costumo ser (muito) hostil a Liszt. Por isso, quando comecei a ouvir e a gostar (muito) deste disco, fiquei surpreso. Fui atrás deste CD por causa da Sonata, uma das poucas obras de Liszt que admiro, mas acabei feliz com tudo o que ele traz. Por falar na Sonata, esta de Hamelin é uma das melhores gravações dela que já ouvi. A complicada obra se desdobra com uma espontaneidade e aparente inevitabilidade que entusiasma. Isso logo após depois da Tarantella de Venezia e Napoli, tocada com uma velocidade e clareza que talvez leve alguns colegas do pianista ao desespero. Não é uma questão de virtuosismo por si só. A rapidez das notas repetidas de Hamelin na Tarantella é quase inacreditável, mas ele mantém a poesia e o refinamento. Mesmo assim, o lugar de honra vai para a Sonata. Bah, que Sonata linda, um Sonatão! Adoro!

Franz Liszt (1811-1886): Peças para Piano e Sonata S178

1)Fantasie und Fuge über das Thema B-A-C-H S529ii [12:36]

2)Bénédiction de Dieu dans la solitude (No 03 of Harmonies poétiques et religieuses, S173) [17:54]

Venezia e Napoli – Supplement aux Années de Pèlerinage seconde volume S162
3) No 1: Gondoliera [5:15]
4) No 2: Canzone [3:06]
5) No 3: Tarantella [9:22]

Sonate “Piano Sonata in B minor” S178
6) Movement 1: Lento assai [11:58]
7) Movement 2: Andante sostenuto [7:55]
8) Movement 3: Allegro energico [1:50]
9) Movement 4: Allegro energico – Più mosso [5:40]
10) Movement 5: Andante sostenuto [3:43]

Marc-André Hamelin, piano

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Marc-André Hamelin na garagem de pianos da PQP Bach Corp de Montreal.

PQP

Diego Ortiz (1510 – 1570): Trattado de Glosas – Bruno Cocset ֎

Diego Ortiz (1510 – 1570): Trattado de Glosas – Bruno Cocset ֎

Diego Ortiz

Trattado de Glosas

Les bases réunies

Guido Balestracci

Bruno Cocset

No dicionário vemos a informação de que glosa significa ornamentação: glosa – anotação em texto para explicar o sentido de uma palavra ou esclarecer uma passagem (comentário). Se olharmos no dicionário com especificidade de música, veremos que glosa é um termo usado frequentemente pelos músicos espanhóis do século XVI indicando uma peça musical similar a um conjunto de variações. Pois a partir daí você começa a imaginar o que pode ser um Trattado de Glosas, que estamos para ouvir neste lindíssimo disco, mas que requer mais de seu tempo e de sua atenção para seu devido desfrute.

Diego Ortiz nasceu em Toledo e foi um compositor e mestre virtuose de viola e seu Trattado de Glosas de 1553 teve grande influência nas práticas musicais de sua época. O tratado foi publicado em Roma, mas apareceu também em Espanha. No entanto, nesta época, Diego estava em Nápoles, a serviço de Ferdinando Álvarez Toledo, Duque de Alba, vice-rei de Nápoles.

Neste disco temos as variações publicadas no tratado, as Recercadas, sobre os temas de La SpagnaO felici occhi miei, Doulce memoireEl passamezzo antiguo, La Romanesca e La folia. Estas variações são tocadas por um solista, papel intercalado por Bruno Cocset e Guido Balestracci, e são acompanhados por um conjunto de violas. As variações são, de quando em quando, intercalados por pequenos números musicais de compositores contemporâneos de Ortiz, acrescentando ainda mais beleza ao conjunto.

Um disco para amantes de viola e para aqueles que acreditam que é possível ser transportado no tempo, por um período curto que seja, e depois de volta…

Diego Ortiz (c. 1510 – 1570)

Recercadas del Trattado de Glosas (1533)

  1. Recercada terçera para violone sola
  2. Recercada primera sobre el canto Ilano La Spagna
  3. Recercada segunda sobre el canto Ilano La Spagna
  4. Recercada terçera sobre el canto Ilano La Spagna
  5. Recercada quinta sobre el canto Ilano La Spagna
  6. Recercada quarta sobre el canto Ilano La Spagna
  7. Recercada sesta sobre el canto Ilano La Spagna

Luis Milán (1500 – 1561)

Fantasia XIII por el primer y segundo tono

  1. Fantasia (vihuela)

Diego Ortiz

Recercadas del Trattado de Glosas

  1. Recercada primera sobre el madrigal O felici occhi miei
  2. Recercada terçera sobre el madrigal O felici occhi miei
  3. Recercada segunda sobre el madrigal O felici occhi miei
  4. Recercada quarta sobre el madrigal O felici occhi miei

Antonio de Cabezón (1510 – 1566)

Diferencias sobre la gallarda milanesa (órgão & cravo)

  1. Diferencias

Tomás Luis de Victoria (1548 – 1611)

O magnum mysterium

  1. Moteto

Diego Ortiz

Recercadas del Trattado de Glosas

  1. Recercada quarta para violone sola
  2. Recercada primera sobre la cancion Doulce memoire
  3. Recercada segunda sobre la cancion Doulce memoire

Luis Milán

Fantasia I por el primer tono (vihuela)

  1. Fantasia

Diego Ortiz

Recercadas del Trattado de Glosas

  1. Recercada terçera sobre la cancion Doulce memoire
  2. Recercada quarta sobre la cancion Doulce memoire
  3. Recercada primera para violone sola
  4. Recercada segunda para violone sola
  5. Recercada primera sobre tenore El passamezzo antigua
  6. Recercada segunda sobre tenore El passamezzo moderno
  7. Recercada terçera sobre tenore El passamezzo antiguo
  8. Recercada quarta sobre tenore La folia
  9. Recercada quinta sobre tenore El passamezzo antiguo
  10. Recercada sesta sobre tenore La Romanesca
  11. Recercada settima sobre tenore La Romanesca
  12. Recercada otava sobre tenore La folia

Antonio de Cabezón

Diferencias sobre El Cantodel Caballero (órgão)

  1. Diferencias

Diego Ortiz

Recercada del Trattado de Glosas

  1. Recercada sobre tenore Aria di Ruggiero Quinta pars

Bruno Cocset, solo

Guido Balestracci, solo

Les Basses Réunies

Maude Gratton, órgão

Bertrand Cuiller, cravo

Xavier Diaz-Latorre, viola e guitarra renascentista

Detalhes sobre a atuação dos músicos podem ser encontrados no livreto

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FLAC | 273 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

MP3 | 320 KBPS | 142 MB

Bruno esperando pacientemente que Guido termine o seu solo…

Bruno Cocset and Guido Balestracci take turns playing the solo bass (and sometimes treble) viol parts in these 27 ricercars, effectively elegant fantasies on mostly pre-existing pieces. They bring burnished flair to these varied gems, part of the Spanish master Diego Ortiz’s 1553 treatise on ornamentation.                                            The Sunday Times

Guido, taking his time…

 

The result is simply flawless, in particular the two soloists Bruno Cocset and Guido Balestracci congenially transpose the elegant diminutions of this music. The exquisite timbres of their fellow campagners are more than just assistance. (…) The whole thing sounds like a discreet but varied and lasting introduction to the courtly sound universe in Southern Europe of that time.               Concerto

 

Envernizar é fácil… o trabalho é tomar conta até secar!

 

Se você gostou desta postagem, talvez queira visitar estas outras:

La Folia – Corelli, Marais, Martín y Coll e outros – Jordi Savall

J. S. Bach (1685-1750): Suítes para Violoncelo Solo (Cocset, completas)

Meu sobrinho queria saber se além de compositor, o Diego Ortiz era bom de bola…

Henry Purcell (1659-1695) / John Blow (1649-1708): Elegy (Iestyn Davies / James Hall / The King´s Consort / Robert King)

Henry Purcell (1659-1695) / John Blow (1649-1708): Elegy (Iestyn Davies / James Hall / The King´s Consort / Robert King)

IM-PER-DÍ-VEL !!!

E, pelas mãos competentes de Robert King e sua turma, voltamos a este belo recanto da música barroca inglesa, que já tínhamos abordado aqui. As canções são muito bonitas, é claro que Blow, o professor de Purcell, era mais grosso que seu leve aluno, mas está muito longe de ser uma vergonha. Neste disco, as vozes estão lindamente combinadas e fazem belos duetos. Só que, há o link acima… Aquele do “aqui“. E ocorre que, há mais de 30 anos, Robert King gravou para a Hyperion um disco com quase o mesmo conteúdo cantado por uma geração anterior de contratenores, James Bowman e Michael Chance. Tudo na gravação mais antiga é mais brilhante, mais vivo, até mesmo as canções mais sóbrias têm expressão mais profunda do que os do novo CD. A propósito: Who did Purcell blow?

Henry Purcell (1659-1695) / John Blow (1649-1708): Elegy (Iestyn Davies / James Hall / The King´s Consort / Robert King)

1 Purcell Hark how the songsters 3’00
2 Purcell In vain the am’rous flute 6’20
3 Purcell O solitude, my sweetest choice 5’40
4 Purcell Chaconne from Dioclesian 2’44
5 Blow Ah heav’n, what is’t I hear? 3’31
6 Purcell Sound the trumpet 2’23
7 Purcell Since the toils and the hazards of war 4’09
8 Purcell Sing, sing, ye druids 2’36
9 Blow Paratum cor meum 2’22
10 Purcell The Queen’s Epicedium: Incassum Lesbia 7’37
11 Blow The Queen’s Epicedium: No, Lesbia, you ask in vain 7’07
12 Purcell O dive custos Auriciae domus 6’26
13 Blow Ode: Mark how the lark and linnet sing 3’52
14 Blow Ode: But in the close of night 4’57
15 Blow Ode: So ceas’d the rival crew when Purcell came 2’55
16 Blow Ode: We beg not hell, our Orpheus to restore 1’51
17 Blow Ode: The pow’r of harmony too well they knew 2’35
18 Blow Ode: The heav’nly quire, who heard his notes 4’28
19 Blow Ode: Ye brethren of the lyre 2’49

Iestyn Davies countertenor
James Hall countertenor
The King’s Consort
Robert King

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Purcell
Blow

PQP

Maurice Ravel (1875-1937) – Complete Works for Piano Solo – Louis Lortier

Maurice Ravel (1875-1937) – Complete Works for Piano Solo – Louis Lortier

LINK ATUALIZADO !!!

Esse belo CD duplo começa com uma obra prima de Ravel, a “Pavane pour une infante defunte”,  uma das mais belas obras compostas, não apenas sua versão para piano, aqui magnificamente interpretada por Lortier, mas também sua versão para orquestra também é belíssima, basta ouvirem a versão recém postada pelo PQP das obras orquestrais do bom e velho Maurice Ravel.
Há algum tempo atrás postei uma versão de um de meus pianistas favoritos da atualidade, Jean-Eflaim Bavouzet. Mas essa versão do canadense Louis Lortier não fica atrás. A gravadora inglesa Chandos está com dois excelente pianistas para esse repertório, Bavouzet e Lortier.

Mas enfim, esses dois cds podem ser uma excelente companhia para este domingo chuvoso e frio. Com algumas doses de delicadeza um tanto nostálgica, tenho certeza de que os senhores irão gostar.

CD 1

01. Pavane pour une infante defunte
02. Le Tombeau de Couperin – I. Prelude
03. Le Tombeau de Couperin – II. Fugue
04. Le Tombeau de Couperin – III. Forlane
05. Le Tombeau de Couperin – IV. Rigaudon
06. Le Tombeau de Couperin – V. Menuet
07. Le Tombeau de Couperin – VI. Toccata
08. Serenade grotesque
09. Jeux d’eau
10. Valses nobles et sentimentales – I. Adelaide
11. Valses nobles et sentimentales – II. Assez lent–Avec une expression intense
12. Valses nobles et sentimentales – III. Modere
13. Valses nobles et sentimentales – IV. Assez anime
14. Valses nobles et sentimentales – V. Presque lent–Dans un sentiment intime
15. Valses nobles et sentimentales – VI. Vif
16. Valses nobles et sentimentales – VII. Moins vif
17. Valses nobles et sentimentales – VIII. Epilogue. Lent
18. La Valse – Poeme choregraphique pour orchestre

CD 2

01. Gaspard de la nuit – I. Ondine
02. Gaspard de la nuit – II. Le Gibet
03. Gaspard de la nuit – III. Scarbo
04. Menuet antique
05. Menuet sur le nom d’Haydn
06. A la maniere de…Borodine
07. A la maniere de…Chabrier
08. Prelude in A minor
09. Miroirs – I. Noctuelles
10. Miroirs – II. Oiseaux tristes
11. Miroirs – III. Une barque sur l’ocean
12. Miroirs – IV. Alborada del gracioso
13. Miroirs – V. La Vallee des cloches
14. Sonatine – I. Modere
15. Sonatine – II. Mouvement de menuet
16. Sonatine – III. Anime

Louis Lortier – Piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Lortie-Louie-full
Lortier: esse cara sabe o que faz e faz muito bem…

FDP

Henry Purcell (1659-1695) / John Blow (1649-1708): Duetos para Contratenores (Bowman, Chance, The King’s Consort, King)

Henry Purcell (1659-1695) / John Blow (1649-1708): Duetos para Contratenores (Bowman, Chance, The King’s Consort, King)

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Um disco belíssimo, lindas melodias esplendidamente interpretadas. Realmente, Purcell foi um gênio. Apesar de ter vivido apenas 36 anos, compôs obras em vários gêneros, sempre com excelentes resultados artísticos. Sua popularidade na corte durante os reinados de três monarcas e sua vasta produção de odes, música cênica, hinos sacros, canções seculares, música de câmara e para órgão são uma prova cabal de seu talento. Ouçam as canções deste disco. John Blow foi seu professor. Blow nasceu 10 anos antes e faleceu 13 anos depois. Então, teve tempo de homenagear seu aluno com a comovente Ode On The Death Of Mr. Henry Purcell, presente neste disco. Robert King e seu grupo são perfeitos neste repertório. Sente-se a naturalidade e o profundo conhecimento que o The King’s Consort tem de seus notáveis conterrâneos.

Henry Purcell (1659-1695) / John Blow (1649-1708): Duetos para Contratenores

Purcell:
1 Sound The Trumpet Z323 2:21
2 In Vain The Am’rous Flute Z328 6:03
3 O Solitude, My Sweetest Choice Z406 5:41
4 Sing, Sing Ye Druids Z574 2:37
5 O Dive Custos Auriacae Domus Z514 (Elegy Upon The Death Of Queen Mary) 6:59
6 No, Resistance Is But Vain Z601 4:34
7 Hark How The Songsters Z632 2:59
8 Incassum, Lesbia, Rogas Z383 (The Queen’s Epicedium) 7:43

Blow:
9 Ah, Heav’n! What Is’t I Hear! 3:16
10 Ode On The Death Of Mr Henry Purcell 21:50

James Bowman
Michael Chance
The King’s Consort
Robert King

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

PQP

Béla Bartók (1881-1945): Three burlesques / Allegro barbaro / Teaching pieces / Sonatina on traditional Romanian folk tunes / Romanian folk dances / Romanian Christmas carols / Studies for piano / Hungarian folk tunes / Hungarian peasant songs (Dezső / Gabos) #BRTK140 Vol. 21 de 29

Béla Bartók (1881-1945): Three burlesques / Allegro barbaro / Teaching pieces / Sonatina on traditional Romanian folk tunes / Romanian folk dances / Romanian Christmas carols / Studies for piano / Hungarian folk tunes / Hungarian peasant songs (Dezső / Gabos) #BRTK140 Vol. 21 de 29

Aqui, toda a coleção.

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Conheci Bartók através do Allegro Barbaro. Foi amor à primeira ouvida. Ele foi composto em 1911, é uma das peças para piano solo mais famosas e frequentemente executadas de Béla Bartók. A composição é típica de seu estilo, utilizando temas folclóricos. A obra combina os estilos húngaro e romeno. A música camponesa húngara é baseada na escala pentatônica, enquanto a romena é amplamente cromática. A peça foi executada muitas vezes em privado por Bartók. Ele tocava de memória e foi só depois que ele a passou para o papel.  Bartók estreou a peça em fevereiro de 1913.

Mas este disco tem muito mais. Só a Sonatina on traditional Romanian folk tunes e as Romanian folk dances já valeriam a audição, mas… Há também lindas pecinhas a serem garimpadas nas Teaching Pieces e no resto. Quem tem alguma familiaridade com a música daquela região da Europa, vai reconhecer várias melodias. Os dois pianistas desta gravação são esplêndidos. Este é um CD para ser ouvido dezenas de vezes!

Béla Bartók (1881-1945): Three burlesques / Allegro barbaro / Teaching pieces / Sonatina on traditional Romanian folk tunes / Romanian folk dances / Romanian Christmas carols / Studies for piano / Hungarian folk tunes / Hungarian peasant songs / (Dezső / Gabos) #BRTK140 Vol. 21 de 29

1 Three burlesques for piano, Sz. 47, BB 55 (Op. 8c): No. 1. Perpatvar
piano:
Ránki Dezső
recording of:
Three Burlesques, Sz. 47, BB 55, No. 1: Quarrel
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
Three Burlesques, Sz. 47, BB 55
2:10

2 Three burlesques for piano, Sz. 47, BB 55 (Op. 8c): No. 2. Kicsit azottan
piano:
Ránki Dezső
recording of:
Three Burlesques, Sz. 47, BB 55, No. 2: A Little Tipsy
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
Three Burlesques, Sz. 47, BB 55
2:21

3 Three burlesques for piano, Sz. 47, BB 55 (Op. 8c): No. 3. (Molto vivo capriccioso)
piano:
Ránki Dezső
recording of:
Three Burlesques, Sz. 47, BB 55, No. 3: Molto vivo, capriccioso
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
Three Burlesques, Sz. 47, BB 55
2:30

4 Allegro barbaro, for piano, Sz. 49, BB 63
piano:
Ránki Dezső
recording of:
Allegro barbaro, Sz. 49, BB 63
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1911)
part of:
Bartók Béla válogatott zenei írásai (number: Sz. 49) and Béla Bartók’s Works (BB) (number: BB 63)
2:40

5 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 1. (Moderato)
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 1. Moderato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:25

6 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 2. (Moderato)
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 2. Moderato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:32

7 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 3. (Moderato). Párbeszéd
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 3. Dialogue. Moderato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:28

8 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 4. (Moderato). Párbeszéd
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 4. Dialogue. Moderato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:29

9 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 5. (Moderato)
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 5. Moderato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:17

10 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 6. (Moderato)
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 6. Moderato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:42

11 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 7. (Moderato). Népdal
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 7. Folk Song. Moderato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:23

12 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 8. (Andante)
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 8. Andante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:31

13 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 9. (Andante)
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 9. Andante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:30

14 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 10. Allegro. Népdal
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 10. Folk Song. Allegro
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:33

15 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 11. Andante. Menüett
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 11. Minuet. Andante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:30

16 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 12. (Allegro). Kanasztanc
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 12. Swineherd’s Dance. Allegro
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:46

17 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 13. Népdal. Hol jártál, báránykám?
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 13. “Where Have You Been, My Lambkin?” (Folk Song). Andante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:56

18 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 14. (Andante)
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 14. Andante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:40

19 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 15. (Moderato). Lakodalmas
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 15. Wedding Song. Moderato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:32

20 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 16. (Allegro moderato). Paraszttánc
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 16. Peasant’s Dance. Allegro moderato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:18

21 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 17. Allegro deciso
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 17. Allegro deciso
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:21

22 Teaching pieces for piano, Sz. 53/BB 66 “Kezdok zongoramuzsikáya”: No. 18. (Tempo di valse). Keringõ
piano:
Ránki Dezső
recording of:
The First Term at the Piano: No. 18. Waltz. Tempo di valse
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
First Term at the Piano, BB 66, Sz. 53
0:41

23 Sonatina on traditional Romanian folk tunes for piano, Sz. 55, BB 69: I. Allegretto. Dudások
piano:
Ránki Dezső
recording of:
Sonatina, Sz. 55, BB 69: I. Dudások. Molto moderato
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1915)
part of:
Sonatina, Sz. 55, BB 69
1:42

24 Sonatina on traditional Romanian folk tunes for piano, Sz. 55, BB 69: II. Moderato. Medvetánc
piano:
Ránki Dezső
recording of:
Sonatina, Sz. 55, BB 69: II. Medvetánc. Moderato
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1915)
part of:
Sonatina, Sz. 55, BB 69
0:46

25 Sonatina on traditional Romanian folk tunes for piano, Sz. 55, BB 69: III. Allegro vivace. Finale
piano:
Ránki Dezső
recording of:
Sonatina, Sz. 55, BB 69: III. Finale. Allegro vivace
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1915)
part of:
Sonatina, Sz. 55, BB 69
1:48

26 Romanian folk dances for piano, Sz. 56, BB 68: No. 1. (Allegro moderato). Bot-tánc
piano:
Ránki Dezső
recording of:
Romanian Folk Dances, Sz. 56, BB 68, No. 1: Jocul cu bâtă
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
Romanian Folk Dances, Sz. 56, BB 68
1:08

27 Romanian folk dances for piano, Sz. 56, BB 68: No. 2. (Allegro). Brâul
piano:
Ránki Dezső
recording of:
Romanian Folk Dances, Sz. 56, BB 68, No. 2: Brâul
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
Romanian Folk Dances, Sz. 56, BB 68
0:27

28 Romanian folk dances for piano, Sz. 56, BB 68: No. 3. (Andante). Topogó
piano:
Ránki Dezső
recording of:
Romanian Folk Dances, Sz. 56, BB 68, No. 3: Pe Loc
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
Romanian Folk Dances, Sz. 56, BB 68
0:55

29 Romanian folk dances for piano, Sz. 56, BB 68: No. 4. (Moderato). Bucsumi tánc
piano:
Ránki Dezső
recording of:
Romanian Folk Dances, Sz. 56, BB 68, No. 4: Buciumeana
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
Romanian Folk Dances, Sz. 56, BB 68
0:40

30 Romanian folk dances for piano, Sz. 56, BB 68: No. 5. (Allegro). Román “polka”
piano:
Ránki Dezső
recording of:
Romanian Folk Dances, Sz. 56, BB 68, No. 5: Poarga Românească
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
Romanian Folk Dances, Sz. 56, BB 68
0:28

31 Romanian folk dances for piano, Sz. 56, BB 68: No. 6. (Allegro). Aprózó
piano:
Ránki Dezső
recording of:
Romanian Folk Dances, Sz. 56, BB 68, No. 6: Mărunţel
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
Romanian Folk Dances, Sz. 56, BB 68
0:53

32 Romanian Christmas carols, pieces in 2 series for piano, Sz. 57, BB 67: I. Allegro / II. Allegro / III. Allegro / IV. Andante / V. Allegro moderato / VI. Andante / VII. Andante / VIII. Allegretto / IX. Allegro / X. Più allegro
4:35

33 Romanian Christmas carols, pieces in 2 series for piano, Sz. 57, BB 67: I Molto moderato / II. Moderato / III. Andante / IV. Andante / V. Moderato / VI. Andante / VII. Variante della precedente / (VI). Andante / VIII. Allegro / IX. Allegretto / X. Allegro
6:11

34 Studies for piano, Sz. 72, BB 81 (Op. 18): I. Allegretto
recording of:
Suite for Piano, op. 14, Sz. 62: I. Allegretto
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1916-02)
part of:
Suite for Piano, op. 14, Sz. 62
2:04

35 Studies for piano, Sz. 72, BB 81 (Op. 18): II. Scherzo
recording of:
Suite for Piano, op. 14, Sz. 62: II. Scherzo
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1916-02)
part of:
Suite for Piano, op. 14, Sz. 62
1:55

36 Studies for piano, Sz. 72, BB 81 (Op. 18): III. Allegro molto
recording of:
Suite for Piano, op. 14, Sz. 62: III. Allegro molto
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1916-02)
part of:
Suite for Piano, op. 14, Sz. 62
2:06

37 Studies for piano, Sz. 72, BB 81 (Op. 18): IV. Sostenuto
recording of:
Suite for Piano, op. 14, Sz. 62: IV. Sostenuto
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1916-02)
part of:
Suite for Piano, op. 14, Sz. 62
3:07

38 Hungarian folk tunes, for piano, Sz. 66, BB 80/b: No. 1. (Andante tranquillo rubato). Leszállott a páva
recording of:
3 Hungarian Folk Tunes, Sz. 66: No. 1. Andante tranquillo, rubato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
3 Hungarian Folk Songs, BB 80b, Sz. 66
1:04

39 Hungarian folk tunes, for piano, Sz. 66, BB 80/b: No. 2. (Allegro non troppo, un poco rubato). Jánoshidi vásárban
recording of:
3 Hungarian Folk Tunes, Sz. 66: No. 2. Allegro non troppo, un poco rubato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
3 Hungarian Folk Songs, BB 80b, Sz. 66
1:06

40 Hungarian folk tunes, for piano, Sz. 66, BB 80/b: No. 3. (Maestoso). Fehér liliomszál
recording of:
3 Hungarian Folk Tunes, Sz. 66: No. 3. Maestoso
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
3 Hungarian Folk Songs, BB 80b, Sz. 66
1:31

41 Hungarian peasant songs for piano, Sz. 71, BB 79: No. 1 Régi keserves: Rubato
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71: No. 1. Rubato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71, BB 79
0:54

42 Hungarian peasant songs for piano, Sz. 71, BB 79: No. 2 Régi keserves: Andante
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71: No. 2. Andante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71, BB 79
2:02

43 Hungarian peasant songs for piano, Sz. 71, BB 79: No. 3 Régi keserves: Poco rubato
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71: No. 3. Poco rubato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71, BB 79
0:42

44 Hungarian peasant songs for piano, Sz. 71, BB 79: No. 4 Régi keserves: Andante
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71: No. 4. Andante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71, BB 79
0:41

45 Hungarian peasant songs for piano, Sz. 71, BB 79: No. 5. Scherzo: Allegro
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71: No. 5. Scherzo. Allegro
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71, BB 79
0:45

46 Hungarian peasant songs for piano, Sz. 71, BB 79: No. 6. Ballade: (Tema con variazioni)
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71: No. 6. Ballade (Tema con variazioni). Andante – Poco adagio – …
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71, BB 79
2:22

47 Hungarian peasant songs for piano, Sz. 71, BB 79: No. 7. Régi táncdalok: Allegro
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71: No. 7. Allegro
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71, BB 79
0:44

48 Hungarian peasant songs for piano, Sz. 71, BB 79: No. 8. Régi táncdalok: Allegretto
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71: No. 8. Allegretto
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71, BB 79
0:34

49 Hungarian peasant songs for piano, Sz. 71, BB 79: No. 9. Régi táncdalok: Allegretto
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71: No. 9. Allegretto
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71, BB 79
0:13

50 Hungarian peasant songs for piano, Sz. 71, BB 79: No. 10. Régi táncdalok:L’istesso tempo
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71: No. 10. L’istesso tempo (quasitrio)
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71, BB 79
0:26

51 Hungarian peasant songs for piano, Sz. 71, BB 79: No. 11. Régi táncdalok: Assai moderato
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71: No. 11. Assai moderato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71, BB 79
0:43

52 Hungarian peasant songs for piano, Sz. 71, BB 79: No. 12. Régi táncdalok: Allegretto
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71: No. 12. Allegretto
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71, BB 79
0:30

53 Hungarian peasant songs for piano, Sz. 71, BB 79: No. 13. Régi táncdalok: Poco più vivo
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71: No. 13. Poco piu vivo – Allegretto
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71, BB 79
0:27

54 Hungarian peasant songs for piano, Sz. 71, BB 79: No. 14. Régi táncdalok: Allegro
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71: No. 14. Allegro
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71, BB 79
0:30

55 Hungarian peasant songs for piano, Sz. 71, BB 79: No. 15. Régi táncdalok: Allegro
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71: No. 15. Allegro
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
15 Hungarian Peasant Songs, Sz. 71, BB 79
1:22

56 Studies for piano, Sz. 72, BB 81 (Op. 18): Allegro molto
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
3 Studies (Etudök), op. 18, Sz. 72: I. Allegro molto
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
3 Studies (Etudök), op. 18, Sz. 72
2:15

57 Studies for piano, Sz. 72, BB 81 (Op. 18): Andante sostenuto
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
3 Studies (Etudök), op. 18, Sz. 72: II. Andante sostenuto – Più mosso
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
3 Studies (Etudök), op. 18, Sz. 72
3:40

58 Studies for piano, Sz. 72, BB 81 (Op. 18): Rubato; Tempo giusto capriccioso
piano:
Gábor Gabos (pianist)
recording of:
3 Studies (Etudök), op. 18, Sz. 72: III. Rubato – Molto sostenuto – Tempo giusto – Rubato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
3 Studies (Etudök), op. 18, Sz. 72

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

PQP

Domenico Scarlatti (1685-1757): 19 Sonatas – Sergei Babayan, piano ֎

Domenico Scarlatti (1685-1757): 19 Sonatas – Sergei Babayan, piano ֎

 

Domenico Scarlatti

Sonatas

Sergei Babayan

 

 

Pianistas russos e sonatas de Scarlatti vão bem juntos! Emil Gilels, Mikhail Pletnev e Yevgeny Subdin são alguns nomes que não deixam a frase no ar. O personagem pianista desta postagem é armênio de origem e estudou com Georgy Saradjev (aluno de Vladimir Sofronitsky) e posteriormente com Lev Naumov e Pletnev.

Parece coisa de filme, mas em 1991 o relativamente jovem Sergei Babayan se encontrava em Bruxelas, onde morava a já famosíssima Martha Argerich. Sergei buscou o nome dela em uma lista telefônica (não havia celulares como hoje, naqueles dias) é claro sem grandes expectativas. Mas, para sua grande surpresa, lá estava o nome e o número. Daí seguiu um telefonema que resultou em uma grande amizade e alguns projetos em conjunto.

Babayan e a sua rainha…

No entanto, o disco da postagem é solo e Babayan apresenta sonatas de um compositor que foi um virtuose do teclado, mas que nos seus dias tocava cravo. Domenico Scarlatti também teve a sorte de cair nas graças de uma rainha. No seu caso, a rainha da Espanha, Maria Bárbara, de origem portuguesa. Muitas destas sonatas foram escritas por Scarlatti para a rainha e chegaram até nós 555 delas. Isto foi em grande parte pelo zelo da rainha, que instou e certamente financiou o trabalho de cópia destas sonatas, supervisionado pelo compositor, mesmo que não houvesse uma publicação em perspectiva.

Scarlatti e a sua rainha…

Neste disco, Sergei nos brinda com 19 bem escolhidas sonatas desta enorme coleção. Na primeira delas ele mostra como devemos iniciar uma feliz jornada, sem correrias, admirando os detalhes e entrando no clima de que apreciaremos – uma sequência de maravilhosas peças.

Domenico Scarlatti (1685 – 1757)

Sonatas

  1. Sonata em sol menor, K. 8: Allegro
  2. Sonata em sol maior, K. 454: Andante Spiritoso
  3. Sonata em lá menor, K. 54: Allegro
  4. Sonata em sol maior, K. 547: Allegro
  5. Sonata em dó sustenido menor K. 247: Allegro
  6. Sonata em ré maior, K. 118: Non Presto
  7. Sonata em mi menor, K. 198: Allegro
  8. Sonata em sol maior, K. 79: Allegrissimo
  9. Sonata em fá menor, K. 239: Allegro
  10. Sonata em ré maior, K. 45: Allegro
  11. Sonata em ré maior, K. 491: Allegro
  12. Sonata em fá maior K. 17: Presto
  13. Sonata em fá menor, K. 365: Allegro
  14. Sonata em fá maior, K. 445: Allegro, Ò Presto
  15. Sonata em dó maior, K. 502: Allegro
  16. Sonata em ré menor, K. 141: Toccata. Allegro
  17. Sonata em dó maior, K. 487: Allegro
  18. Sonata em sol maior, K. 425: Allegro Molto
  19. Sonata em sol maior, K. 427: Prestissimo

Sergei Babayan, piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FLAC | 237 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

MP3 | 320 KBPS | 164 MB

Maria Madalena Bárbara Xavier Leonor Teresa Antónia Josefa, rainha portuguesa de Espanha, que muito contribuiu para a música e para a amizade entre os dois países…

Momento ‘The book is on the table’: Then, after hearing how Babayan handles the extraordinarily difficult repeated notes and runs in the toccata-like K. 141 I was sold. Here is a Major Scarlatti Player, and like none I’d ever heard before. Understand, I have Scarlatti recordings by probably thirty different keyboard artists (including all 555 sonatas by the late-lamented harpsichordist, Scott Ross), and I’d never heard one with this combination of technique and what I’d have to call ‘soul’, by which I guess I mean a fervent (and it occurred to me, a Spanish) expressivity. Not Horowitz (almost everyone’s favorite), Weissenberg (my own favorite), Dubravka Tomsic (a recent discovery for me), no one.
My favorable reaction held up to the very end of this lovely CD. I know I’ll be reaching for it again and again.

Espero que você também goste do disco do Babayan!

Aproveite!

René Denon

Talvez você queira visitar estas postagens aqui:

Domenico Scarlatti (1685-1757): 18 Sonatas – Alexandre Tharaud, piano

G. F. Handel (1685-1759): Suítes para Teclado – /| – D. Scarlatti (1685-1757): Sonatas – |/ – Murray Perahia, piano

 

Dmitri Shostakovich (1906-1975): 24 Prelúdios e Fugas, Op. 87 / Ronald Stevenson (1928-2015): Passacaglia On DSCH (Levit)

Dmitri Shostakovich (1906-1975): 24 Prelúdios e Fugas, Op. 87 / Ronald Stevenson (1928-2015): Passacaglia On DSCH (Levit)

IM-PER-DÍ-VEL !!!

Igor Levit é uma estrela recente da música erudita. Aos 34 anos, ele encabeça a lista dos melhores pianistas jovens do mundo. O grande Alex Ross, em artigo recentemente publicado na revista The New Yorker, afirmou: “Levit é um pianista como nenhum outro”. E acrescentou: “Outros pianistas da geração de Levit podem ter alcançado mais fama mercadológica — como Lang Lang e Yuja Wang –, mas nenhum deles possui uma estatura artística, cultural e mesmo política, comparável à dele”. Verdade. Levit é um artista que combina inteligência aguda, sensibilidade e talento técnico. Um caso raro, infelizmente.

Bem, há dois anos, Igor Levit dedicou um recital no Wigmore Hall à enorme Passacaglia sobre DSCH, de Ronald Stevenson. Foi uma execução extraordinária e inesquecível de uma das obras mais singulares do repertório pianístico do século XX, uma peça musical de 80 minutos, composta entre 1960 e 1963, que contém toda uma gama de formas menores, utilizando o tema DSCH, a “grafia” musical (Ré, Mi bemol, Dó, Si natural) das iniciais de Dmitri Shostakovich — em alemão Schostakovich — como base.

A gravação de Levit da Passacaglia é tão magnífica quanto foi ao vivo e ela combina à perfeição com o conjunto igualmente épico de 24 Prelúdios e Fugas, Op 87, de Shostakovich. A peculiar obra-prima de Stevenson é verdadeiramente única. É concebida na grande tradição virtuosa de Liszt e Busoni, é raramente ouvida em concerto e foi gravada apenas cinco vezes antes, incluindo uma versão do próprio compositor e outra dos anos 1960 de John Ogdon que parece nunca ter sido transferida para CD. Como Levit mostra de maneira espetacular, Stevenson faz um passeio selvagem por um monte de formas musicais, citações e alusões, com referências que vão de Bach a canções revolucionárias do século 20 — uma passagem é marcada para ser tocada “com um senso gagarinesco de espaço”.

Junto com a Passacaglia, temos os extraordinários 24 Prelúdios e Fugas de Shostakovich, compostos ao longo de apenas cinco meses entre 1950 e 1951. Eles enganam — parecem um diário tranquilo e íntimo que segue o esquema de O Cravo Bem Temperado ao trabalhar em todas as tonalidades maiores e menores, embora, em vez da ordem cromática de Bach, Shostakovich organize seu ciclo em torno das quintas, com cada prelúdio e fuga em tonalidade maior emparelhada com sua tonalidade menor relativa, de modo que as peças de dó maior e lá menor sejam seguidas pelo sol maior e mi menor, e assim por diante. As dívidas para com Bach são muitas, começando no início do primeiro Prelúdio em Dó maior, finalizando com a linda fuga final.

Nos prelúdios e fugas, Levit chega muito próximo de Tatiana Nikolayeva — em alguns momentos creio que a ultrapassa em beleza e compreensão. Tatiana foi a pianista a quem Shostakovich dedicou a obra, a que a estreou e fez três gravações legendárias do ciclo. Porém, se Levit chega muito perto de Tatiana em seu domínio da obra, é na performance de Stevenson que ele dificilmente será igualado.

Dmitri Shostakovich (1906-1975): 24 Prelúdios e Fugas, Op. 87 / Ronald Stevenson (1928-2015): Passacaglia On DSCH (Levit)

24 Preludes And Fugues, Op. 87
Composed By – Dmitri Shostakovich
1-1 Prelude No. 1 In C Major 2:37
1-2 Fugue No. 1 In C Major 2:32
1-3 Prelude No. 2 In A Minor 0:53
1-4 Fugue No. 2 In A Minor 1:26
1-5 Prelude No. 3 In G Major 1:49
1-6 Fugue No. 3 In G Major 1:51
1-7 Prelude No. 4 In E Minor 2:57
1-8 Fugue No. 4 In E Minor 4:45
1-9 Prelude No. 5 In D Major 1:28
1-10 Fugue No. 5 In D Major 1:48
1-11 Prelude No. 6 In B Minor 1:54
1-12 Fugue No. 6 In B Minor 4:57
1-13 Prelude No. 7 In A Major 1:13
1-14 Fugue No. 7 In A Major 2:11
1-15 Prelude No. 8 In F-Sharp Minor 1:12
1-16 Fugue No. 8 In F-Sharp Minor 7:11
1-17 Prelude No. 9 In E Major 2:06
1-18 Fugue No. 9 In E Major 1:36
1-19 Prelude No. 10 In C-Sharp Minor 2:10
1-20 Fugue No. 10 In C-Sharp Minor 5:27
1-21 Prelude No. 11 In B Major 1:05
1-22 Fugue No. 11 In B Major 2:00
1-23 Prelude No. 12 In G-Sharp Minor 4:31
1-24 Fugue No. 12 In G-Sharp Minor 3:45
2-1 Prelude No. 13 In F-Sharp Major 2:27
2-2 Fugue No. 13 In F-Sharp Major 4:45
2-3 Prelude No. 14 In E-Flat Minor 4:08
2-4 Fugue No. 14 In E-Flat Minor 2:44
2-5 Prelude No. 15 In D-Flat Major 2:34
2-6 Fugue No. 15 In D-Flat Major 1:33
2-7 Prelude No. 16 In B-Flat Minor 2:38
2-8 Fugue No. 16 In B-Flat Minor 7:29
2-9 Prelude No. 17 In A-Flat Major 1:39
2-10 Fugue No. 17 In A-Flat Major 3:40
2-11 Prelude No. 18 In F Minor 2:09
2-12 Fugue No. 18 In F Minor 3:03
2-13 Prelude No. 19 In E-Flat Major 2:15
2-14 Fugue No. 19 In E-Flat Major 2:26
2-15 Prelude No. 20 In C Minor 4:03
2-16 Fugue No. 20 In C Minor 5:12
2-17 Prelude No. 21 In B-Flat Major 1:16
2-18 Fugue No. 21 In B-Flat Major 2:42
2-19 Prelude No. 22 In G Minor 2:00
2-20 Fugue No. 22 In G Minor 3:12
2-21 Prelude No. 23 In F Major 2:24
2-22 Fugue No. 23 In F Major 4:02
2-23 Prelude No. 24 In D Minor 4:11
2-24 Fugue No. 24 In D Minor 9:23

Passacaglia On DSCH, Pars Prima
Composed By – Ronald Stevenson
3-1 Sonata Allegro 6:37
3-2 Waltz In Rondo-Form 2:19
3-3 Episode 1:09
3-4 Suite (Prelude – Sarabande – Jig – Sarabande – Minuet – Jig – Gavotte – Polonaise) 12:19
3-5 Pibroch (Lament For The Children) 2:48
3-6 Episode: Arabesque Variations 0:41
3-7 Nocturne 1:59

Passacaglia On DSCH, Pars Altera
Composed By – Ronald Stevenson
3-8 Reverie-Fantasy 5:30
3-9 Fanfare – Forebodings. Alarm – Glimpse Of A War-Vision 2:12
3-10 Variations On “Peace, Bread & The Land” (1917) 2:08
3-11 Symphonic March 1:55
3-12 Episode 0:55
3-13 Fandango 2:08
3-14 Pedal-Point. “To Emergent Africa” 2:03
3-15 Central Episode. Études 3:42
3-16 Variations In C Minor 3:41

Passacaglia On DSCH, Pars Tertia
Composed By – Ronald Stevenson
3-17 Adagio. Tribute To Bach 1:57
3-18 Triple Fugue Over Ground Bass, Subject I. Andamento 5:18
3-19 Triple Fugue Over Ground Bass, Subject II. B A C H 7:02
3-20 Triple Fugue Over Ground Bass, Subject III. Dies Irae (In Memoriam The Six Million) 6:33
3-21 Final Variations On A Theme Derived From Ground. Adagissimo Barocco 12:13

Piano – Igor Levit

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Igor Levit durante visita ao Salão Cromático de Concertos — também conhecido como Cor Sim, Cor Não — do PQP Bach, em sua sede de São Petersburgo.

PQP

Canções de Amor e Danças da Renascença (Capella Antiqua München)

Canções de Amor e Danças da Renascença (Capella Antiqua München)

Um bom disco, nada excepcional, mas bom e sincero. Tranquilizem-se — o CD é menos tosco do que sua capa. A Capella Antiqua de Munique toca e canta canções e temas instrumentais do período renascentista (séculos XV e XVI). A alegria de viver pode ser ouvida nas danças. As canções de amor soam íntimas e harmoniosas. As versões são convincentes, principalmente pela simplicidade. Os instrumentos originais usados ​​e as vozes provavelmente correspondem ao som da música renascentista. Recomendado para iniciantes na música antiga. Ah, nçao consigo imaginar uma canção mais linda do que Wann ich gedenk der Stund, a faixa 19 deste CD. Que maravilha!

Canções de Ampr e Danças da Renascença (Capella Antiqua München)

aus: Erstes Tanzbuch, P. Attaignant (1530)
1 Pavane 17 1:16
2 Galliarde 4 1:29
3 Bransle 2 0:56
Jacob Regnart (1540/45-1599)
4 All meine Gedanken 2:45
aus: Erstes Tanzbuch, P. Attaignant
5 Pavane 13 1:07
6 Galliarde 14 0:54
Anonym (16.Jh.)
7 Lieblich hat sich gesellet 3:00
Hans Voit (?) / Anonym (um 1540)
8 Für alll ich krön 3:43
aus: Carmina Germanica
9 Propter bonos geschwenkos 1:02
Hans Leo Hassler (1564-1612)
10 Mein Gmüt ist mir verwirret 4:07
aus: Danserye, Tilman Susato (1551)
11 Pavane Mille regretz 1:57
Heinrich Isaac (vor 1450-1517)
12 O liebes Herz 1:18
Guillaume Dufay (1397?-1474)
13 Vostre bruit 1:34
Joh. Stockem (c. 1445-1487 o. 1501)
14 Brunete 1:21
Antonio Scandelli (1517-1580)
15 Schein uns, du liebe Sonne 3:38
Johannes Stockem
16 Unbekannte Chanson 1:36
Antoine Brumel (um 1460-n. 1515)
17 Vray dieu d’amours 1:36
Johannes Stockem
18 Adieu madame 1:39
Jacob Regnart
19 Wann ich gedenk der Stund 5:20
Clemens non Papa (1510-1556/58)
20 Ich sag ade 1:42

Capella Antiqua München
Konrad Ruhland

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

O Concerto (1623), de Gerrit van Honthorst (holandês, 1592-1656).

PQP

Sergei Rachmaninov – Duo Genova and Dimitrov Piano Duo – Rachmaninoff: Complete Works for Piano

Talvez eu esteja exagerando, ou então é meio cedo para afirmar isso, mas este é um dos mais belos CDs que tive a oportunidade de ouvir nesse ano. Reconheço que até então estas obras me eram desconhecidas, talvez por falta de oportunidade, de tempo, ou até mesmo desinteresse. A obra de Rachmaninov para mim até então se resumia a seus três primeiros concertos para piano, e os admirava antes de tudo por seu romantismo exacerbado, o conheci na juventude, primeiro romance adolescente, essas coisas.

Mas veio a idade, e com ela a maturidade, e então, eis que de repente este CD magnífico me cai em mãos em momento mais que oportuno, um momento de transição em minha vida, e fez com que eu percebesse que nem tudo é exatamente como eu queria, ou melhor, como eu então imaginava. Conceitos existem para serem derrubados, ou melhorados, melhor dizendo, e preciso reconhecer que sim, existe vida na obra de Rachmaninov além de seus indefectíveis Segundo e Terceiro Concertos.

Ah, mas o FDPBach sempre foi um romântico às antigas, alguns de nossos leitores podem sem dúvida comentar, mas entendam que não estou negando isso, e jamais o farei. O que quero dizer é que, ao ouvir esta Barcarolle do op. 11 algo mudou, como se portas até então fechadas tivessem sido abertas. E não apenas este movimento da Suite merece nossa atenção, mas sim todo o disco.  As ‘Fantasie-Tableaux’ são algo que estão além de nossa primeira impressão, é preciso atenção desde os primeiros compassos, nada ali está por acaso, nada sobra nem falta. Acho que poucas obras fazem tão jus ao nome quanto as Fantasias. Elas nos remetem a um mundo onírico, de sonhos, onde tudo é tênue e se desfaz como seu fosse uma névoa .

A primeira vez que ouvi esta obra foi com o Duo Louis Lortie e Helène Mercier, em um belo registro ao vivo, disponível abaixo no link do Youtube. Em comum com a dupla Genova and Dimitrov, temos aqui uma parceria de mais de vinte e cinco anos, então o nível de cumplicidade é muito alto.

O Duo Genova and Dimitrov está muito a vontade neste repertório. Vale e muito a audição deste belíssimo CD, que faço questão de mostrar para os senhores. Se acharem que exagero nos adjetivos entendam por favor que somos seres volúveis e que estamos sempre a mercê das ondas desse mar que é a vida. E neste momento sinto que a maré virou a meu favor e está me empurrando novamente em direção à praia.

CD 1

01 – 5 Morceaux de fantaisie, Op. 3 No. 2, Prélude in C-Sharp Minor (Version for Piano Duo)
02 – Russian Rhapsody in E Minor
03 – Suite No. 1 in G Minor, Op. 5 Fantaisie-tableaux I. Barcarolle
04 – Suite No. 1 in G Minor, Op. 5 Fantaisie-tableaux II. Oh Night, Oh Love
05 – Suite No. 1 in G Minor, Op. 5 Fantaisie-tableaux III. Tears
06 – Suite No. 1 in G Minor, Op. 5 Fantaisie-tableaux IV. Easter
07 – The Rock, Op. 7 (Version for Piano Duo)
08 – Suite No. 2 in C Major, Op. 17  I. Introduction
09 – Suite No. 2 in C Major, Op. 17  II. Waltz
10 – Suite No. 2 in C Major, Op. 17  III. Romance
11 – Suite No. 2 in C Major, Op. 17  IV. Tarantella
12 – Romance for Piano 4-Hands in G Major
13 – Polka italienne

CD 2

01 – 6 Morceaux, Op. 11 No. 1, Barcarolle
02 – 6 Morceaux, Op. 11 No. 2, Scherzo
03 – 6 Morceaux, Op. 11 No. 3, Thème russe
04 – 6 Morceaux, Op. 11 No. 4, Valse
05 – 6 Morceaux, Op. 11 No. 5, Romance
06 – 6 Morceaux, Op. 11 No. 6, Glory
07 – Capriccio on Gypsy Themes, Op. 12 (Version for Piano Duo)
08 – Symphonic Dances, Op. 45 (Version for Piano Duo) I. Non allegro
09 – Symphonic Dances, Op. 45 (Version for Piano Duo) II. Andante con moto. Tempo di valse
10 – Symphonic Dances, Op. 45 (Version for Piano Duo) III. Lento assai – Allegro vivace

Aglika Genova & Liuben Dimitrov – Pianos

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Bach (1685-1750) – Schubert (1797-1828) – Chopin (1810-1849): Peças para Piano – Jayson Gillham ֍

Bach (1685-1750) – Schubert (1797-1828) – Chopin (1810-1849): Peças para Piano – Jayson Gillham ֍

Bach – Schubert

Chopin

Peças para Piano

Jayson Gillham

 

Não é incomum que em seus primeiros álbuns, jovens pianistas reúnam obras de compositores que geralmente não se encontram assim, tão associados. Para exemplificar o que quero dizer, basta lembrar um dos primeiros discos de Martha Argerich com obras de Chopin, Brahms, Liszt, Ravel e Prokofiev. É claro que não há aqui qualquer intenção de comparar o pianista australiano de Queensland com a musa de nossos queridos colaboradores do blog, mas o disco da postagem da vez reúne obras de Bach, Schubert e Chopin. É claro que todos três foram excelentes intérpretes e compositores de música para teclado, mas não é todo dia que nos deparamos com um disco reunindo uma trinca destas. Não se preocupe, o disco funciona muito bem como um lindo recital.

Abrindo os trabalhos, a Toccata em dó menor, BWV 911, de Bach. Peça que também aparece em um disco todo dedicado a Bach, da Martha Argerich. A Toccata é uma peça de juventude de Bach e tem um certo ar de improvisação que Gillham realiza com muita propriedade.

Durante o Festival Internacional de Perth de 2016, um crítico observou que Jayson Gillham tem um bell-like tone and… sense of expressive lyricism.  Pois a escolha da Sonata em lá maior, D. 644, de Schubert, nos dá oportunidade de verificar esse tal senso de lirismo.

Funcionando como uma segunda parte do recital, temos as peças de Chopin. A transição da Sonata de Schubert para o universo de Chopin é bem marcada pelo Prelúdio que anuncia a Sonata No. 3, em si menor, Op. 58.

A crítica que eu li sobre o disco, que você pode acessar aqui, tem algumas reservas, mas é bastante positiva, vista em perspectiva. Eu, que sou fácil de agradar, gostei muito do disco, em particular da produção de gravação, aos cuidados de Andreas Neubronner, que costuma produzir discos de Murray Perahia.

Johann Sebastian Bach (1685 – 1750)

Toccata em dó maior, BWV911

  1. Toccata

Franz Schubert (1797 – 1828)

Sonata para Piano em lá maior, D664

  1. Allegro moderato
  2. Andante
  3. Allegro

Frédéric Chopin (1810 – 1849)

Prelúdio em dó sustenido menor, Op. 45

  1. Prelúdio

Sonata para Piano No. 3 em si menor, Op. 58

  1. Allegro maestoso
  2. Scherzo: Molto vivace
  3. Largo
  4. Finale: Presto, non tanto

Jayson Gillham, piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

FLAC | 157 MB

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

MP3 | 320 KBPS | 137 MB

O fotógrafo do PQP Bach teve muito trabalho para reunir os três compositores para esse flash…

Gillham says these particular works are close to his heart… Depois de ouvir o disco, eu diria: You bet!

Bach | Schubert | Chopin presents music of unparalleled beauty, vitality and joy by three masters of keyboard writing. The works highlight different aspects of Jayson’s superb musicianship.

Jayson Gillham

Diversos Compositores: Günter Wand em Concerto ֍

Diversos Compositores: Günter Wand em Concerto ֍

Haydn • Mozart

Beethoven • Brahms

Tchaikovsky • Sain-Saëns

Günter Wand

 

Houve um tempo em que grandes pianistas e violinistas andavam sobre a terra e dominavam o planeta! Inclusive, foi nesta época que os pianos tiveram que ser reforçados, ganharam tonalidades mais escuras e os violinos eram venerados e conhecidos por nomes próprios ou apelidos. Era o período que nós, os estudiosos do que ficou registrado nas fitas magnéticas da época, mastertapes, chamamos de Período Jurássico.

Sempre que surge um registro novo, algo que se encontrava esquecido em alguma prateleira de algum estúdio ou arquivo de rádio, segue um reboliço, um frisson, um alvoroço nesta comunidade de paleantapeólogos…

Firkušný

Pois o que vos trago nesta postagem é uma série de registros deste tempo passado, mas jamais esquecido… O denominador comum é o regente, ele também uma versão de regente-jurássico, que por diversas vezes apareceu em nossas páginas, mas quase sempre em gravações comerciais regendo sinfonias… Aqui ele faz o papel de regente acompanhante, na maioria das obras – Günter Wand a frente de duas orquestras de rádios alemãs.

Explorador de arquivos jurássicos…

Os solistas, como você pode imaginar, são figuras quase míticas, principalmente pianistas, mas um violinista também, a título de diversidade. Esta conversa toda não deve causar qualquer preocupação entre aqueles que, como eu, ao ouvirem falar de grandes nomes e gravações esquecidas já antecipam chiados e pigarros das plateias, sem contar som encaixotado e tenebroso. Não será necessário colocar colete ou chapéu de antropólogo explorador para se enveredar nos arquivos sonoros, pois que o som é sempre para lá de decente.

Magaloff

Temos quatro concertos para piano, quatro ao todo, iniciando no período clássico e culminando em dois enormes cavalos de batalha.

Nikita Magaloff, conhecido por suas gravações de Chopin, aqui faz as honras a um lindo concerto de Haydn, e Rudolf Firkušný, que conhecemos aqui por outras gravações de concertos clássicos, mais uma vez toca um concerto de Mozart. E um em tonalidade menor…

Gilels

Para o grande Emperor foi escalado o lendário pianista Emil Gilels, que deixou pelo menos três registros comerciais deste concerto. Acompanhado pela Orquestra de Cleveland regida por George Szell em uma delas e outra acompanhado pela Philarmonia Orchestra, regida por Leopold Ludwig. Mas há ainda uma gravação, esta sim bem datada, com orquestra regida por Kurt Sanderling.

Bolet

Como para dar um descanso aos seus solistas, Wand rege uma (linda) Serenata de Brahms, que ensaiou bastante antes de escrever sua Primeira Sinfonia.

Avançando com os concertos, temos o mais conhecido dos concertos para piano, se não o mais amado pelos connoisseurs, o Concerto de Tchaikovsky, interpretado pelo virtuose americano de origem cubana, Jorge Bolet. Sparkling!

Outro americano, este violinista de ascendência italiana, Ruggiero Ricci, interpreta um concerto de Camille Saint-Saëns.

Ricci

Para fechar este cortejo, três lindas aberturas de óperas de Mozart…

Estas gravações foram compiladas de uma caixa na qual havia muitas outras coisas, mas o que eu gostei mais está aqui. Tenho certeza de que cada um entre os leitores poderá encontrar aqui um bom trecho de música para se deliciar e apreciar a arte destes grandes intérpretes. As outras coisas da caixa resolvemos deixar para os outros blogs mais especializados…

Joseph Haydn (1732 – 1809)

Concerto para Piano em ré maior, Hob. XVIII/11

  1. Vivace
  2. Un poco Adagio
  3. Rondo all’Ungarese. Allegro assai

Nikita Magaloff, piano

NDR Sinfonieorchester

Günter Wand

Gravação de 2 de dezembro de 1985, Hamburg Musikhalle

Wolfgang Amadeus Mozart (1756 – 1791)

Concerto para Piano em ré menor, Nr. 20,  K 466

  1. Allegro
  2. Romance
  3. Allegro assai

Rudolf Firkušný, piano

Kölner Rundfunk-Sinfonie-Orchester (Hoje: WDR Sinfonieorchester Köln)

Günter Wand

Gravação de 13 de setembro de 1969, Köln

Produção: Hermann Lang

Ludwig van Beethoven (1770 – 1827)

Concerto para Piano Nr. 5 em mi bemol maior, Op. 73 – Emperor

  1. Allegro
  2. Adagio un poco mosso (attacca) & Rondo. Allegro

Emil Gilels, piano

Kölner Rundfunk-Sinfonie-Orchester (Hoje: WDR Sinfonieorchester Köln)

Günter Wand

Gravação de 13 de dezembro de 1974, Köln

Direção de gravação: Otto Nielen

Johannes Brahms (1833 – 1897)

Serenata em ré maior, Op. 11

  1. I Allegro molto
  2. II Scherzo, Allegro non troppo
  3. III Adagio non troppo
  4. IV Menuetto
  5. V Scherzo, Allegro
  6. VI Rondo. Allegro

Kölner Rundfunk-Sinfonie-Orchester (Hoje: WDR Sinfonieorchester Köln)

Günter Wand

Gravação de 2 de Outubro de 1968

Funkhaus am Wallraff-Platz, Saal 1, Köln

Direção de gravação e som: Otto Nielen

Pyotr I. Tchaikovsky (1840 – 1893)

Concerto para Piano Nr. 1 em si bemol menor, Op. 23

  1. Allegro non troppo e molto maestoso – Allegro con spirito
  2. Andantino semplice – Prestissimo – Tempo I
  3. Allegro con fuoco – Molto meno mosso – Allegro vivo

Jorge Bolet, piano

NDR Sinfonieorchester

Günter Wand

Gravação de 13 de novembro de 1985, Musikhalle Hamburg

Produção executiva: Rolf Beck

Camille Saint-Saëns (1835 – 1921)

Concerto para Violino Nr. 3 em si menor, Op. 61

  1. Allegro non troppo
  2. Andantino quasi Allegretto
  3. Molto moderato e maestoso – Allegro non troppo

Ruggiero Ricci, violino

Kölner Rundfunk-Sinfonie-Orchester (Hoje: WDR Sinfonieorchester Köln)

Günter Wand

Gravação entre 1 e 5 de dezembro de 1970, Köln

Diretor de gravação: Hans-Georg Daehn

Wolfgang Amadeus Mozart

Aberturas

  1. Così fan tutte K588
  2. Zauberflöte K620
  3. Le Nozze di Figaro K492

Kölner Rundfunk-Sinfonie-Orchester (Hoje: WDR Sinfonieorchester Köln)

Günter Wand

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

MP3 | 320 KBPS | 488 MB

Nosso selo Jurássico de Qualidade

Aproveite!

Günter Wand regendo uma serenata…

René Denon

Essa foi a cara que o Ruggiero fez quando um de nossos entrevistadores lhe perguntou se ele atuara na série dos Soprano…
Rudolf disse que não estava vendo nenhum outro pianista a sua frente

 

 

 

 

 

 

 

Se você gostou desta postagem, não deixe de visitar:

Brahms & Schubert: Sinfonias // Liszt: Les Preludes – Philharmonia Orchestra & Karajan

Beethoven (1770-1827): Concerto para Piano No. 5, Op. 73 – Emperor – Christoph Eschenbach – Boston SO – Seiji Ozawa

Beethoven (1770-1828): Sinfonias Nos. 5 & 7 – Chicago Symphony Orchestra – Fritz Reiner

 

A Obra Completa de Béla Bartók (1881-1945) – Concerto para viola e orquestra, em suas várias versões #BRTK140

O patrão PQP já lhes apresentou e contou a história do concerto para viola, o fragmentário canto do cisne de Béla Bartók, que o deixou incompleto ao falecer de leucemia há exatos 76 anos. O querido chefinho (bonita camisa a sua, aliás) também mencionou que a obra, encomendada pelo virtuose William Primrose, era apenas um punhado de esboços, por mais que o compositor afirmasse ao encomendante que a tinha bastante adiantada.

Pois bem: passada a comoção pela morte de Bartók, coube a seu amigo, aluno e violista Tibor Serly (1901-1978) a incumbência de organizar os fragmentos e completá-los de forma a permitir sua execução. Se não lhe coube também o privilégio de ser o regente da première, exercido por Antal Doráti, tendo Primrose como solista, restou a Serly reger a primeira gravação, que já lhes apresentamos há alguns meses.

Por mais gratos que devamos ser a Serly, é bastante óbvio que sua edição não soa muito como Bartók e, para complicar, o compositor – que já estava muito enfermo ao iniciar a obra – não deixou anotados seus planos e intenções. A insatisfação geral com o trabalho de Serly impulsionou outras iniciativas de reconstruir o concerto, entre as quais a mais notória foi a edição crítica de 1995, publicada no cinquentenário da morte de Béla. Extensamente anotada e comentada, ela foi organizada pelo violista Paul Neubauer e teve a colaboração peso-pesado do próprio filho do compositor, Péter Bartók. Ainda que a versão Neubauer-Bartók tenha sido aclamada nos meios acadêmicos e pareça estar a ganhar vagarosamente a preferência dos violistas, as duas reconstruções que eu considero mais efetivas são aquela feita pelo violista húngaro Csaba Erdélyi, que foi gravada pelo próprio arranjador, e – por incrível que pareça – o arranjo para violoncelo da lavra de Serly, o qual, num conclave de amigos de Bartók, venceu a versão para viola pelo placar de 8 a 6.

Imagino as piadas de violista que vieram depois.

 

Béla Viktor János BARTÓK (1881-1945)
Concerto para viola e orquestra, Sz. 120, BB 128
(1945)
Edição de Péter Bartók e Paul Neubauer (1995)
1 – Allegro moderato
2 – Lento
3 – (Finale) Allegretto

Dois quadros, Sz. 46
4 – Em plena floração. Poco adagio
5 – Dança no vilarejo. Allegro.

Concerto para viola e orquestra, Sz. 120, BB 128 (1945)
Completado e orquestrado por Tibor Serly (1945)
6 – Moderato
7 – Adagio religioso
8 – Allegro vivace

Tibor SERLY (1901-1978)

9 – Rapsódia para viola e orquestra

Xiao Hong-Mei, viola
Budapesti Filharmóniai Társaság Zenekara (Orquestra Filarmônica de Budapest)
János Kovacs, regência

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE


 

Béla BARTÓK

Concerto para viola e orquestra, Sz. 120, BB 128 (1945)
Reconstruído e orquestrado por Csaba Erdélyi (2001)

1 – Allegro Moderato – Ritornello – Lento – Ritornello – Scherzo – Allegro Vivace

Csaba Erdélyi, viola
New Zealand Symphony Orchestra
Marc Taddei, regência

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE



Antonín Leopold DVOŘÁK
(1841-1904)
Concerto em Si menor para violoncelo e orquestra, Op. 104
1 – Allegro
2 – Adagio ma non troppo
3 – Allegro moderato

Béla BARTÓK

Concerto para viola e orquestra, Sz. 120, BB 128 (1945)
Completado, orquestrado e transcrito para violoncelo por Tibor Serly (1945)
4 – Moderato
5 – Adagio religioso
6 – Allegro vivace

János Starker, violoncelo
Saint Louis Symphony Orchestra
Leonard Slatkin, regência

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

 

PQP Bach, pelo querido Ammiratore (1970-2021)

Vassily

Johann Sebastian Bach (1685-1750) – Variações Goldberg – Murray Perahia

Poucas obras causam tanta discussão e comoção entre os membros do PQPBach como as Variações Goldberg. Cada um de nós tem seu intérprete favorito, portanto não existe um consenso. Depois do furação Angela Hewitt, que é, digamos assim, ‘Hors concours’, quem domina esse páreo neste início de século XXI, as discussões continuam, e nunca irão parar.

Murray Perahia encarou este desafio com brilhantismo lá no início do século XXI, ou final do século XX, como queiram, mais especificamente entre os dias 9 e 14 de julho de 2000. O que os senhores faziam na época? Eu, particularmente, era aluno do Curso de Graduação em História, em uma universidade do sul do país, já casado e feliz, apesar das correrias e tropeços que a vida nos traz. Mas Mr. Perahia trancou-se em um estúdio na Suíça durante seis dias e nos trouxe essa gravação tão especial e admirada. Um crítico do New York Times escreveu:

Many listeners still hold Glenn Gould´s 1955 recording as ‘The Goldberg’ gold standard. With this CD, Perahia has raised the bar … Perahia´s ‘Goldberg’ are a spetacular achievement.” 

Quem sou eu para duvidar do parecer de um crítico de um jornal tão famoso … ? Certo, vinte e um anos se passaram, envelhecemos, e com a idade, a vem naturalmente a maturidade. E creio que essa seja a palavra para definir esta gravação de Murray Perahia: maturidade. Aquele jovem dos anos setenta, que encarou o desafio de gravar os concertos de Mozart, sendo ele também o próprio regente, aquele jovem virou um senhor que passou por uma traumatizante experiência de saúde, que o impediu de fazer o que mais gostava, e o que melhor sabia fazer, tocar piano. Isso nos leva a questão da superação. Perahia conseguiu superar as adversidades e ressurgiu das cinzas qual uma Fênix, nos brindando com uma belíssima leitura de uma das mais instigantes e desafiadoras obras já compostas. e ele não gravou apenas as Variações Goldberg. Mas isso é assunto para outra postagem.

1 – 32 – Goldberg Variations

Murray Perahia – Piano

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

Georg Friedrich Händel (1685-1759): Judas Maccabaeus (Robert King)

Georg Friedrich Händel (1685-1759): Judas Maccabaeus (Robert King)

Muito bom disco apesar do bit rate baixo dos arquivos. The King’s Consort dá um espetáculo com todos os benefícios de timbre e textura autênticos e um impecável time de cantores. Handel compôs o oratório Judas Maccabeus no Verão de 1746, após Messiah, Samson, Belshazzar e Israel in Egypt. Com libreto do Rev. Thomas Morell, Judas Maccabeus relata a história da revolta dos Macabeus contra a ocupação dos sírios e também celebra a vitória do Duque de Cumberland sobre o Príncipe Carlos Eduardo da Escócia. O primeiro livro dos Macabeus relata a resistência do povo judeu à conquista da Judeia pelos sírios em 169 a.C. Com o oratório, Händel, um leal partidário da sucessão de Hanover ao trono de Inglaterra, pretendia celebrar a vitória militar do Duque de Cumberland na batalha de Culloden, que teve lugar em Abril de 1746. A rebelião jacobita do Príncipe Carlos Eduardo, sucessor dos Stuart e pretendente ao trono de Inglaterra, terminou em Culloden. Nesta mistureca militar, separadas por mais de 1500 anos, Händel escolheu o tema da vitória militar dos Macabeus para coroar a sua habitual série londrina de concertos de oratório. Estreada em 1 de Abril de 1747 em Londres no Teatro de Covent Garden, o oratório Judas Maccabeus foi um sucesso na sua estreia e tornou-se um dos mais populares de Händel. Durante a vida do compositor, foi executado pelo menos 54 vezes, 33 das quais sob a sua direção.

Georg Friedrich Händel (1685-1759): Judas Maccabaeus (Robert King)

CD1:
01. Act I. Overture: [Grave] – Allegro – Lentement – Allegro
02. Chorus: Mourn, ye afflicted children, the remains
03. Recitative: Well, may your sorrows, brethren, flow (Israelitish man, Israelitish woman)
04. Duet: From this dread scene, these adverse pow’rs (Israelitish man, Israelitish woman)
05. Chorus: For Sion lamentation make
06. Recitative: Not vain is all this storm of grief (Israelitish man)
07. Air: Pious orgies, pious airs (Israelitish man)
08. Chorus: O Father, whose almighty pow’r
09. Recitative: I feel, I feel the Deity within (Simon)
10. Air – Chorus: Arm, arm, ye brave! A noble cause (Simon)
11. Recitative: ‘Tis well, my friends; with transport I behold (Judas Maccabaeus)
12. Air: Call forth thy pow’rs, my soul, and dare (Judas Maccabaeus)
13. Recitative: To heav’n’s almighty king we kneel (Israelitish woman)
14. Air: O liberty, thou choicest treasure (Israelitish woman)
15. Air: Come, ever-smiling liberty (Israelitish woman)
16. Recitative: O Judas, may these noble views inspire (Israelitish man)
17. Air: ‘Tis liberty, dear liberty alone (Israelitish man)
18. Duet: Come, ever-smiling liberty (Israelitish man, Israelitish woman)
19. Chorus: Lead on, lead on! Judah disdains
20. Recitative: So will’d my father, now at rest (Judas Maccabaeus)
21. Semi-chorus: Disdainful of danger, we’ll rush on the foe
22. Recitative: Ambition! If e’er honour was thine aim (Judas Maccabaeus)
23. Air: No unhallow’d desire (Judas Maccabaeus)
24. Recitative: Haste we, my brethren, haste we to the field (Israelitish man)
25. Chorus: Hear us, O Lord, on thee we call
26. Act II. Chorus: Fall’n is the foe; so fall thy foes, O Lord!
27. Recitative: Victorious hero! Fame shall tell (Israelitish man)
28. Air: So rapid thy course is
29. Recitative: Well may we hope our freedom to receive (Israelitish man)
30. Duet – Chorus: Sion now her head shall raise (Israelitish man, Israelitish woman)
31. Recitative: Oh, let eternal honours crown his name (Israelitish woman)
32. Air: From mighty kings he took the spoil (Israelitish woman)

CD2:
01. Duet – Chorus: Hail, hail, Judea. Happy land! (Israelitish man, Israelitish woman)
02. Recitative: Thanks to my brethren; but look up to heav’n (Judas Maccabaeus)
03. Air: How vain is man, who boasts in fight (Judas Maccabaeus)
04. Recitative: O Judas, O my brethren! (Messenger)
05. Air – Chorus: Ah! wretched, wretched Israel! Fall’n, how low (Israelitish woman)
06. Recitative: Be comforted, nor think these plagues are sent (Simon)
07. Air: The Lord worketh wonders (Simon)
08. Recitative: My arms! Against this Gorgias will I go (Judas Maccabaeus)
09. Air – Chorus: Sound an alarm! Your silver trumpets sound (Judas Maccabaeus)
10. Recitative: Enough! To heav’n we leave the rest (Simon)
11. Air: With pious hearts, and brave as pious (Simon)
12. Recitative: Ye worshippers of God (Israelitish man, Israelitish woman)
13. Air: Wise men, flatt’ring, may deceive us (Israelitish woman)
14. Duet – Chorus: Oh! Never, never bow we down (Israelitish woman, Israelitish man)
15. Act III. Air: Father of heav’n! From thy eternal throne (Priest)
16. Recitative: See, see yon flames, that from the altar broke (Israelitish man, Israelitish woman)
17. Air: So shall the lute and harp awake (Israelitish woman)
18. Recitative: From Capharsalama on eagle wings I fly (Messengers)
19. Chorus: See, the conqu’ring hero comes! (Chorus of youths, Chorus of virgins)
20. March
21. Chorus: Sing unto God, and high affections raise
22. Recitative: Sweet flow the strains, that strike my feasted ear (Judas Maccabaeus)
23. Air: With honour let desert be crown’d (Judas Maccabaeus)
24. Recitative: Peace to my countrymen; peace and liberty (Eupolemus)
25. Chorus: To our great God be all the honour giv’n
26. Recitative: Again to earth let gratitude descend (Israelitish woman)
27. Air: O lovely peace, with plenty crown’d (Israelitish woman)
28. Air – Chorus: Rejoice, O Judah! and, in songs divine (Simon)

Judas Maccabaeus – Jamie MacDougall
Israelitish woman – Emma Kirkby
Israelitish man – Catherine Denley
Simon – Michael George
Priest, Messenger – James Bowman
Eupolemus, Messenger – Simon Birchall
New College Choir, Oxford
The King’s Consort
Conductor – Robert King

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Gente, um disco com Emma Kirkby jamais será de todo ruim

PQP

Louis-Nicolas Clérambault (1676-1749), Jean-Philippe Rameau (1683-1764): Cantatas

Nos tempos de Rameau e Clérambault, o cravista muitas vezes era o equivalente ao maestro nos concertos de música de câmara ou orquestral. Fazia o continuo, a “cama” sonora que dava a deixa para os outros instrumentos se expressarem. Naquela época, muitas vezes o que estava escrito na partitura era muitas vezes um esboço, com linhas gerais que o cravista devia preencher com improvisos, arpejos, ornamentos…

A partitura, portanto, era um guia inicial, a ser complementado pela inspiração do intérprete. Outro aspecto dessa liberdade que tinham os cravistas para aplicar sua inspiração sobre a partitura são os Prelúdios sem compasso (em francês: Prélude non mésuré), comuns na França mais ou menos entre 1650 e 1720. O prelúdio em lá menor de Rameau, que aparece neste CD, começa desse jeito sem compassos, e apenas no finzinho o compositor bota ordem na parada com um compasso 12/8.

Início, sem compasso, do Prelúdio

A cravista aqui é a jovem Akiko Sato. Seguindo a moda barroca, ela comanda do cravo o conjunto Les Bostonades, baseado em Boston, EUA. Nas cantatas, como já expliquei, o cravo dá o tom inicial de cada movimento em curtos recitativos, para em seguida entrarem os poucos instrumentos: uma viola da gamba, um violino, uma flauta barroca (traverso). É pouca gente, afinal a cantata francesa era assim mais intimista, para plateias seletas de amigos, ao contrário das óperas-ballets e tragédias líricas de Rameau que, naquele tempo, já arrastavam pequenas multidões.

O tenor Zachary Wilder é outro jovem talento que tem se destacado na música de Monteverdi, Bach e dos franceses que aparecem aqui. Ele brilha sobretudo na virtuosa cantata Orphée, de Clérambault. Todas as cantatas deste disco têm como tema o amor romântico e fazem referências à antiguidade clássica. Podemos supor que os membros da alta sociedade francesa conheciam bem a história de Orfeu e Eurídice, seja a partir de leituras, ou de espetáculos musicais como:

⋅ Orphée descendant aux Enfers (1683), cantata de Marc-Anoine Charpentier
⋅ Poi che riseppe Orfeo (circa 1680), L’Orfeo (circa 1702), cantatas de Alessandro Scarlatti
⋅ Orphée (circa 1720), cantata de Jean-Philippe Rameau
⋅ La mort d’Orphée (1827), cantata de Hector Berlioz composta para o Prix de Rome. Aliás, o Prix de Rome era um concurso que dava ao laureado a oportunidade de viver um ano ou mais na Itália, e apenas cantatas concorriam nesse prêmio, o que significou uma certa sobrevida artificial para esse gênero da cantata francesa. Enquanto o prêmio durou (até 1968), grandes compositores escreveram cantatas especificamente para esse concurso, embora seus interesses pessoais fossem bem distantes, mais próximos da ópera (Bizet, Massenet), da chanson com piano e da música orquestral (Debussy, Ravel, Dutilleux). Desses listados, apenas Ravel não ganhou o 1º prêmio e a viagem a Roma. Para fechar esses parênteses, cabe lembrar que Lili Boulanger foi a primeira mulher a vencer o prêmio em 1913.

A cantata de Rameau tem menos referências greco-romanas que as de Clérambault. Apenas uma menção (“enfant de Cythère”) à ilha de Citera, próxima a Esparta, e que seria o local de nascimento de Afrodite, a deusa do amor. A metáfora mais importante dessa cantata é mais próxima, mais da roça: pássaros no ninho, cantando em casal. Rameau, naquele período, vivia em Clermont-Ferrand, cidade no sul da França. É do dialeto do sul da França, aliás, a palavra “trovador”, que se refere aos poetas que, no fim da Idade Média, deram origem em prosa e verso – sobretudo verso – a essa ideia de amor romântico que tem ocupado esse imenso espaço no imaginário ocidental desde então.

Louis-Nicolas Clérambault: Pirame Et Tisbé, 4e Cantata du 2e Livre (1713)
1 Récitatif: Pirame, pour Tisbé, dès la plus tendre enfance Air: Si votre tendresse est extrême
2 Récitatif: Tisbé, pour résister à l’ardeur de ses vœux; Lentement et marqué: Aux pieds de ces tombeaux sacrés; Récitatif: Bientôt au gré de leur impatience
3 Air: Vole, vole, dit-elle amour
4 Récitatif: Elle cherchoit l’amant qui la tient asservie; Plainte: Quoi? Tisbé tu n’es plus?
5 Vivement: Venez monstres affreux; Lent: Aimable et cher objet, ton trépas est mon crime
6 Air: Amour, qui voudra désormais s’empresser à porter tes chaînes?
7 Jean-Philippe Rameau: Prélude en la mineur. Premier Livre de Pièces de Clavecin, RCT 1 (1706)
Jean-Philippe Rameau: L’ Impatience, RCT 26 Cantate pour une voix et une viole avec basse continue
8 Récitatif: Ces lieux brillent déjà d’une vive clarté; Air gai: Ce n’est plus le poids de ma chaîne
9 Récitatif: Les oiseaux d’alentour chantent dans ce bocage; Air tendre: Pourquoi leur envier leur juste récompense?
10 Récitatif: Mais Corine paraît, je vois enfin les charmes; Air léger: Tu te plais, enfant de Cythère
Jean-Philippe Rameau: Cinquième Concert, Rct 11. Pièces de Clavecin en Concert
11 I. La Forqueray
12 II. La Cupis
13 III. La Marais
Louis-Nicolas Clérambault: Orphée, 3e Cantata du 1er Livre (1710)
14 Récitatif: Le fameux chantre de la Thrace; Air tendre et piqué: Fidèles échos de ces bois
15 Récitatif: Mais que sert à mon désespoir
16 Air gai: Allez Orphée, allez, allez
17 Récitatif: Cependant le héros arrive sur l’infernale rive; Air fort lent et fort tendre: Monarque redouté de ces royaumes sombres
18 Récitatif: Pluton surpris d’entendre des accords; Air gai: Chantez la victoire éclatante

BAIXE AQUI – DOWNLOAD HERE

A capa do 1º Livro de Peças para Cravo de Rameau (1706) – desisti de contar o nº de instrumentos

Pleyel

Frédéric Chopin (1810-1849): The Complete Waltzes (Fliter)

Frédéric Chopin (1810-1849): The Complete Waltzes (Fliter)

A argentina Ingrid Fliter (1973) dá recitais de piano desde os 11 anos de idade, estreou no Colón aos 16 e estudou na Europa sob o patrocínio de Martha Argerich. Posso dizer que a moça é um espanto, como pode ser comprovado neste CD. Além disso, é uma simpatia, como prova o pequeno filme abaixo, postado por ela mesma no YouTube. O som é ruim e o piano está desafinado, mas é muito divertido ver o tesão dela por tocar.

This is me playing the Chopin Minute Waltz at the Minneapolis Airport Terminal after a 20 hours flight. For my surprise I found this lonely piano awaiting for someone to play him… I couldn’t resist. It was fun to observe people reaction. They were quite confused I think 🙂

Frédéric Chopin (1810-1849): The Complete Waltzes (Fliter)

No.1 in E Flat Major Op.18 “Grande Valse Brillante”
No.2 in a Flat Major Op34 No.1 “Valse Brilliante”
No.3 in a Minor Op.34 No.2 “Valse”
No.4 in F Major Op.34 No.3 “Grande Valse Brilliante”
No.5 in a Flat Major Op.42
6 No.6 in D Flat Major Op.64 No.1 “Minute”
No.7 in C Sharp Minor Op.64 No.2
No.8 in a Flat Major Op.64 No.3
No.9 in a Flat Major Op.69 No.1 “L’Adieu”
No.10 in B Minor Op.69 No.2
No.11 in G Flat Major Op.70 No.1
No.12 in F Minor Op.70 No.2
No.13 in D Flat Major Op.70 No.3
No 14 in E Minor
No.15 in E Major
No.16 in E Minor
No.17 in E Flat Major
No.18 in E Flat Major Op.Posth “Sostenuto”
No.19 in a Minor Op.Posth
No.20 in F Sharp Minor Op.Posth “Melancolique”

Ingrid Fliter, piano

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Nada de jogar flit nela!
Nada de jogar flit nela, viu?

PQP

Béla Bartók (1881-1945): Para Crianças Vol. 3 e 4 / Duas Danças Romenas para Piano / Sete Esboços / Quatro Cantos Fúnebres (Zempléni / Szücs) #BRTK140 Vol. 20 de 29

Aqui, toda a coleção.

Este CD traz os volumes 3 e 4 de Para Crianças. Como já explicamos no volume 19, For Children é um ciclo de peças curtas para piano originalmente iniciada em 1908 e concluída em 1909, publicadas em quatro volumes. Cada peça é baseada em uma melodia folclórica, húngara nos dois primeiros volumes e eslovaca nos dois últimos. Em 1945, Bartók revisou o conjunto, removendo seis peças que usavam melodias que haviam sido transcritas incorretamente ou que não eram músicas folclóricas originais, alterando substancialmente a harmonização de várias outras. As peças foram escritas à medida que os alunos de Bartók trabalhavam e progrediam. No entanto, nos tempos modernos, alguns pianistas começaram a incluir alguns deles nos seus programas de recitais, citando o seu valor musical mesmo independentemente das suas origens pedagógicas.

As Duas Danças Romenas é uma obra para piano baseada na música folclórica romena. Eu amo essas peças, a primeira principalmente, especialmente rústica.

Na opinião de Bartók, seus Sete Esboços representaram uma nova direção para sua música para piano. Na verdade, é realmente um trabalho de duas faces; ou seja, olha para a frente e para trás. Bartók usou uma série de técnicas experimentais, junto com escalas de tons inteiros, politonalidade e cromaticismo nesses esboços, mas também empregou estruturas tonais claras, figuras de acompanhamento tradicionais e configurações de canções folclóricas. Essas peças são semelhantes em espécie às Quatorze Bagatelas, compostas no mesmo ano que Bartók começou a escrever seus Esboços.

Os 4 Cantos Fúnebres (Four Dirges) foram compostos entre 1909 e 1910. O conjunto nunca foi formalmente estreado e foi publicado inicialmente em 1912 em Budapeste. Foi apenas parcialmente tocada em Budapeste em 1917 pelo pianista Ernő Dohnányi.

Bartók, o pai carinhoso, com seu filho.

Béla Bartók (1881-1945): Para Crianças Vol. 3 e 4 / Danças Romenas para Piano / Sete Esboços / Quatro Cantos Fúnebres (Zempléni / Szücs) #BRTK140 Vol. 20 de 29

1 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 1. Allegro
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 1. Allegro
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
0:29

2 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 2. Andante
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 2. Andante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
0:54

3 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 3. Allegretto
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 3. Allegretto
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
0:35

4 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 4. Andante. Lakodalmas
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 4. Wedding Song. Andante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
0:40

5 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 5. Molto andante. Változatok
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 5. Variation. Molto andante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
2:25

6 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 6. Allegro. I. Körtánc
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 6. Round Dance I. Allegro
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
0:42

7 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 7. Andante. Bánat
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 7. Sorrow. Andante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
1:06

8 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 8. Allegro non troppo. Táncdal
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 8. Dance. Allegro non troppo
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
0:38

9 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 9. Andante. II. Körtánc
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 9. Round Dance II. Andante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
0:42

10 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 10. Largo. Temetésre szól az ének
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 10. Funeral Song. Largo
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
1:36

11 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 11. Lento
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 11. Lento
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
1:30

12 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 12. Andante rubato
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 12. Andante rubato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
0:49

13 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 13. Allegro
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 13. Allegro
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
0:41

14 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 14. Moderato
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 14. Moderato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
0:42

15 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 15. Molto tranquillo. Dudanóta
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 15. Bagpipe I. Molto tranquillo
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
0:53

16 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 16. Lento. Panasz
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 16. Lament. Lento
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
1:05

17 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 17. Andante
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 17. Andante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
0:49

18 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 18. Sostenuto. Gúnydal
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 18. Teasing Song. Sostenuto
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
0:44

19 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 19. Assai lento. Románc
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 19. Romance. Assai lento
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
1:38

20 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 20. Presto. Kergetõzés
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 20. Game of Tag. Presto
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
0:29

21 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 21. Allegro moderato. Tréfa
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 21. Pleasantry. Allegro moderato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
1:05

22 For children, Volume 3 (1945 revision) for piano, Sz. 42/3/1–22, BB 53/43–64: No. 22. Molto allegro. Duhajkodó
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 3: No. 22. Revelry. Molto allegro
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 3
0:51

23 For children, Volume 4 for piano, Sz. 42/4/23–43, BB 53/65–85: No. 23. Andante tranquillo
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 4: No. 23. Andante tranquillo
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 4
1:00

24 For children, Volume 4 for piano, Sz. 42/4/23–43, BB 53/65–85: No. 24. Andante
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 4: No. 24. Andante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 4
1:03

25 For children, Volume 4 for piano, Sz. 42/4/23–43, BB 53/65–85: No. 25. Allegretto. Scherzando)
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 4: No. 25. Scherzando. Allegretto
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 4
0:43

26 For children, Volume 4 for piano, Sz. 42/4/23–43, BB 53/65–85: No. 26. Andante molto rubato. Furulyaszó
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 4: No. 26. Peasant’s Flute. Andante molto rubato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 4
1:17

27 For children, Volume 4 for piano, Sz. 42/4/23–43, BB 53/65–85: No. 27. Allegro. Még egy tréfa
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 4: No. 27. Pleasantry II. Allegro
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 4
0:55

28 For children, Volume 4 for piano, Sz. 42/4/23–43, BB 53/65–85: No. 28. Andante molto rubato
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 4: No. 28. Andante, Molto rubato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 4
1:08

29 For children, Volume 4 for piano, Sz. 42/4/23–43, BB 53/65–85: No. 29. Allegro non troppo. Kánon
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 4: No. 29. Canon. Allegro non troppo
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 4
0:51

30 For children, Volume 4 for piano, Sz. 42/4/23–43, BB 53/65–85: No. 30. Vivace. Szól a duda
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 4: No. 30. Bagpipe II. Vivace
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 4
0:51

31 For children, Volume 4 for piano, Sz. 42/4/23–43, BB 53/65–85: No. 31. Allegro. Betyárnóta
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 4: No. 31. The Highway Robber. Allegro
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 4
0:45

32 For children, Volume 4 for piano, Sz. 42/4/23–43, BB 53/65–85: No. 32. Pesante
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 4: No. 32. Pesante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 4
1:02

33 For children, Volume 4 for piano, Sz. 42/4/23–43, BB 53/65–85: No. 33. Andante tranquillo
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 4: No. 33. Andante tranquillo
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 4
0:57

34 For children, Volume 4 for piano, Sz. 42/4/23–43, BB 53/65–85: No. 34. Adagio. Búcsú
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 4: No. 34. Farewell. Adagio
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 4
1:56

35 For children, Volume 4 for piano, Sz. 42/4/23–43, BB 53/65–85: No. 35. Moderato. Ballada
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 4: No. 35. Ballad. Moderato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 4
1:53

36 For children, Volume 4 for piano, Sz. 42/4/23–43, BB 53/65–85: No. 36. Parlando, molto rubato / No. 37. Allegro moderato
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 4: No. 36-37. Rhapsody. Parlando, molto rubato – Allegro moderato
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 4
3:06

37 For children, Volume 4 for piano, Sz. 42/4/23–43, BB 53/65–85: No. 38. Lento. Siratóének
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 4: No. 38. Dirge. Lento
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 4
1:39

38 For children, Volume 4 for piano, Sz. 42/4/23–43, BB 53/65–85: No. 39. Lento. Halotti ének
piano:
Kornél Zempléni
recording of:
For Children, Book 4: No. 39. Mourning Song. Lento
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
For Children, Sz. 42, BB 53, Book 4
2:18

39 Romanian dances for piano, Sz. 43, BB 56 (Op. 8a): 1. Allegro vivace
piano:
Loránt Szücs
recording of:
Two Romanian Dances, Sz. 43, BB 56, No. 1: Allegro vivace
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1910)
part of:
Two Romanian Dances, Sz. 43, BB 56
5:19

40 Romanian dances for piano, Sz. 43, BB 56 (Op. 8a): 2. Poco allegro
piano:
Loránt Szücs
recording of:
Two Romanian Dances, Sz. 43, BB 56, No. 2: Poco allegro
composer:
Béla Bartók (composer) (in 1910)
part of:
Two Romanian Dances, Sz. 43, BB 56
4:45

41 Seven sketches for piano, Sz. 44, BB 54 (Op. 9b): No. 1. Andante con moto. Leanyi arckep
piano:
Loránt Szücs
recording of:
7 Sketches, op. 9b, Sz. 44: No. 1. Portrait of a Young Girl: Andante
composer:
Béla Bartók (composer) (from 1908 until 1910)
part of:
7 Sketches, op. 9b, Sz. 44
2:21

42 Seven sketches for piano, Sz. 44, BB 54 (Op. 9b): No. 2. Comodo. Hinta palinta
piano:
Loránt Szücs
recording of:
7 Sketches, op. 9b, Sz. 44: No. 2. See – Saw: Comodo
composer:
Béla Bartók (composer) (from 1908 until 1910)
part of:
7 Sketches, op. 9b, Sz. 44
1:11

43 Seven sketches for piano, Sz. 44, BB 54 (Op. 9b): No. 3. Lento
piano:
Loránt Szücs
recording of:
7 Sketches, op. 9b, Sz. 44: No. 3. Lento
composer:
Béla Bartók (composer) (from 1908 until 1910)
part of:
7 Sketches, op. 9b, Sz. 44
2:53

44 Seven sketches for piano, Sz. 44, BB 54 (Op. 9b): No. 4. Non troppo lento
piano:
Loránt Szücs
recording of:
7 Sketches, op. 9b, Sz. 44: No. 4. Non troppo lento
composer:
Béla Bartók (composer) (from 1908 until 1910)
part of:
7 Sketches, op. 9b, Sz. 44
3:56

45 Seven sketches for piano, Sz. 44, BB 54 (Op. 9b): No. 5. Andante. Román népdal
piano:
Loránt Szücs
recording of:
7 Sketches, op. 9b, Sz. 44: No. 5. Romanian Folksong: Andante
composer:
Béla Bartók (composer) (from 1908 until 1910)
part of:
7 Sketches, op. 9b, Sz. 44
1:09

46 Seven sketches for piano, Sz. 44, BB 54 (Op. 9b): No. 6. Allegretto. Oláhos
piano:
Loránt Szücs
recording of:
7 Sketches, op. 9b, Sz. 44: No. 6. In Wallachian Style: Allegretto
composer:
Béla Bartók (composer) (from 1908 until 1910)
part of:
7 Sketches, op. 9b, Sz. 44
0:39

47 Seven sketches for piano, Sz. 44, BB 54 (Op. 9b): No. 7. Poco lento
piano:
Loránt Szücs
recording of:
7 Sketches, op. 9b, Sz. 44: No. 7. Poco lento
composer:
Béla Bartók (composer) (from 1908 until 1910)
part of:
7 Sketches, op. 9b, Sz. 44
2:16

48 Four dirges for piano, Sz. 45, BB 58 (Op. 9a): No. 1. Adagio
piano:
Loránt Szücs
recording of:
Four Dirges, Sz. 45, BB 58, No. 1: Adagio
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
Four Dirges, Sz. 45, BB 58
2:14

49 Four dirges for piano, Sz. 45, BB 58 (Op. 9a): No. 2. Andante
piano:
Loránt Szücs
recording of:
Four Dirges, Sz. 45, BB 58, No. 2: Andante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
Four Dirges, Sz. 45, BB 58
2:15

50 Four dirges for piano, Sz. 45, BB 58 (Op. 9a): No. 3. Poco lento
piano:
Loránt Szücs
recording of:
Four Dirges, Sz. 45, BB 58, No. 3: Poco lento
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
Four Dirges, Sz. 45, BB 58
3:09

51 Four dirges for piano, Sz. 45, BB 58 (Op. 9a): No. 4. Assai andante
piano:
Loránt Szücs
recording of:
Four Dirges, Sz. 45, BB 58, No. 4: Assai andante
composer:
Béla Bartók (composer)
part of:
Four Dirges, Sz. 45, BB 58
3:25

BAIXE AQUI — DOWNLOAD HERE

Há muitas fotos de Batrók com seu filho. O cara era um PAI.

PQP